ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

4/16/2019

Será que não existem verdades absolutas?


Friedrich Nietzsche afirmava que "não há fatos eternos, assim como não há verdades absolutas", para ele a verdade seria apenas uma ilusão

Em seu pensamento, Nietzsche afirmava que a veracidade das coisas é uma enganação que tomamos como valor e serve para manter nossos corpos “adestrados”, já que ela é aquilo que trava as ações do ser humano e pontua os julgamentos que define o que vale a pena ser levado a sério.

A exatidão dos fatos é, também, aquilo que equivale ao fruto de sua vontade de potência, ou seja, de seu impulso em exercer poder, viver e em agir sem a submissão às regras morais. Isto é, a verdade é uma imposição daqueles que exercem poder. O autor diz, em sua obra "Sobre Verdade e Mentira no Sentido Extra Moral", que a verdade é aquilo que nasce para viver em sociedade, disseminar a paz, e assim, evitar a guerra de todos contra todos no estado natural humano.

Nietzsche, com tal obra, faz crer o quão efêmero é o conhecimento humano se comparado ao tamanho do mundo, a mísera duração dessa criação se comparada com os milênios do universo, e como é banal o intelecto do homem quando posto frente a frente com a natureza.

Então, para ele, o intelecto é apenas um meio de afirmação dos mais fracos, ou seja, é através do uso da inteligência que os “menos robustos, se conservam", e em sua falsidade, usa do intelecto para se manter na disputa, e manter acesa a sua chama de vaidade que ele administra como ‘verdade’.

Neste sentido, fixa-se o que é a verdade, ou seja, uma designação uniforme e a partir deste momento obrigatória das coisas, aparecendo necessariamente o contraste entre verdade e mentira. Mas Nietzsche entoa que o homem só poderá supor que existe uma verdade através do esquecimento do que já lhe foi posto como conhecimento, pois as palavras são somente convenções.

No livro “A Reação Adversa do Caos”, escrito pela estudante de cinema de animação Stephanne Says, em sua primeira edição pela Editora Coerência, retrata a história de Luna, uma garota que foi expulsa da escola e, desde então, vive isolada. Ela odeia Nietzsche por conta da sua afirmação sobre não existirem verdades absolutas, pois todos precisam de alguma coisa na qual acreditar.

Mas, depois que encontra uma pedra que veio do espaço, um cara de outro planeta a leva embora da Terra, e ela, que era tão cheia de certezas, começa a ficar cheia de dúvidas. Tudo que era verdade para ela, até então, vira um emaranhado de mentiras e confusão, e ela passa a concordar mais com a ideia do Nietzsche sobre não existirem verdades absolutas. 

Ficha Técnica: 
Título: A Reação Adversa do Caos 
Edição: 1° - 2019
Autora: Stephanne Says
Páginas: 484
Preço:40,00

Sobre a autora: Stephanne Says nasceu em 1994 em Campina Grande, PB, mas atualmente mora em São Paulo, onde estuda Cinema de Animação na FAAP. Queria ser astronauta, mas como é muito de humanas, então resolveu viajar para o espaço por meio dos livros. Quando não está escrevendo, está falando sobre signos no Instagram. Morre de medo de altura e de andar de avião, mas ama viajar e confirmar que sua única certeza é que da vida não sabe de nada.

Sem comentários:

Enviar um comentário