ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

9/01/2019

Implantação de escolas militares pelo estado será proposta aos municípios, após lançamento de Frente Parlamentar

Frente Parlamentar Pela Criação de Escolas Militares no Estado de São Paulo foi lançada nesta sexta (30)-Amanda Paulo/AKM Comunicação 

O estado de São Paulo ganhou mais uma aliada para poder oferecer educação de qualidade para as crianças e jovens do ensino público. A Frente Parlamentar Pela Criação das Escolas Militares no Estado de São Paulo foi lançada na noite desta sexta-feira (30), em evento ocorrido na Assembleia Legislativa (Alesp). O presidente do grupo, que tem como objetivo estudar a melhor forma de implementar o modelo em São Paulo e apresenta-lo aos municípios paulistas, é o deputado estadual Tenente Coimbra (PSL).

As escolas cívico-militares são instituições que contam com militares da reserva atuando na administração e no sistema de disciplina. Nesse modelo, a qualidade do ensino é comprovada em altas notas obtidas no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Enquanto nas escolas tradicionais a média é de 4,94, nos colégios militares o índice chega a 6,99. Das vinte melhores escolas públicas do país, quatro são militares.

O Tenente Coimbra explicou que existem três modelos: o do Exército, em que 70% das vagas são destinadas aos filhos de militares e 30% abertas ao público - este modo já seria instalado a partir do ano que vem no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo (CPOR/SP) e a partir de 2021 no Campo de Marte em parceria com o município, Secretaria da Educação e Ministério da Educação, pois é uma das promessas do presidente Jair Bolsonaro.

Outro modelo é, por exemplo, o Colégio PM Cruz Azul que atende diversos policiais militares, mas é particular. Já o terceiro modo é a gestão compartilhada, que acontece em escolas estaduais que tem problemas de indisciplinas, vandalismo e tráfico de drogas. “Essa gestão compartilhada tem a finalidade de identificar pontualmente os colégios que têm essa necessidade e fazer um trabalho conjunto na parte disciplinar”, pontuou o parlamentar. “É importante ressaltar que a parte pedagógica permanece com os professores. Os militares não interferem nesta questão”, completou.

O deputado estadual Tenente Coimbra preside a Frente Parlamentar-Bruno Vinicius/AKM Comunicação

O capitão do Exército Brasileiro e fomentador dos simpósios sobre escolas cívico-militares, Davi Lima, apresentou dados nacionais sobre o assunto e ressaltou que a implantação das escolas militares não é uma medida impositiva. “É fundamental que o diálogo com a comunidade seja constante. Não se trata de um projeto impositivo e sim voluntário”, disse.

Patrick Tranjan, assessor parlamentar da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, falou sobre o programa Escola Mais Segura que busca reforçar a segurança em unidades de ensino estaduais por meio da Polícia Militar, empregando policiais de folga e adquirindo novas viaturas para o programa Ronda Escolar.

A iniciativa é dividida em quatro eixos: medida de segurança (parceria da Secretaria da Educação com a Polícia Militar - inteligência e força policial); organização escolar (pensar em normas e procedimentos que minimizem a possibilidade como, por exemplo, o caso de Suzano e Carapicuíba); convivência (trabalhar para que o clima e a convivência entre estudantes e a equipe escolar seja mais harmoniosa); e responsabilização (estudante e familiares que depredarem a escola deverão ser responsabilizados). “O programa envolve uma parceria entre a educação e segurança pública. A gente precisa pensar em um sistema protetivo para o nosso estudante, pois a partir do momento em que nós o tratamos bem, a Polícia Militar tem o seu trabalho auxiliado também”, afirmou.

Ernesto Puglia Neto, Coronel da Reserva da Polícia Militar de São Paulo e secretário executivo da Defenda PM, também compôs a mesa diretora do evento e explicou que esse projeto dentro da escola é semelhante ao trabalho da Polícia Comunitária e que pode diminuir diversos tipos de crimes no interior e fora da escola. “Além disso, o aluno passa a ser um agente de mudança para toda a comunidade”, encerrou.

No fim do evento, o Tenente Coimbra recebeu ainda um documento com assinaturas solicitando a instalação de uma escola militar de integrantes do Movimento Conservador de Taubaté, no Vale do Paraíba.

Também estiveram presentes no lançamento da Frente Parlamentar o coronel Sérgio Moron Chiarelli, representando os Tiros de Guerra; os deputados estaduais Leticia Aguiar, Castello Branco, Major Mecca e Douglas Garcia; o Coronel Mauro, assessor de relações institucionais do Colégio Militar do Estado de São Paulo; o Cabo Anderson, do Proerd de Peruíbe; entre outras autoridades, grupos de apoio e membros da sociedade civil.

Crédito-Bruno Vinicius/AKM Comunicação

Cerca de 100 pessoas acompanharam o lançamento da Frente Parlamentar
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

HOMENAGEM A ROBERTO LEAL

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil