ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

10 de abril de 2018

Pesquisa revela novos aspectos sobre a supercondutividade e fenômenos correlacionados


Descoberto acidentalmente há mais de um século, o fenômeno da supercondutividade continua a prometer formidável revolução tecnológica. Foi em 1911, ao estudar o comportamento do metal mercúrio quando resfriado à temperatura de 4 K (-269 °C), que o físico holandês Heike Kamerlingh Onnes (1853-1926) observou, pela primeira vez, a propriedade que alguns materiais possuem de conduzir a corrente elétrica sem resistência nem perdas, nas vizinhanças do zero absoluto.

Na década de 1980, houve um renovado interesse pelo assunto quando se obteve experimentalmente a supercondutividade em temperaturas bem mais altas, da ordem de 90 K (-183 °C). Esse número foi superado posteriormente. E, hoje, a expectativa de supercondutividade em temperatura ambiente motiva pesquisas em várias instituições científicas de vanguarda.

É nesse contexto que se insere um estudo realizado pelo Grupo de Física do Estado Sólido da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Rio Claro. O trabalho, coordenado por Valdeci Pereira Mariano de Souza, reuniu pesquisadores da Unesp e da Université Paris Sud, na França. Os resultados foram obtidos em Rio Claro, com equipamentos adquiridos com apoio da FAPESP.

Artigo sobre a pesquisa foi publicado na revista Physical Review B e o texto integral pode ser lido também em https://arxiv.org/pdf/1801.00626.pdf.
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES
clique na imagem para ver os perfis