ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

4/24/2019

Como usar o design como ferramenta de lucratividade para seu negócio


*Eduardo Lopes

Para muitas pessoas, a palavra design é apenas sinônimo de um produto bonito, sem necessariamente ser útil ou relevante. Porém, o design vai muito além: está no comando de idealizar a concepção de uma marca, produto ou serviço e torná-la utilitária. Quando bem executado, o design pode revolucionar indústrias e a sociedade como um todo -- inclusive as empresas, é claro.

Estes foram alguns dos insights levantados durante o Brasil Design Awards, maior premiação do setor no país. Uma pesquisa inédita da McKinsey apresentada no evento possibilitou materializar o valor do design para os negócios, mostrando que é, ou deveria ser, mais do que uma “boa intenção”, se tornando prioridade para a alta gerência, a fim de direcionar crescimento e desempenho a longo prazo em uma organização.

Segundo a consultoria, um dos principais pontos para atingir o sucesso é escutar os consumidores por meio de canais de comunicação, pois eles são a principal fonte na hora de desenvolver ou criar um produto ou serviço. O levantamento aponta um erro crucial da indústria: 40% das empresas entrevistadas não envolvem os usuários finais durante seu processo de desenvolvimento.

Outro aspecto importante na hora de tornar o design rentável para sua empresa é investir na jornada do consumidor. O cliente é o centro de todo o processo e sua experiência com seu produto ou serviço precisa estar atrelada com a necessidade de compra. Na pesquisa, quando líderes foram questionados a informar a maior fraqueza de sua empresa relacionada ao design, uma resposta que chama a atenção: apenas 8% reconhecem a necessidade de começar o desenvolvimento de um produto ou serviço com uma pesquisa feito com usuários e não diretamente com as especificações do produto.

Obviamente o design de qualidade traz benefícios comerciais, não é preciso ser um especialista para entender isso. Ainda assim, muitas empresas ainda têm dificuldade em brifar suas equipes com o que precisam. Pouco mais de 50% dos líderes entrevistados admitiram que não têm uma maneira objetiva de avaliar um projeto ou definir metas dos produtos e serviços que o time de design precisa criar.

Analisando o mercado por esse prisma, é interessante destacar o desempenho das startups, que mostram tomar decisões melhores por meio da inovação e aprendizado interativo. Tecnologias novas como a inteligência artificial são caminhos poderosos para desvendar novas técnicas e acessar os consumidores de forma rápida e analítica. Inovar para criar pode ser a chave para se tornar mais rentável.

Muitas grandes organizações acreditam que encontraram a fórmula do sucesso e que “copiar e colar” as especificações de um design que já deu certo para sua nova versão é o caminho, o que é um erro comum: as ânsias e objetivos dos usuários mudam e as companhias precisam aprender a acompanhar esse ritmo e propor mudanças no status quo de seus negócios.

Infelizmente, o design ainda não é avaliado como deveria ser, ou seja, como uma ferramenta importante para a lucratividade dos negócios, mas também com a função de fidelizar e encantar consumidores. Sempre há uma função, um objetivo muito além do estético. Tudo é design em mil formas diferentes, de um produto a um serviço e, entender esse valor agregado é sim sinônimo de estar à frente no mercado.

* Eduardo Lopes é diretor de marketing da Printi

Sobre a Printi
A Printi entrou na indústria gráfica brasileira em 2012, com o intuito de quebrar o status quo de falta de transparência e eficiência no processo de customização de produtos impressos. Para isso, conta com as mais modernas ferramentas do setor de Web2Print que simplificam e agilizam o complexo processo de encomenda de materiais personalizados. Desde a sua chegada no mercado, a Printi tem se atualizado constantemente e segue inovando para atender públicos do mais variados perfis e segmentos: desde pessoas físicas, passando por empreendedores, pequenos e médios empresários até grandes corporações e multinacionais. Saiba mais: https://www.printi.com.br/.

Sem comentários:

Enviar um comentário