ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

3 de novembro de 2018

Violas de Arame de Portugal e do Brasil encontram-se em S. Martinho das Amoreiras

Haverá violas e tocadores do Alentejo, Minho, Beira Baixa, Madeira, Açores e de Minas Gerais, no Brasil


O 8º Encontro de Violas de Arame, que contará com violas de todo o continente e ilhas e ainda do Brasil, vai decorrer na Casa do Povo de S. Martinho das Amoreiras, concelho de Odemira, nos dias 10 e 11 de Novembro.


A iniciativa tem o objetivo de valorizar e preservar a Viola de Arame Portuguesa e é organizada pelo Centro de Valorização da Viola Campaniça e do Cante de Improviso.
«Pretende-se que esta seja uma ação importante de resgate e dignificação da cultura regional, destinada a todos os músicos, etnógrafos e curiosos que manifestem interesse pela música tradicional», explicam os organizadores.


O encontro contará com a presença da Viola Campaniça (Alentejo), Viola Braguesa (Minho), Viola Beiroa (Beira Baixa), Viola de Arame (Madeira), Viola da Terra (Açores) e Viola Caipira (Minas Gerais/Brasil), dedilhadas por Pedro Mestre e Carlos Loução, José Barros, Ricardo Fonseca, Vítor Sardinha, Bruno Bettencourt e Chico Lobo, respetivamente.


A forma espontânea como estas violas “dialogam” permite perceber a sua origem popular comum e as diferenças que lhe foram sendo introduzidas pelas comunidades que as utilizam. Dos bailes de roda às festas religiosas, passando pelos despiques, as violas de cordas de arame são o instrumento popular tradicional de eleição.


A presença destes tocadores – todos excelentes intérpretes – é uma oportunidade não só para apreciar a sonoridade mas também a história das suas violas.
As Conversas vão estar em destaque, protagonizadas pelos músicos/tocadores intervenientes, bem como alguns investigadores convidados, nomeadamente Ivan Vilela (Instrumentista e Professor na Universidade de São Paulo, Brasil), Salwa Castelo-Branco (Professora e Etnomusicóloga do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança da Universidade Nova de Lisboa), Domingos Morais (Professor/Etnomusicólogo do IELT – Instituto de Estudos de Literatura Tradicional da Universidade Nova de Lisboa) e Manuel Morais (Musicólogo e Professor Associado Jubilado da Universidade de Évora).


Para completar o programa de sábado, no dia 10, haverá o espetáculo “Violas de Arame Concerto”, às horas, no Centro Social de Amoreiras-Gare, com entradas gratuitas.
No dia 11 de Novembro serão realizadas Oficinas, primeiro com os construtores de Viola Campaniça, Daniel Luz, Orlando Trindade e Fábrica de Cordofones Arte & Música, e depois dedicadas a cada uma das Violas presentes no encontro.


As inscrições para as oficinas deverão ser feitas através do email violasdearame@gmail.com


O Encontro de Violas de Arame terminará, às 16 horas de dia 11, com uma sessão de Cante de Improviso: Despique e Baldão, acompanhado à Viola Campaniça, na Taberna do Lagar, S. Martinho das Amoreiras, seguindo-se um Magusto.
Durante os dois dias poderá ser visitada uma Exposição de Cordofones, na Casa do Povo de S. Martinho das Amoreiras, que dará o devido destaque à Viola Campaniça.




in-www.sulinformacao.pt
Alda Jesus

Sobre a autora

Alda Jesus - Doutorada em Robertologia Aplica e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES
clique na imagem para ver os perfis