Muçulmanos explicam o que é o hajj, a peregrinação a Meca

O mês de julho é bastante especial para os muçulmanos de todo o mundo: é quando acontece o Hajj, a peregrinação à cidade sagrada de Meca, na Arábia Saudita.


"Foi em Meca que Mohamed, mensageiro de Deus para a fé islâmica, fez a sua primeira e única peregrinação após ser proclamado profeta, na companhia de quase 120 mil fiéis", diz o vice-presidente da Federação, Ali Zoghbi. "São dias intensos, marcado por muita união e solidariedade"


São Paulo, 15 de julho de 2021 – O mês de julho é bastante especial para os muçulmanos de todo o mundo: é quando acontece o Hajj, a peregrinação à cidade sagrada de Meca, na Arábia Saudita.


Pelo segundo ano consecutivo, haverá restrição de participantes em função a pandemia. Só poderá fazer o hajj quem for residente ou nascido na Arábia Saudita, ter entre 18 e 65 anos, não sofrer de doença crônica e ter sido vacinado – de acordo com orientações do Ministério do Hajj e da Umrah saudita. Em 2019, 2,5 milhões de pessoas estiveram em Meca.


Mas o que será que mobiliza muçulmanos de diferentes partes do mundo para esta peregrinação? O vice-presidente da Federação das Associações Muçulmanas do Brasil, Ali Zoghbi, explica: “O hajj está entre os cinco pilares sagrados da religião islâmica. Os muçulmanos devem realizar este ato de fé ao menos uma vez na vida se tiverem saúde e condições financeiras para fazer a viagem”, detalha. “Foi em Meca que Mohamed, mensageiro de Deus para a fé islâmica, fez a sua primeira e única peregrinação após ser proclamado profeta, na companhia de quase 120 mil fiéis”.


Durante o hajj, as pessoas usam vestes muito simples, brancas, simbolizando que são todas iguais. E pedem bênçãos e perdão para os pecados. “São dias intensos, marcado por muita união e solidariedade. É uma experiência muito marcante para todos os muçulmanos”.


Desde 2011, a FAMBRAS conta com um programa que custeia a peregrinação de muçulmanos de diversos países da América Latina que não têm condições financeiras para realizar a viagem.  “Este é um projeto que tem feito a diferença na vida de muitos muçulmanos. Eles se inscrevem e aguardam a seleção feita pela Federação. Auxiliamos com a documentação e vistos, além de oferecer o acompanhamento de um Sheikh. Este ano, mais uma vez em função da pandemia, não foi possível seguir com o projeto, mas nossas esperanças se renovam já pensando em 2022”, finaliza Zoghbi.


Sobre a FAMBRAS e FAMBRAS Halal


Fundada em 1979, a Federação das Associações Muçulmanas do Brasil – FAMBRAS é uma referência em se tratando do Islam no Brasil – uma religião que conta com 1,9 bilhão de fiéis no mundo de acordo com dados do Instituto Pew Research Center.


A FAMBRAS atua nos âmbitos religioso, social, cultural, econômico e diplomático por meio de projetos educacionais, culturais e assistenciais - tanto em benefício dos muçulmanos como de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Outra missão é combater o preconceito aos muçulmanos por meio da informação.


O trabalho da Federação conta com o apoio da FAMBRAS Halal - a primeira instituição certificadora Halal do Brasil, em operação desde 1979. A certificadora é líder de mercado e realiza auditorias, abate, inspeção, supervisão de produtos e implantação do Sistema de Garantia Halal junto a indústrias e frigoríficos interessados em comercializar seus produtos especialmente para os países islâmicos.  Trata-se de um mercado crescente que, com base no Relatório do Estado da Economia Islâmica Global 2020/21, aponta que os gastos muçulmanos devem chegar a US$ 2,4 trilhões até 2024.

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Learn More
Accept !