LightBlog
>

ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

12/17/2019

Os 4 principais benefícios de saber perder


Escritor Antoine Abed, na obra Ensaio Sobre a Crise da Felicidade, mostra a importância de evitar enfrentamentos desnecessários e focar no que realmente importa

Resiliência é a palavra do momento. Em meio aos desafios diários e a frenética transformação na sociedade, uma pessoa resiliente consegue suportar a dor que a vida impõe diariamente e desenvolver maior equilíbrio emocional durante situações de estresse. Mas, será que devemos sempre ser resilientes?

Para o professor, filantrópico e escritor Antoine Abed, a resposta é talvez. Em seu livro Ensaio Sobre a Crise da Felicidade, o autor dedica um capítulo ao conceito de saber perder, como complemento à resiliência. Segundo Abed, há momentos em que é preferível desviar de determinadas situações ao invés de enfrentá-las.

Somos livres o suficiente para perder e, mesmo assim, ter a capacidade de mudar/nos adequar a fim de acumular experiências que nos tragam sucesso no futuro. (Pág. 52)

Conheça mais sobre esta perspectiva com os quatro principais benefícios de saber perder e focar no que realmente importa. 

1. Evitar a dor e o sofrimento
Antever uma situação crítica que está prestes a ocorrer é uma forma de evitar problemas iminentes, dos quais não há mais saída para resolver. É preferível reconhecer o momento certo para desviar de situações desagradáveis e focar sua caminhada no desenvolvimento das virtudes.

2. O importante não é o agora
O conceito de saber perder é entender que o urgente talvez não seja tão importante e precise ser resolvido imediatamente. Tudo é uma questão de escolha. Por vezes, é preferível perder algo a virar refém da dor. 

3. Ficar no controle da situação 
A pessoa que está disposta a perder é parte ativa de uma negociação na tentativa de controlar uma situação que não lhe favorece. Não aceita passivamente as forças externas que o pressionam e busca sempre encontrar a melhor saída possível.

4. Perceber o timing do fato
É preciso compreender que, na resiliência, não há mais o que possa ser negociado e evitado; o indivíduo não é mais o senhor das suas atitudes. Já quem sabe perder permanece no comando, o que garante a sua individualidade e liberdade.

Ensaio Sobre a Crise da Felicidade, publicado pela Editora Albatroz, é um resgate às antigas reflexões filosóficas, que muito ensina sobre como lidar com os desafios da vida e viver com menos sofrimento. E um destes caminhos é desviar de certos problemas ao invés de enfrentar todas as situações críticas que se apresentam.

Sinopse do livro: Por que temos a sensação de que sempre falta algo em nossas vidas? Parece que não conseguimos nos encaixar nas diversas possibilidades existentes de como viver. Atualmente, constatamos a grande quantidade de pessoas, de diferentes idades, perdidas e sem rumo, que vivem de forma automática, sem propósito e objetivo definido. O que aconteceu com a geração atual? O autor identifica uma crise da sociedade contemporânea, fazendo uma reflexão sobre como vivemos e, com a ajuda de Bauman, Epicuro e outros pensadores, apresenta-nos uma crítica aos valores atuais. Desenvolve, ainda, a ideia do "Saber Perder", que, em sua visão, é a virtude necessária para o indivíduo contemporâneo seguir sua trajetória sem perder o foco do que realmente é importante.

Ficha Técnica:
Título: Ensaio Sobre a Crise da Felicidade
Autor: Antoine Abed
ISBN-10: 8571450080
ISBN-13: 978-8571450080
Editora: Editora Albatroz
Páginas: 84 páginas
Formato: 21 x 14 
Preço: R$19,90
Link para compra: http://bit.ly/livroAA

Sobre o autor: Antoine Abed é presidente fundador do Instituto Dignidade, filantrópico, empreendedor e estudante de Filosofia. Atuou como professor voluntário na África do Sul, Quênia e Nepal, desenvolvendo a educação, saúde pública e infraestrutura local. Aos 35 anos de idade, descobriu uma paixão, o montanhismo. Já coleciona alguns cumes na América do Sul e Havaí, porém sua grande conquista foi em 2018, quando alcançou o Everest Base Camp, no inverno.

1 comentário:

  1. Nobre colega Carmen, algumas de suas dicas literária deveria ser livro de cabeceira de muita gente.

    Um forte abraço

    ResponderEliminar

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo