ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

12/12/2018

Implementação da BNCC é desafio para escolas no próximo ano


Base Nacional Comum Curricular passa a ser obrigatória em 2020

Aprovada pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) em 15 de dezembro de 2017, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) passa a ter a implementação obrigatória a partir de 2020. Organizada pelo Ministério da Educação (MEC), trata-se de um documento que determina as aprendizagens essenciais para os estudantes matriculados nos segmentos de educação básica no Brasil.

A organização e promulgação de uma base nacional está prevista na Constituição Federal de 1988, na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) de 1996 e no Plano Nacional de Educação (PNE) de 2014. Depois de passar por revisões, o texto aprovado da BNCC estabelece os parâmetros de aprendizagem desde a Educação Infantil até os anos finais do Ensino Fundamental, fazendo com que as escolas do país precisem adaptar seus currículos para atender às novas exigências.

Para João Puglisi, Gerente Editorial do Sistema Maxi de Ensino, “o desafio maior das escolas é fazer com que seus professores apliquem, na prática, as mudanças previstas no novo documento, principalmente nas questões ligadas às habilidades socioemocionais”.

Presente em mais de 600 escolas em todo o Brasil, o Sistema Maxi de Ensino preparou um novo material didático, já alinhado à perspectiva de educação integral do aluno proposta pela BNCC. “A pedagogia afetiva, proposta pedagógica do Maxi, sugere aos alunos uma abordagem que envolve o autoconhecimento, a autonomia, bem como o exercício da responsabilidade e da convivência ao longo do processo de aprendizagem. Essas características já compunham o material didático por nós trabalhado, mas que foram ainda mais aprofundadas no novo material com vistas ao atendimento das exigências da BNCC”, ressalta Puglisi.

Para que o desafio seja superado mais facilmente, o Sistema Maxi de Ensino antecipou já para o próximo ano letivo a distribuição do novo material didático para todas as escolas que usam o Sistema Maxi de Ensino já no próximo ano letivo.

Aprendizagem equiparada

A BNCC determina quais objetos de conhecimentos e habilidades devem ser apresentados em cada segmento e série. Além dos conteúdos e habilidades, também são apresentadas competências específicas de cada área do conhecimento. O alinhamento das escolas às recomendações previstas no documento não implica em mudanças no projeto pedagógico. As instituições educacionais permanecem com autonomia para continuar seguindo seus parâmetros de aprendizagem.

A única questão trazida pelo texto é a de que os conteúdos não podem ser postergados para depois do ano no qual foram indicados na BNCC. O respeito aos princípios e orientações asseguram a promoção de uma educação igualitária entre os alunos brasileiros, garantindo que todos tenham acesso a um mesmo conteúdo mínimo na mesma faixa etária.

Sem comentários:

Enviar um comentário