ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

1/21/2019

Dispositivos de saúde podem acarretar riscos para a segurança cibernética, alerta Kaspersky Lab


As principais ameaças cibernéticas que atingem os dispositivos de saúde podem ser divididas em três tipos: aquelas que violam a privacidade dos dados, as que comprometem a integridade destes e as que atacam sua disponibilidade

São Paulo, janeiro de 2019 – Durante a Consumer Electronics Show (CES) deste ano, mais de 500 empresas apresentaram soluções inovadoras para diagnosticar, monitorar e tratar doenças, bem como avanços nos cuidados médicos e gadgets que permitem o monitoramento da saúde em tempo real. No entanto, alguns ainda deixam as informações médicas e de pacientes disponíveis online e sem proteção adequada, permitindo que sejam acessados por qualquer pessoa, inclusive um cibercriminoso.

O uso de tecnologia em saúde está aumentando e muitas empresas desenvolveram dispositivos inteligentes, desde produtos de monitoramento remoto até soluções de diagnóstico e tecnologia avançadas, cujo objetivo é promover o bem-estar dos usuários. No entanto, as ciberameaças também aumentaram à medida que os fabricantes desenvolveram dispositivos mais conectados e aplicativos vulneráveis.

As principais ameaças cibernéticas que atingem os dispositivos de saúde podem ser divididas em três tipos: aquelas que violam a privacidade dos dados, as que comprometem a integridade destes e aquelas que atacam sua disponibilidade. Os pesquisadores da Kaspersky Lab descobriram alguns ataques contra dispositivos médicos chamados de man-in-the-middle, que permite ao cibercriminoso ter um canal aberto entre o sensor e o serviço que reúne os dados; acesso local ou remoto ao armazenamento de informações; substituição de dados já  armazenados ou transmitidos, roubar a identidade da vítima ou realizar um ataque de ransomware – em que os dados do usuário são criptografados ou excluídos.

A necessidade de obter eficiência nos custos e recursos médicos tem incentivado os desenvolvedores e as instituições médicas a usar os sistemas de informação para processar dados, o que levou ao surgimento de novos tipos de equipamentos tecnológicos e dispositivos pessoais que podem ser usados para interagir com sistemas e redes tradicionais que, se não tiverem as medidas de segurança necessárias, estarão vulneráveis aos cibercriminosos.

"As pessoas podem perceber que esses novos desenvolvimentos trazem inúmeros benefícios, como prevenção de doenças, melhoria no estilo de vida, economia em visitas ao médico, entre outros, mas raramente param para pensar onde estão enviando seus dados, quem os armazena e que uso é dado a eles", alerta Dmitry Bestuzhev, diretor da equipe de pesquisa e análise para a América Latina da Kaspersky Lab. "Além disso, temos que pensar também o quão vulneráveis não só as informações de pacientes, mas também os dados técnicos da equipe médica podem estar no momento em que uma pessoa está recebendo tratamento, uma vez que os centros de saúde também estão conectados à internet. Nos últimos anos, vimos um boom no desenvolvimento de dispositivos médicos conectados; no entanto, o nível de segurança desses equipamentos não se desenvolveu ao mesmo tempo."

Para usuários de um dispositivo médico conectado, a Kaspersky Lab faz as seguintes recomendações:

• Avalie se realmente é necessário determinado equipamento e se ele oferece um benefício real para sua saúde;

• Verifique a reputação do fabricante antes de comprar o dispositivo;

•Altere a senha de fábrica imediatamente e modifique-a periodicamente;

•Use uma solução que permita procurar vulnerabilidades em dispositivos inteligentes conectados à rede,  como o Kaspersky Smart Home e IoT Scanner para Android, que analisa a rede doméstica, lista os dispositivos conectados e aponta as vulnerabilidades comuns de cada um deles;

•  Não vincule o dispositivo com suas redes sociais. Caso estas sejam violadas, elas podem deixar o dispositivo vulnerável;

• Leia as condições de uso e ter conhecimento de onde seus dados estão armazenados.

Sobre a Kaspersky Lab
A Kaspersky Lab é uma empresa internacional de cibersegurança que tem mais de 20 anos de operações no mercado. A detalhada inteligência de ameaças e a especialização em segurança da Kaspersky Lab se transformam continuamente em soluções e serviços de segurança da próxima geração para proteger empresas, infraestruturas críticas, governos e consumidores finais do mundo inteiro. O abrangente portfólio de segurança da empresa inclui excelentes soluções de proteção de endpoints e muitas soluções e serviços de segurança especializada para combater ameaças digitais sofisticadas e em evolução. Mais de 400 milhões de usuários são protegidos pelas tecnologias da Kaspersky Lab, e ajudamos 270.000 clientes corporativos a proteger o que é mais importante para eles. Saiba mais em www.kaspersky.com.br.
Rosemeire Barbosa- Estúdio Azul

Sobre a autora

Rosemeire Barbosa- Estúdio Azul - Natural e residente na cidade de Piracicaba, interior de São Paulo, formada em Magistério pela E.E.S.G. “Sud Mennucci” com habilitação para exercer a profissão de professora em 1996. Aprovada no Concurso Público de prova e Títulos para provimento de emprego de Professor do Ensino Fundamental em 14 de janeiro de 1999. Em 1 de fevereiro de 2001, foi contratada pela Prefeitura Municipal de Piracicaba, na pasta da Secretaria da Educação com habilitação para alunos do 1º ao 5º ano. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

GALERIA DA LUSOFONIA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil