ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

3/25/2019

Apuramento para o Europeu-2020 - Portugal mais um empate (1-1)


Muitos portugueses ficaram decepcionados com a exibição e consequente resultado (0-0) no confronto que Portugal teve com a Ucrânia. Numa competição com estas características é sempre importante vencer em casa e, sobretudo, no que respeita à jornada inaugural. 

Mesmo atuando no nosso país, Portugal tinha, nesta segunda-feira, dia 25, outra "pedreira" pela frente, concretamente a Sérvia. Um jogo que só a vitória interessava. Empatar ou mesmo perder, já começava a complicar as contas no que concerne ao apuramento. E é bom não esquecer que Portugal é o campeão em título, conseguido em 2016 em terras de França.

O PORTUGAL - SÉRVIA -  E ainda não eram decorridos cinco minutos de jogo, a escassos metros da baliza dos sérvios, William Carvalho perde uma flagrante oportunidade de golo. E como um mal nunca vem só, na resposta um contra-ataque rápido da Sérvia e Rui Patrício a derrubar um adversário e o árbitro a assinalar a respectiva grande penalidade (convertida). Incrível, mas o futebol tem destas coisas. E Portugal já estava a perder, facto que começava a ser preocupante, apesar do incentivo do público que se deslocou ao estádio da Luz.

Evidentemente que Portugal procurava a todo o transe o golo da igualdade. E veio mais uma oportunidade que Rafa Silva rematou fraco, permitindo o desvio do guarda-redes para canto. A verdade, porém, é que não se podem perder oportunidades como esta e como foi a que protagonizou William Carvalho.

Portugal viu-se privado da continuidade de Cristiano Ronaldo, ao que supomos com uma rutura muscular, substituído  por Pizzi. E a verdade, nua e crua, é que a Sérvia estava incomodando Portugal, acicatada no golo que apontou logo no início da partida por via de uma indiscutível grande penalidade.

Mas sempre aparece um lampejo individual. E assim foi. Danilo pegou na bola correu uns bons metros e desferiu um portentoso remate sem hipóteses para o guarda-redes da Sérvia. Exatamente o que estava faltando a Portugal, ou seja, o rematar fora da grande área. Temos que acabar com os "rodriguinhos".

O SEGUNDO - TEMPO -  Este período era aguardado com natural expectativa, sobretudo em relação à prestação de Portugal. O empate pouco ou nada servia, depois do que aconteceu no esgrimir com a Ucrânia (1-1). Mas há que dizer que Portugal reentrou no jogo sem a consentânea velocidade. Muita lentidão na transposição do jogo defesa-ataque. 

Fernando Santos, aos 57 minutos, fez entrar André Silva para o lugar de Diego Souza, o brasileiro naturalizado português e que atua no Sporting de Braga. Verdade seja dita que Diego Souza apareceu pouco no jogo. Mas, de jogo, no coletivo, Portugal também esteve de novo uns furos abaixo do que pode e sabe. Verdade, verdadinha. 

Só a 8 minutos para o termo da partida (sem os descontos), Fernando Santos fez entrar Gonçalo Guedes para o lugar de Rafa. Não terá pecado por tardia esta alteração?

E, em casa, Portugal com mais um empate. Por este caminhar, não vamos lá.

Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

1 comentário:

HOMENAGEM A ROBERTO LEAL

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil