Espinha no abdômen? Como se livrar de lesões de foliculite ou pelo encravado no abdômen - Portal Splish Splash

Recentes

terça-feira, abril 27, 2021

Espinha no abdômen? Como se livrar de lesões de foliculite ou pelo encravado no abdômen

A acne pode ocorrer em qualquer parte do corpo que produza sebo ou óleo e é mais provável de ocorrer nas costas, tórax ou rosto do que no abdômen. Na barriga, ela pode ser resultado de uma inflamação ou infecção do folículo

 

A acne pode ocorrer em qualquer parte do corpo que produza sebo ou óleo e é mais provável de ocorrer nas costas, tórax ou rosto do que no abdômen. Na barriga, ela pode ser resultado de uma inflamação ou infecção do folículo


São Paulo — abril 2021 - Você já deve ter se deparado com lesões no abdômen semelhantes a espinhas. Mas será que é realmente acne? “A acne ocorre nas áreas faciais, no pescoço, nas costas, na parte superior do tronco e na região dos ombros. Quando aparece na barriga, essa alteração é resultado de uma inflamação ou infecção do folículo”, explica a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.


De acordo com a Canadian Dermatology Association, o pelo encravado pode se assemelhar e causar inchaços como uma espinha. “Ele ocorre quando o fio encontra um poro bloqueado. Em seguida, ele cresce novamente, enrolando-se abaixo da pele ou crescendo para os lados. Em alguns casos pode aparecer pus”, diz a médica. Um pelo encravado é comum em áreas onde as pessoas removem os pelos do corpo, mas podem ocorrer naturalmente também.


Outra erupção semelhante a espinhas que pode aparecer no abdômen é a foliculite, uma infecção cutânea comum que ocorre nos folículos capilares. “Geralmente, ela é motivada por uma bactéria ou fungo, mas também pode ser causada por vírus e, até mesmo, por uma inflamação consequente de pelos encravados. A infecção se apresenta no formato de pequenas espinhas, de pontas brancas, em torno de um ou mais folículos pilosos”, afirma a médica. Qualquer pessoa pode desenvolver foliculite, de forma que as causas mais comuns de dano folicular são: fricção na hora do barbear, roupas apertadas, calor e suor (como o causado pelo uso de luvas ou botas de borracha), condições da pele como dermatites e acne, lesões na pele por arranhões ou feridas cirúrgicas, e curativos de plástico ou fita adesiva em contato com áreas de pelo. 


Os casos de foliculite geralmente são superficiais, mas podem doer e coçar. “Normalmente, a inflamação do pelo se cura sozinha, mas casos mais graves e recorrentes merecem atenção e tratamento com um dermatologista, pois podem levar a perda permanente do pelo e cicatrizes”, diz a médica.   


O tratamento da foliculite dependerá do tipo e da gravidade da infecção. “Quando é uma infecção por bactérias, pode ser tratada com antibiótico tópico, oral ou uma combinação dos dois; se for motivada por um fungo, os antifúngicos tópicos ou orais são os mais eficazes para este tipo. Quando apresentam muito pus, o médico pode drenar a infecção com uma pequena incisão para aliviar os sintomas”, explica a dermatologista.


Com relação à prevenção, o pelo encravado pode ser evitado na depilação da região do abdômen com lâminas se você raspar o fio na direção em que os pelos estão crescendo, além de molhar a pele com água morna e usar gel de barbear. “Alguns dias antes e após o uso das lâminas, usar um esfoliante para liberar os pelos presos e evitar o bloqueio dos poros também ajuda”, explica. “Mas o melhor método para remoção dos pelos e que evita completamente esses efeitos indesejáveis é o laser”, diz a médica.


No caso da foliculite, a prevenção é passar a usar roupas mais largas quando estiver quente e úmido, pois o atrito constante pode danificar os folículos capilares; além disso, lavar e secar um maiô após cada uso para evitar a exposição a bactérias, e, finalmente, remover os pelos da maneira correta e com cuidado.


FONTE: *DRA. PAOLA POMERANTZEFF - Dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, a médica é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, e participa periodicamente de Congressos, Jornadas e Simpósios nacionais e internacionais. http://www.drapaola.me/

Nenhum comentário:

Postar um comentário