LightBlog
>

ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

10/22/2019

Catálogo do 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão será lançado com atividades abertas ao público


No dia 24/10, o MAM São Paulo fará debate com autores do catálogo da exposição e conversa sobre livro da artista Vânia Medeiros no espaço expositivo

Na quinta-feira, 24/10, o Museu de Arte Moderna de São Paulo contará com uma programação dedicada a dois lançamentos muito especiais: o catálogo do 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão e o livro Caderno de Campo, da artista Vânia Medeiros.

Às 19h, no auditório Lina Bo Bardi, Júlia Rebouças, curadora do 36o Panorama Sertão e Felipe Chaimovich, curador do museu, debatem com a jornalista Fabiana Moraes e o pesquisador Rondinelly Medeiros, interlocutores importantes no desenvolvimento do projeto da exposição e autores de textos que integram o catálogo.

O catálogo do 36º Panorama é constituído por um ensaio curatorial, um texto-obra de Mabe Bethônico, um poema de Severina Branca, os ensaios de Fabiana Moraes e Rondinelly Medeiros e textos em primeira pessoa na voz de cada artista. A curadoria recebeu relatos sobre as trajetórias, as obras e o contexto de cada artista e, a partir desse conteúdo, editou o texto final. A publicação evidencia, assim, o caráter experimental e o processo necessário de consideração de contextos, oralidades e diferenças que o 36o Panorama apresenta. 

Antes do debate, às 17h, Vânia Medeiros estará junto a Kethlyn Fonseca, colaboradora da publicação Caderno de Campo, conversando com o público no espaço expositivo do museu, na sala Milú Villela, onde está instalada a obra Caderno de Campo. Resultado de um processo colaborativo com trabalhadores da construção civil de São Paulo e profissionais do sexo de Salvador, a obra se origina do convite a sete profissionais de cada uma dessas áreas para que desenhassem sua rotina de trabalho durante um mês em cadernos.

A conversa marca o lançamento do segundo Caderno de Campo produzido por Vânia Medeiros – o primeiro, já esgotado, resultado da colaboração com trabalhadores da construção civil de São Paulo, foi lançada no contexto do projeto Contracondutas. Neste volume, cada série de desenhos das profissionais do sexo de Salvador traz um texto de apresentação de cada uma das colaboradoras, além de um texto de Vânia, refletindo sobre o processo.

Em seguida, no restaurante do museu, acontece o lançamento de catálogo e livro. Todas as atividades são gratuitas, com inscrições pela plataforma eventbrite (http://bit.ly/Catalogo36Panorama), sujeitas à lotação dos espaços.

O 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão conta com o patrocínio máster de Água AMA, o patrocínio da Movida Aluguel de Carros e o apoio da Flytour.

Sobre os participantes

Fabiana Moraes (Recife, 1974. Vive entre Recife, Caruaru, Japaratinga e Katmandu) é professora da Universidade Federal de Pernambuco. Jornalista e doutora em Sociologia, tem pesquisas acadêmicas e reportagens voltadas para a questão da hierarquização social através de filtros midiáticos (celebrificação, pobreza) e da relação entre jornalismo e subjetividade. É vencedora dos prêmios Esso, Petrobras de Jornalismo, Embratel, Cristina Tavares e Comissão Europeia de Turismo. Lançou cinco livros: Os Sertões (Cepe, 2010), Nabuco em Pretos e Brancos (Massangana, 2012); No País do Racismo Institucional (Ministério Público de Pernambuco, 2013); O Nascimento de Joicy (Arquipélago Editorial, 2015); Jormard Muniz de Britto - professor em transe (Cepe, 2017).

Felipe Chaimovich (Santiago do Chile, 1968. Vive em São Paulo) é doutor em filosofia pela Universidade de São Paulo (1998) e tem pós-doutorado em filosofia pela mesma Universidade (2000). É curador do Museu de Arte Moderna de São Paulo desde 2007. É autor de textos sobre crítica, História da Arte e instituições culturais no Brasil em publicações internacionais. No MAM São Paulo, foi curador do 29º Panorama da Arte Brasileira do Museu de Arte Moderna de São Paulo (2005), do Festival Internacional de Jardins do MAM no Ibirapuera (2010), dos Encontros de Arte e Gastronomia (2012), do Museu Dançante (2015), de O impressionismo e o Brasil (2017) e de MAM 70: MAM e MAC-USP (2018).

Júlia Rebouças (Aracaju, 1984. Vive entre Belo Horizonte e São Paulo) é curadora, pesquisadora e crítica de arte. É curadora do 36o Panorama da Arte Brasileira: Sertão, Museu de Arte Moderna de São Paulo, em 2019. No mesmo ano, realiza a curadoria de Entrevendo, mostra antológica de Cildo Meireles, no Sesc Pompeia – SP, junto com Diego Matos. Foi co-curadora da 32a Bienal de São Paulo, Incerteza Viva (2016). De 2007 a 2015, trabalhou na curadoria do Instituto Inhotim, Minas Gerais. Colaborou com a Associação Cultural Videobrasil, integrando a comissão curadora dos 18o e 19o Festivais Internacionais de Arte Contemporânea SESC_Videobrasil, em São Paulo. Foi curadora adjunta da 9a Bienal do Mercosul, em Porto Alegre, em 2013. Realiza diversos projetos curatoriais independentes, dentre os quais destacamos a exposição Entrementes, da artista Valeska Soares, na Estação Pinacoteca, São Paulo, de agosto a outubro de 2018, a mostra MitoMotim, no Galpão VB, São Paulo, de abril a julho de 2018 e Zona de instabilidade, com obras da artista Lais Myrrha, na Caixa Cultural, São Paulo, em 2013. Graduou-se em Comunicação Social/ Jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco (2006). É Mestre e Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal de Minas Gerais.

Kethlyn Fonseca (Belém do Pará, 1986, vive em Salvador) é profissional do sexo, faz parte da Associação de travestis, transexuais, transgêneros e demais pessoas trans em ação de Salvador. Foi criadora do curso de reforço escolar do ENCCEJA, para pessoas LGBTQI+. Atualmente faz formação no curso Trans-Forma, da ONU.

Rondinelly Gomes Medeiros (São Mamede, PB, 1986. Vive pra lá e pra cá, entre Curitiba-PR e São Mamede) é mestre em Estudos Literários e doutorando em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná. Pesquisa os modos de vida e pensamento no sertão e é ativista pela convivência com o semiárido.

Vânia Medeiros (São Mamede, PB, 1986. Vive pra lá e pra cá, entre Curitiba-PR e São Mamede) é mestre em Estudos Literários e doutorando em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná. Pesquisa os modos de vida e pensamento no sertão e é ativista pela convivência com o semiárido.

SERVIÇO:
Lançamento do catálogo do 36º Panorama da Arte Brasileira: Sertão e do segundo volume de Caderno de campo, de Vânia Medeiros
Local: Museu de Arte Moderna de São Paulo
17h sala Milú Villela | conversa com Vânia Medeiros e Kethlyn Fonseca
19h auditório Lina Bo Bardi | debate com Júlia Rebouças, Felipe Chaimovich, Fabiana Moraes e Rondinelly
Medeiros
21h restaurante | lançamento de livro e catálogo
Endereço: Parque Ibirapuera (av. Pedro Álvares Cabral, s/nº - Portões 1 e 3)
Telefone: (11) 5085-1300
Entrada gratuita
Inscrições pelo eventbrite (http://bit.ly/Catalogo36Panorama)
Sujeito à lotação da sala 

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo