ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

11/09/2020

Nova entidade brasileira terá como foco o desenvolvimento da mobilidade sustentável

O Instituto Brasileiro de Mobilidade Sustentável foi criado para incentivar e viabilizar, em todas as suas vertentes, o mercado brasileiro da eletromobilidade.


O Instituto Brasileiro de Mobilidade Sustentável foi criado para incentivar e viabilizar, em todas as suas vertentes, o mercado brasileiro da eletromobilidade.


Acaba de ser criado, em São Paulo (SP), o Instituto Brasileiro de Mobilidade Sustentável (IBMS), uma nova entidade que nasce com o foco de se transformar em uma ferramenta para incentivar e viabilizar, em todas as suas vertentes, o mercado brasileiro da eletromobilidade – a mobilidade por diferentes tipos de veículos elétricos. “Queremos contribuir, principalmente, com o desenvolvimento tecnológico deste setor, com a geração de mais conhecimento nesta área e, também, com a busca por investimentos internacionais em fundos criados para apoiar o desenvolvimento sustentável da mobilidade”, explica Ricardo Guggisberg, presidente da IBMS.


Ricardo Guggisberg é um especialista em eletromobilidade, conhecido nacionalmente. Já foi presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE) e foi ele quem criou o evento “Salão de Mobilidade Elétrica e Cidades Inteligentes” (“VE Latino Americano”), em 2012, e realizado anualmente desde então. A edição deste ano foi cancelada, devido à pandemia do coronavírus, mas a próxima edição está confirmada para setembro ou outubro de 2021.


De acordo com Guggisberg, existem muitas oportunidades para atuação do IBMS, num espaço ainda não ocupado por outras associações do setor no País. “Queremos promover a inovação da mobilidade no Brasil e, para isso, vamos criar projetos específicos e buscar recursos internacionais para concretizá-los”, explica. Ele cita como exemplos projetos educacionais, gestão de frotas de veículos elétricos, propostas para complementação do transporte público em maior escala (o chamado “first mile/last mile”), apoio a startups brasileiras inovadoras do setor e discussão sobre o reposicionamento dos espaços públicos para permitirem o uso, com segurança, dos micros modais elétricos, como monociclos, bicicletas e patinetes. Uma das ideias em discussão é desenvolver eletropostos para a área rural, uma inovação que ajudaria a ampliar o uso dos veículos elétricos também para fora das cidades.


“É preciso não apenas reestudar esses espaços públicos, para serem readequados, mas também abrir mais áreas voltadas para a micro mobilidade elétrica. Mas, para isso, temos que montar projetos consistentes, tecnicamente ajustados e apresentá-los aos fundos internacionais que oferecem recursos justamente para essas iniciativas”, explica o presidente da IBMS.


O Instituto nasce com uma diretoria composta por 18 representantes de players desse setor e tem como expectativa atrair como associados a maior parte das empresas que desenvolvem projetos ligados na eletromobilidade, incluindo fabricantes, importadores, montadoras de veículos, fornecedores de componentes para o segmento (como fabricantes e importadores de baterias elétricas), entre outros.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo