ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

7/02/2019

Magnésio taurato: potenciais benefícios cardiovasculares e anti-hipertensivos


O papel da taurina e do magnésio na suplementação nutricional é apontado em estudos observacionais, devido a sua ação anti-hipertensiva e na saúde cardiovascular.

O magnésio é um mineral que possui diversas funções bioquímicas, sendo as principais relacionadas a proteção neural e cardiovascular. A taurina, por sua vez, é um aminoácido que atua no processo de remodelação cardíaca, promovendo a excreção celular de sódio e água, regulando a entrada de cálcio no órgão, protegendo o coração contra a ação dos radicais livres e atuando também como anti-hipertensivo. No músculo esquelético, é capaz de evitar lesões musculares, além de auxiliar no tônus muscular. Quando utilizada na nutrição esportiva, a taurina pode maximizar a recuperação no pós-treino e minimizar o risco de inflamação e lesões musculares.

Mais especificamente, o magnésio taurato é um suplemento resultado da complexação do magnésio à taurina. Juntos, potencializam seus efeitos à medida que são capazes de modular o perfil lipídico, exercer efeito anti-hipertensivo e diminuir o risco de aterosclerose. Em estudo de Katakawa et al. (2016), os autores avaliaram os efeitos da suplementação com magnésio taurato na função de células endoteliais progenitoras (que ajudam a restaurar o tecido endotelial dos vasos) e na modulação do estresse oxidativo em humanos saudáveis e ratos hipertensos. Durante duas semanas, os indivíduos receberam 3g de taurina/dia ou 340mg de magnésio/dia; os animais receberam, por quatro semanas, solução contendo 3% de taurina e/ou dieta rica em magnésio (600mg/100g). Os resultados mostraram que a suplementação com magnésio e taurina aumentou, significativamente, as colônias de células progenitoras, além de ter reduzido a concentração de radicais livres nos animais avaliados.

Outro estudo mais recente, com animais, aponta para o papel cardioprotetor e anti-hipertensivo do magnésio taurato em ratos albinos intoxicados por cloreto de cádmio (contaminante ambiental capaz de intoxicar seres humanos a partir de fontes industriais, de alimentos e da fumaça de cigarro). Ao longo de duas semanas, o magnésio taurato foi administrado (2mg e 4mg/kg/dia) aos animais e os resultados apontaram para o restabelecimento da pressão arterial, de antioxidantes presentes no miocárdio e no nível de malonaldeído a níveis significativos, em comparação ao grupo controle.

Tendo em vista as evidências apontadas pelos estudos, o magnésio taurato é um potencial suplemento com ação anti-hipertensiva a ser explorado, em razão de sua atividade antioxidante. Ele também possui atuação neuroprotetora complementar ao sistema cognitivo e, ainda, com importantes benefícios ao sistema cardiovascular.

*Fonte: Caroline Guerreiro – nutricionista consultora da Naiak – CRN 56034

Sem comentários:

Enviar um comentário