ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

7/01/2020

Música indígena, rock e jazz: Projeto Secretos Macacos divulga álbum de estreia Experimental Jazzcore Jungle


Obra instrumental  tem influências de Pink Floyd, Hermeto Pascoal, Led Zeppelin e Frank Zappa


Rock, jazz e música instrumental. Estes são elementos do álbum de estreia do Projeto Secreto Macacos, intitulado Experimental Jazzcore Jungle. A banda é natural da capital paraense e mistura a música indígena com influências de Pink Floyd, Hermeto Pascoal, Beastie Boys e Frank Zappa.


O grupo utiliza instrumentos como banzeiro, kalimba e pau-de-chuva, que são artefatos percussivos provenientes da região norte do Brasil, ao decorrer de todo o álbum. Na ocasião, nove faixas integram a obra - incluindo os singles (Des)ajuste e Na Cara Dura.  

O guitarrista Fábio Viana frisa que a banda visou quebrar paradigmas no espectro da música instrumental. Segundo ele, “isso ocorre à medida que transmitimos elementos natureza. Em Torónoise, por exemplo, representamos um percurso entre as gotículas de uma chuva fina ao estrondo de uma tempestade” 

Além de Fábio, a banda também é formada pelos músicos Thales Campêlo (baixo), Rodrigo Jorge (bateria) e Jacob Franco (teclados, banzeiro, ganzá, kalimba, tambor de trovão, percussão e samplers). Em atividade desde 2009, o quarteto ainda obtém o EP homônimo Projeto Secreto Macacos (2013) no catálogo. 

Arte da capa por Thales Campêlo 

   .Setlist
   1.Monga
   2.Torónoise
   3.Pride Monkey
   4.Skagorilla
   5.(Des)ajuste
   6.Na cara dura!
   7.Tribalcore
   8.Guerilla
   9.1206

Ficha Técnica
Projeto Secreto Macacos é: Fábio Viana (guitarra e violão), Thales Campêlo (baixo), Rodrigo Jorge (bateria e pad de percussão) e Jacob Franco (teclados, banzeiro, ganzá, kalimba, tambor de trovão, percussão e samplers)
Participação especial: Julio Padro - teclados em Na Cara Dura e (Des)ajuste
Obra gravada em Hey Ho Studio (Belém, Pará)
Mixagem e masterização: Rodrigo Jorge 
Gravadora: Xaninho Discos

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo