ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

4/18/2019

De Esposa Dedicada A Benzedeira Mais Requisitada Da Capital Paulistana

A benzedeira com seu eterno amor, o artista plástico Sebastiano de Luca

Por: Tâmara Oliveira Santana

A abençoadeira, Maria Eliza de Luca de 62 anos nunca imaginou que a mãe e esposa dedicada se transformaria em uma benzedeira muito solicitada e respeitada na capital do Estado de São Paulo onde mora há 25 anos.

Nascida no bairro do Rio Comprido no Rio de Janeiro, a carioca juntou-se  aos 20 anos com o conceituado artista plástico italiano residente no Rio de Janeiro, Sebastiano de Luca, um escândalo para a época, já que seu companheiro, tinha 52 anos quando resolveram morar sob o mesmo teto sem oficializarem a relação. Eliza teve quatro filhos: Anna Túllia, Gabriela, Giuliana e Enrico de Luca, com o homem que ela garante ter sido seu primeiro, único e grande amor com quem viveu por mais de 40 anos.

A oficialização da união só veio acontecer em São Paulo no dia 15/03/1997, data escolhida por Eliza e a filha Anna Túllia para casarem simultaneamente, porém logo após a oficialização dos dois casamentos da família Luca, as noivas ao invés de saírem para a recepção saíram juntas com seus respectivos maridos e alguns  convidados para o hospital, já que Anna Túllia grávida de 9 meses sentiu ainda no cartório as contrações de seu primeiro e único filho, Gabriel que nasceu naquele mesmo dia, levando a família Luca a estourar mais uma garrafa de champanhe Bollinger para comemorar tamanha alegria no bendito 15 de março de 1997.

Entre uma benzida e outra com galho de arruda e colônia seiva de alfazema, Eliza, ou melhor Tia Eliza como é chamada pelos frequentadores mais assíduos da Capelinha de Santo Antônio de Categeró, fala como tudo começou, nessa história de vida  que conta com apoio do ex  apresentador de tv, humorista  e escritor Jô Soares.

Após falência - Sebastiano foi forçado a fechar seu renomado atelier em um charmoso bairro do Rio de Janeiro, Eliza se viu obrigada a assumir as rédeas financeiras da família, vendendo quentinhas/marmitex para fora. Com empenho, muita luta, se esforçava para cuidar dos filhos, das “pilhas” de dívidas, e da depressão do marido inoficial que ao decorrer do tempo se agravava ainda mais. 

Perto de serem despejados do imóvel onde moravam no Leblon, a benzedeira, resolveu escrever uma carta para o apresentador Jô Soares, detalhando o trabalho como artista plástico de seu companheiro. Para sua surpresa, dias após escrever a carta e ficar em dúvida para onde enviar, Eliza recebe a visita de sua irmã Vera, que foi até sua casa toda contente contar-lhe que havia acabado de conseguir um emprego no prédio onde o afamado Jô Soares tinha uma cobertura  naquele tempo. “Quando ela contou nem esperei ela acabar, já fui logo entregando-lhe a carta  e disse  para ela fazer o possível e impossível para enfiar a carta debaixo da porta do Jô”, relembra Eliza com um sorriso saudoso no rosto.

A guinada tão esperada na vida da família Luca acontece quando a equipe de produção do programa de Jô Soares envia um telegrama ao esposo de Eliza. Sebastiano é convidado a participar do show televisivo Jô Soares Onze e Meia no SBT. Após dias da exibição da atração com o artista plástico italiano sendo entrevistado por Jô Soares, um mecenas paulistano entra em contato com Sebastiano e o convida a trabalhar em São Paulo. No prazo final para serem despejados do imóvel no Rio de Janeiro, o patriarca do clã Luca sem pestanejar aceita o convite e muda com toda a família para São Paulo, não sabendo ele que a mudança de cidade não só mudaria o rumo de sua família mas como também a de muitas outras.

Como esposo afável, Sebastiano decide presentear a esposa muito católica  com uma pequena capela na área externa de sua casa localizada na Rua Conde de São Joaquim na localidade de Bela Vista. Naquele pequenino e aconchegante espaço fora colocado a imagem do Santo Antônio de Categeró,  presente de um padre amigo da família, que salientou que aquela imagem do santo africano  levado como escravo para Itália é uma das poucas no Brasil.

Pouca não é a quantidade de gente que tia Eliza benze diariamente em sua capela, presente de seu saudoso esposo. Ao conhecer dona Dina uma  senhora sensitiva que há vinte anos ajuda Tia Eliza na limpeza espiritual dos frequentadores da capela, Eliza tomou consciência  do seu dom de benzer, e desde então tia Eliza benze diariamente centenas de pessoas que as procuram com todos os tipos de problemas: da unha encravada do pé a pessoas depressivas que tem em mente o suicídio ou já tentaram tirar a própria vida. “Aqui na capelinha você encontra do juiz ao catador de latas, todos recebem o mesmo tratamento, sentam no mesmo tipo de cadeira”, diz Eliane Silva, funcionária pública que confessa ter procurado a benzedeira em um período muito caótico em sua vida. “Sabe aquele momento que o peso nas costas é tamanho que você não dá mais conta? Procurei esse anjo na terra chamado de tia Eliza, após tentar tirar minha própria vida com remédio de tarja preta, passei dois dias na UTI e quando sai do hospital minha amiga me trouxe aqui, há mais de dois anos  venho em tia Eliza, e hoje posso dizer que vejo o colorido da vida graças ao apoio e o benzimento  de tia Eliza”, ressalta Eliane Silva.

Atualmente um grupo de profissionais de distintas áreas trabalha com afinco para transformar em ONG, a Capela de Santo Antônio de Categeró, onde tia Eliza atende de segunda à domingo precisamente a partir das 16h. A benzedeira nada cobra para benzer quem a procura, além de benzer ajuda os mais necessitados com apoio, como comida, teto para ficar por um tempo, fazendo assim a  rede da solidariedade humana. “Tia Eliza é um presente dos céus para a cidade de São Paulo”, fala o artista plástico Marco Rossi amigo de longa data da benzedeira que atende cidadãos de diferentes etnias, credos, nacionalidades, classe social, opção sexual...

Pessoas famosas também procuram o suporte de Eliza, entre estas cita-se a modelo e Ex- Miss São Paulo (2003) , Juliana Volpini que no auge da fama, teve severa sequela em consequência da anorexia, que além de deixa-la abaixo do manequim zero, desenvolveu uma doença rara que levou-a a perder todo o cabelo, e a comprometer sua locomoção pelo baixíssimo peso. “A Juliana ficou um bom tempo morando aqui em casa, tínhamos uma rotina de muita oração diariamente, banhos com ervas, idas a missas aos domingos, foi um tratamento que a fé se fez presente em cada segundo. Ela chegou aqui só osso andando com extrema dificuldade”, relembra a benzedeira que comemora ao ver a ex modelo recuperada andando com desenvoltura e relatando sua história em programas de tv em nível nacional. “O cabelo ainda não voltou, mas para o corpo carne e osso que Juliana chegou, ela está bonita novamente, há muito o que comemorar” ressalta Eliza abrindo um riso de contemplação.

Quem dúvida que essa mulher, de voz ativa, corpo robusto, bisavó da pequena Helena de três anos de idade que já se intitula substituta futura da bisavó no benzimento, é de fato um ser celestial chamado Maria Eliza de Luca?

Aos interessados tia Eliza lembra que uma vez ao mês na Capela de Santo Antônio de Categeró há missa celebrada pelo Padre Francisco, a próxima acontece no dia 28/04/19 às 18h.

SERVIÇOS:
Capela Santo Antônio de Categeró
Rua Conde de São Joaquim, 349- Bairro: Bela Vista Cidade: São Paulo/SP – Brasil
Benzimento com Eliza (Tia Eliza)  segunda a domingo das 16h às 21h 

 
Helena de Luca já anunciou que será a substituta da bisavó, amigas inseparáveis

A cantora Sol e a modelo e ex Miss São Paulo (2003) 
Juliana Volpini, fãs incondicionais da benzedeira

A Fé ultrapassando continentes: Um grupo de familiares da cidade de Beihai/China 
lançando mão do benzimento de Tia Eliza.

Sebastiano de Luca - Jo Soares 11 e meia

3 comentários:

  1. Tia Eliza é abençoada e maravilhosa com todos que precisam de ajuda espiritual para continuar em terra e mostrar aos inimigos que a maldade pode ser destruída... Ela é um prêmio em nossas vidas evitou que eu cometesse suicídio... Parabéns pela matéria que reconhece com sabedoria a importância que Tia Eliza tem em nossas vidas...

    ResponderEliminar
  2. Tia ELiza e uma luz que Deus pos em minha vida gratidão sempre a ela e é a deus em primeiro lugar grata

    ResponderEliminar
  3. Tia Eliza entrou em minha vida em uma hora desesperadora, uma pessoa única, grandiosa, uma mãe para todos que vão a procura de paz, amor, carinho, colo, sabedoria, saúde do corpo, mental e espiritual, ela ajuda muitas pessoas de perto e de longe, a fé dela é inabalável, eu sou muito grata por ter a senhora em minha vida e orgulhosa por tudo que a senhora faz por mim e por muitas pessoas, muito obrigada por tudo tia, que Deus continue te abençoando com muita saúde e essa alegria de viver feito menina, eu te amo tia, fica com Deus :)

    ResponderEliminar