De casa, voluntários ajudam ONGs a se mobilizarem por quem mais precisa durante a pandemia - Portal Splish Splash

Recentes

sexta-feira, agosto 27, 2021

De casa, voluntários ajudam ONGs a se mobilizarem por quem mais precisa durante a pandemia

Em 28 de agosto se celebra o Dia Nacional do Voluntariado. O marco homenageia pessoas que se unem pela mobilização coletiva. Em 2021, o Atados comemora a data enfatizando que, neste momento em que as desigualdades socioeconômicas do país se tornam ainda maiores por causa da pandemia Atados celebra Dia Nacional do Voluntariado (28/8) chamando pessoas a saírem da "zona de desconforto" com a realidade e dedicarem suas habilidades para apoiar projetos


Atados celebra Dia Nacional do Voluntariado (28/8) chamando pessoas a saírem da "zona de desconforto" com a realidade e dedicarem suas habilidades para apoiar projetos sociais


Em 28 de agosto se celebra o Dia Nacional do Voluntariado. O marco homenageia pessoas que se unem pela mobilização coletiva. Em 2021, o Atados comemora a data enfatizando que, neste momento em que as desigualdades socioeconômicas do país se tornam ainda maiores por causa da pandemia, o voluntariado é uma forma de se engajar ativamente pelo coletivo, a partir da participação em projetos sociais que atuam em diversas frentes. 


Por isso, o Atados realiza, entre 23 e 28 de agosto, a campanha #Voluntariaço - O que você sabe faz a diferença, com o intuito de conscientizar sobre a importância do engajamento social e convidar as pessoas a participarem de ações voluntárias, trazendo o melhor delas: o tempo e o conhecimento que têm. Pela nossa plataforma www.atados.com, é possível se inscrever em vagas de voluntariado para mais de 3 mil organizações da sociedade civil (OSCs), que se dedicam a 25 causas diferentes. 


Historicamente, o voluntariado é conhecido por formas de atuação presenciais, como serviços à comunidade, de saúde e educação, por exemplo, e grandes eventos, como mutirões e conscientização nas ruas. Mas, com a pandemia, as organizações sociais tiveram de se adaptar para continuar mobilizando pelo apoio às pessoas e às suas causas. 


Marina Frota, diretora do Atados, conta que, inicialmente, as vagas presenciais de voluntariado da plataforma ficaram suspensas, respeitando as recomendações de distanciamento social. Com isso, as organizações tiveram de reinventar a forma como trabalham e, assim, surgiram muitos formatos de engajamento remotos. Hoje, é possível observar que o modelo de participação a distância em projetos sociais veio para ficar. 


“Entre 2012, quando o Atados surgiu, e março de 2020, 3 a cada 4 vagas na nossa plataforma eram presenciais. Desde então até julho de 2021, esse cenário se inverteu: a cada 4 vagas publicadas em nossa plataforma, 3 delas podem ser feitas a distância”, exemplifica. “Muitas organizações aproveitaram o momento para se reestruturar. Com isso, criaram vagas em frentes antes pouco demandadas para repensar a sua gestão. Advogados, contadores, consultores e recursos humanos, por exemplo, foram habilidades muito requisitadas”, observa Marina. 


Cartas solidárias


Comunicação lidera o ranking de 2021 das habilidades mais buscadas pelas organizações ao anunciar uma vaga de voluntariado. Para essa área, por exemplo, há oportunidades remotas como mobilizador, divulgador, designer, analista de marketing, redator e jornalista. Na sequência desse rol, estão as habilidades organização e tecnologia, com oportunidades a distância, respectivamente, para coordenação, administração e produção de eventos e para criador de sites, desenvolvedor e programador.


Houve também o surgimento de vagas remotas para atender necessidades trazidas com a pandemia, especialmente conectar pessoas durante o distanciamento. Um exemplo é o das cartas solidárias. Nessa ação, o voluntário escreve a uma pessoa que precisa de acolhimento, como um idoso que não tem muita convivência social. Uma atividade simples que, além de transformadora, atrai muitos interessados: em 2021, foram mais de 2.700 inscritos nas seis vagas disponíveis na plataforma do Atados. 


Mas, ainda que o voluntariado a distância tenha vindo para somar, há organizações que precisam de voluntários presencialmente, sobretudo em ações de apoio a pessoas em situação de maior vulnerabilidade, que não têm como se adaptar ao virtual. Alguns exemplos de áreas são psicólogos, terapeutas, fonoaudiólogos, cozinheiros, fotógrafos, videomakers e apoio administrativo.  


Seja presencial ou a distância, o trabalho voluntário é um meio de sair da “zona de desconforto” com a realidade social desigual do Brasil e partir para a ação. “Cada pessoa pode contribuir com o que sabe fazer, ao mesmo tempo que aprende, vive novas experiências, forma uma rede de relacionamento com a organização social que apoia. Essa troca fortalece ambos os lados e também as causas sociais”, reforça Marina.


O Atados


Criado em 2012, na cidade de São Paulo, o Atados é uma organização da sociedade civil (OSC) que tem na mobilização de pessoas para projetos de impacto social a sua grande causa. Dessa forma, apoia outras OSCs cadastradas na sua plataforma social a engajar voluntários e voluntárias para realizar suas atividades, desde a gestão de atividades do dia a dia (financeiro, comunicação) a grandes ações e eventos. Também oferece gratuitamente às organizações atividades de troca e integração e articulação do terceiro setor. 


Tem também projetos sociais próprios, como o Tech For Good e o Abraço Cultural, e desenvolve programas de voluntariado e de responsabilidade social com empresas. Hoje, o Atados tem unidades físicas em São Paulo e no Rio de Janeiro e está em expansão remota (sem unidades) para outros estados (AM, PE, CE, e avançando..), com o objetivo de apoiar organizações de todas as unidades federativas do país. 


#Voluntariaço - O que você sabe faz a diferença


De 23 a 28 de agosto

Pelas redes sociais (www.atados.com.br) e na plataforma do Atados (www.atados.com.br)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário