ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

11/06/2020

Experimentações e a luta da mulher na sociedade dão início ao "Caótico Jazz Tropical" de Marina Silva

A cantora e instrumentista Marina Silva dá início ao seu primeiro álbum, "Caótico Jazz Tropical", com o single duplo "Baião de Clavinet" e "Fixos e Fluxos"
 

A cantora e instrumentista Marina Silva dá início ao seu primeiro álbum, "Caótico Jazz Tropical", com o single duplo "Baião de Clavinet" e "Fixos e Fluxos". As faixas antecipam o disco, que tem previsão de lançamento para dezembro. Nestas duas primeiras músicas, já é possível perceber a pluralidade do trabalho da artista, que mistura o jazz com ritmos brasileiros e latinos. 


"Fixos e Fluxos" é canção trabalhada em cima de um forte poema e versa sobre ser mulher, encarar julgamentos e ter sentimentos singulares. "Este é um poema que nasceu de uma conversa na faculdade e é de autoria de minha amiga Maria Rita. Estávamos falando sobre como é ser mulher na sociedade que vivemos. Quando fui compor, o poema ficou em minha cabeça e, a partir dele, comecei a trabalhar em outra dinâmica e a compor o arranjo. É uma música especial por justamente centralizar essa questão do feminino e o que isso consequentemente nos traz", explica Marina. 


Já "Baião de Clavinet", como revela o título, faz referência ao popular gênero musical nordestino, porém misturado com outros estilos. "Eu gosto muito de baião, então comecei a estudar a estrutura do gênero. A partir daí fui trabalhando em cima disso, porém eu trouxe outras influências durante o processo, como o funk americano, por exemplo", diz Marina. 


A música tem participação de Jedias Hertz, companheiro de Marina. "Eu ouvi o som e disse, 'nossa, essa música está parecendo um funk. Por que não coloca um clavinet ou, de repente, um outro piano?'", diz Jedias. "Com esta sugestão, vimos que fazia sentido, finalizamos a música e fizemos a letra depois", completa Marina.  


Uma das características de "Caótico Jazz Tropical" é a mistura entre melodias feitas no ambiente digital, em softwares de computador, com a produção orgânica dos instrumentos musicais. 


Embora as músicas de Jedias e Marina sejam lançadas de forma separada, em dois perfis nas plataformas de streaming, os trabalhos dos artistas se completam. "É como se fossem braços do nosso duo", explica Jedias. "Caótico Jazz Tropical", de Marina Silva, será lançado em dezembro, enquanto Hertz já prepara o seu disco para o início de 2021. Marina participa em diversas faixas no álbum de Jedias e vice-versa. Assim, forma-se  Jedias Hertz & Marina Silva, que se apresentam juntos há mais de um ano em saraus e shows na cidade de Rio Claro. 


Ouça o single em sua plataforma preferida


Ficha Técnica

Baião de Clavinet

Arranjo, produção, execução instrumental digital e voz por Marina Silva

Conceito e letra por Jedias Hertz e Marina Silva

Gaita: Jedias Hertz

Fixos e Fluxos

Arranjo, produção, execução instrumental digital e voz por Marina Silva

Letra por Maria Rita de Cássia Leonardo

Mixagem, Masterização e capa por Jedias Hertz


Siga nas redes sociais

Instagram: @a.marina.silva

Facebook: @jediasemarina


Sobre Marina Silva

Marina Silva é artista de Rio Claro (SP) e iniciou seus estudos musicais ainda na adolescência, quando aprendeu a tocar bateria. Desde 2018, incentivada por seu parceiro Jedias Hertz, tem atuado profissionalmente na carreira musical. Os dois tocam juntos há mais de um ano e, antes da pandemia, organizavam saraus em Rio Claro. 

"Caótico Jazz Tropical" é o álbum debute de Marina e traz diversas influências do jazz e da MPB, junto com temas que extrapolam o existencial e chegam até esferas críticas e sociais.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo