ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

9/04/2019

3 procedimentos inovadores para tratar varizes e vasinhos que surgem nas pernas


Apesar de não possuírem cura definitiva, principalmente para pessoas que têm predisposição genética à doença, as varizes devem ser tratadas para evitar que evoluam para condições mais sérias, como trombose.

São Paulo – 03/09/2019 - Temidas por muitos, as varizes são causa de grande desconforto estético. Mas a interferência estética não é o único problema causado pelos vasinhos, visto que são sinais de que algo não vai bem com a sua circulação. E, apesar de poderem ser prevenidas, para quem tem predisposição, a condição aparecerá mais cedo ou mais tarde. “Isso por que as varizes, veias dilatadas e tortuosas que perderam sua função, são uma doença crônica, ou seja, que levamos para o resto da vida, principalmente devido ao fato de possuírem a genética como principal fator preponderante para o seu desenvolvimento”, explica a cirurgiã vascular e angiologista Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Mas, apesar de não possuírem cura, as varizes devem ser tratadas para que não evoluam para condições mais sérias, o que hoje já pode ser feito sem a necessidade de cirurgia devido aos inovadores procedimentos que vêm surgindo para dar fim à condição. Confira abaixo alguns desses novos tratamentos:

ClaCs – Indicado para varizes e microvarizes, o Clacs une laser não-invasivo e injeções de glicose. “Após a utilização do laser, a glicose é aplicada na veia que já está sensibilizada pelo disparo da luz. Com o laser, o fluxo de sangue fica lentificado, permitindo assim que a glicose permaneça mais tempo em contato com o vaso, secando-o”, afirma a angiologista. “A grande vantagem desse procedimento é o fato de conferir resultados mais rápidos do que a aplicação convencional de glicose e requerer pouco tempo de recuperação sem exposição solar, sendo necessários apenas sete dias no total.” Além disso, o Clacs possui menor taxa de manchas e de complicações e também não causa alergias, podendo ser realizado até mesmo em pacientes diabéticos. Geralmente, três sessões com intervalo mensal entre cada uma delas são suficientes para resolver o quadro de varizes.

Clafs – Ideal para o tratamento de varizes calibrosas e áreas com uma grande quantidade de vasinhos, o Clafs, de acordo com a Dra. Aline, trata o problema através da aplicação do laser transdérmico seguida da injeção de espuma de baixa potência. “A espuma de baixa potência é menos agressiva, o que ameniza as chances de formação de manchas no pós-procedimento”, destaca a médica. O tratamento também é excelente para paciente que possuem vasinhos muito antigos e em grande quantidade, justamente por não ser um método tão agressivo, além de possuir menor taxa de complicações.

Solon V – Indicado para o tratamento de vasos sanguíneos e de hiperpigmentações pós-procedimento, o Solon V une três tecnologias exclusivas para tratar todos os tipos de vasos, desde os pequenos até os mais calibrosos. “Enquanto o laser ND:Yag 1064nm MultiStation é ideal para tratar vasos mais calibrosos e profundos, a luz pulsada Expert Light possibilita o tratamento de microvasos e vasos pequenos e superficiais. De uma forma geral, essas tecnologias provocam uma lesão térmica somente na parede de dentro da veia, que é absorvida pelo organismo, pois não passa mais sangue por ela”, explica o Dr. Marcelo Zanoni, cirurgião vascular. “Já o laser Vektra QS é indicado para o tratamento de manchas da pele, dermatite ocre e pigmentos de melanose, que pode ser associado ao tratamento dos vasos, clareando manchas no mesmo procedimento.” De acordo com o médico, o grande benefício dessas tecnologias em uma mesma plataforma é reunir vários métodos que, juntos, possam chegar em um resultado muito melhor que antigamente e com menos efeitos colaterais.  Para resultados satisfatórios, a média de sessões varia entre três e quatro sessões com intervalo mensal entre cada uma. “E as três tecnologias ainda podem ser associadas a técnicas de espuma e aplicação líquida chegando em uma fórmula ideal para tratar o vaso especificamente de acordo com sua característica”, finaliza o Dr. Marcelo.

Fontes:
Dra. Aline Lamaita - Cirurgiã vascular e angiologista, Dra. Aline Lamaita é membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia, do American College of Phlebology, e do American College of Lifestyle Medicine. Formada pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, a médica participa, na Universidade de Harvard, de cursos de pós-graduação que ensinam ferramentas para estimular mudanças no estilo de vida nos pacientes em prol da melhora da longevidade e qualidade de vida. A médica possui título de especialista em Cirurgia Vascular pela Associação Médica Brasileira / Conselho Federal de Medicina. http://www.alinelamaita.com.br/

LMG – A Laser Medical Group é uma empresa experiente e transparente que atua e conhece o mercado nacional e tem, como objetivo, trazer soluções inovadoras à classe médica. Este segmento foi escolhido porque o sucesso no resultado dos tratamentos com os pacientes é o reflexo dos anos de estudo, comprometimento e respeito pela saúde.  Portanto, trata-se de uma empresa realmente comprometida com esta classe, que trabalha constantemente para aumentar o escopo de tratamentos já realizados e melhorar a desempenho dos já existentes. www.lmglasers.com.br
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

HOMENAGEM A ROBERTO LEAL

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil