ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

9/10/2013

30.º Bate-papo entre Roberto Carlos e eu - Amiga





Por: Armindo Guimarães
Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins
Facebook
https://www.facebook.com/armindo.guimaraes


AMIGA


8 de Março de 2009, domingo, 17,42
O meu telemóvel toca.
(música E por isso estou aqui do novo CD "Inesquecível" do maestro Eduardo
Lages).
Chamada anónima.
E eu atendo.

ROBERTO – Oi, Mindo! Tudo jóia, bicho?
ARMINDO – Outra vez, pá? Ainda há dias me telefonaste e já me estás a telefonar outra vez? O que é que se passa, carago?!
ROBERTO – Cê não quer que eu telefone pra você, é?
ARMINDO – Ó Berto, deixa-te de coisas, pá! Sabes bem que por mim era todos os dias, pá! Mas tens que concordar comigo que quando a esmola é grande o pobre desconfia. Eheheheheheh
ROBERTO – eheheheheh Bicho, estava neste momento falando com Carminha sobre meu próximo show em Cachoeiro de Itapemirim e foi então que de repente eu me lembrei que hoje é o Dia Internacional da Mulher e então me lembrei de telefonar pra você.
ARMINDO – Ó Berto, estás no gozo comigo, pá? Hoje é o Dia Internacional da Mulher e por isso lembraste-te de me telefonar? Ai, ai, ai!
ROBERTO – Mindo, eu telefonei pra você mas não foi por causa do Dia Internacional da Mulher, ou melhor, foi por causa do Dia Internacional da Mulher mas não foi por causa de você.
ARMINDO – eheheheheh Ó Berto já reparaste que em duas frases disseste a mesma coisa, pá? Eheheheheh
ROBERTO – Bicho, cê até me confunde, mora! Eu me lembrei do Edu, pronto!
ARMINDO – Do Edu? Eheheheheh Que eu saiba tu é que és bendito o fruto entre as mulheres. Eheheheheh
ROBERTO - Bicho, me conta aí: O Edu não tá pedindo em seu blogue pros fãs darem ideia de músicas para seu próximo CD, cara?
ARMINDO - É como dizes, pá! E olha que o gajo já tem lá no blogue uma série de sugestões que a malta lhe deu. Mas a que propósito é que estás a falar nisso, carago?
ROBERTO – Cê sabe que Edu é meu amigo do peito, mora! Então eu me preocupo sempre com suas iniciativas, torcendo pra que tudo dê certo. E olha que o “Inesquecível” foi barra limpa, viu?!
ARMINDO – Sim. E depois?
ROBERTO – E depois, como hoje é Dia Internacional da Mulher, eu me lembrei que você poderia ir lá no blogue do Edu e sugerir pra ele incluir em seu próximo CD a música “Amiga” que é muito legal, mora! Que é que cê acha, Mindo?
ARMINDO – Ó Berto, a “Amiga” é o delírio, mas eu tenho a impressão que se sugerisse essa música ao Eduardo Lages o gajo vinha logo dizer que a música é linda se nela estiver incluída a tua voz e que sem ela não tem a mesma sonoridade. Enfim aquelas coisas técnicas que se o Edu diz que é, é porque é. Por isso…
ROBERTO – Bicho! Cê não vá em toda conversa do Edu, viu?! Edu às vezes só complica, mora! Onde já se viu “Amiga” não ter cabimento num arranjo do gajo, digo, do cara?
ARMINDO – Ó Berto, já que estás com tanta coisa, porque é que não sugeres tu essa música ao Edu, carago?
ROBERTO – Olhe, aí cara! Eu sei que você é portuga, mas pensei que apesar disso você fosse suficientemente perspicaz pra topar que não ficaria bem eu sugerir pro Edu música minha, né?
ARMINDO – Tens razão, pá! Excepto naquela do “apesar disso”. eheheheheh
ROBERTO – Cê sabe que eu sempre tenho razão e também que eu sempre gosto de pegar com você. eheheheheh
ARMINDO – És um malandro do carago!
ROBERTO – Mindo, vou passar meu celular pra Carminha, viu?! Ela quer dizer pra você uma coisa, bicho!
CARMINHA – Oi, Armindo! Como vai você?
ARMINDO – Olá, Carminha! É um prazer e uma honra estar a falar com a secretária do Roberto.
CARMINHA – Eu também estou muito contente por finalmente estar falando com você pois sou fã de seus bate-papos com o Roberto, sempre os seguindo com interesse e me rindo demais com eles.
ARMINDO – Fico contente por saber isso, mas eu apenas me limito a transcrever tudo o que falamos nos bate-papos.
CARMINHA – Pois. Mas acontece que da maneira como você faz essas transcrições tudo parece ser fantasia. Eheheheheh
ARMINDO – eheheheheh
CARMINHA – Armindo, o Roberto se lembrou de “Amiga”, pro novo CD do Edu e eu disse pra ele que a ideia era bem bacana, mas tem muitas outras músicas cantadas pelo Roberto para vários tipos de mulheres e que bem poderiam ser sugeridas ao Edu. E olhe que são tantas!
ROBERTO – São tantas mas a Carminha pode dizer pra você toda elas de cor. Você só tem que dizer se quer pelo ano em que foram gravadas, ou se quer por ordem alfabética. Eheheheheheh
ARMINDO – eheheheheheh Ó Berto, disso eu não me admiro, pá! Todo mundo sabe que a Carminha é uma secretária excepcional e é por isso que eu digo que por trás do Roberto está uma grande mulher, que é a Carminha.
CARMINHA – Mindo, obrigado pelas palavras. Cê é muito simpático!
ROBERTO – Carminha, o Mindo está sendo simpático com você porque hoje é o Dia Internacional da Mulher. Eheheheheh
CARMINHA – Que nada! O Armindo é jóia. Voltando às muitas músicas cantadas pelo Roberto dedicadas à mulher, você quer que lhe diga algumas?
ARMINDO – É claro que gostaria de saber, pois assim de repente confesso que não me lembro de nenhuma.
ROBERTO – Carminha, pergunte pro Mindo se quer que você diga as músicas por ano de edição ou por ordem alfabética. Eheheheheh
CARMINHA – eheheheheh Armindo, o Roberto é sempre assim quando está batendo papo com você, sabe? Eu até já disse pra ele que devia telefonar pra você todos os dias. Eheheheheheh
ARMINDO – Todos os dias não digo, mas podia ser dia sim, dia sim. Eheheheheh
CARMINHA – Armindo vou dizer pra você algumas músicas por ordem alfabética, tá legal?
ARMINDO – Está bem.
CARMINHA - A distância, Acróstico, Ai que saudades da Amélia, Amada amante, Amapola, Amor sem limite, Ana, Arrasta uma cadeira, Café da manhã, Cheirosa, Coisa bonita, Desabafo, Detalhes, Eu sei que vou te amar, Fera ferida, Garota de Ipanema, Índia, Lady Laura, Lígia, Malena, Mais uma vez, Mulher de 40, Mulher pequena, Não quero ver você triste, Negra, O charme dos seus óculos, O show já terminou, Outra vez, Pra sempre, Promessa, Recordações e mais nada, Rosinha, Rosita, Se eu não te amasse tanto assim, Símbolo sexual, Sinto muito minha amiga, Sua estupidez, Susie, Tereza da praia, Ternura, Você é linda.
ARMINDO – Ena, pá! Tantas!
ROBERTO – Carminha, não esqueça que o Edu em seus quatro CD que gravou até hoje, em todos eles ele sempre lembra da mulher. Dessas que você falou, me estou lembrando que ele gravou Eu Vou Sempre Amar Você, A distância, Amada amante, O show já terminou, Desabafo e Detalhes
CARMINHA – Tudo bem, Roberto. Mas veja quantas ele ainda pode escolher além de “Amiga”.
ROBERTO – É mesmo, Carminha! Mas o Mindo bem que pode sugerir ao Edu não só “Amiga”, mas todas as outras que ainda não gravou.
CARMINHA – Pôxa, Roberto! Se o Armindo for no blogue do Edu sugerir todas as músicas que eu aqui falei, isso vai o deixar meio biruta sem saber qual escolher. Eheheheheh
ROBERTO – Era do baril, digo, era demais! Eheheheheh
ARMINDO – eheheheheh Maestro sofre!
CARMINHA – Como uma vez disse o Armindo, se vocês não tivessem sido inventados, vocês tinha que existir! Eheheheheh
ROBERTO – Carminha, por você falar agora em inventados, me está preocupando uma coisa.
CARMINHA – Que coisa, Roberto?
ROBERTO – O Mindo vai no blogue do Edu sugerir “Amiga”, mas é claro que não vai dizer que fui eu o autor da ideia. Simplesmente vai no blogue normalmente e pra disfarçar até sugere outras músicas minhas. Tô falando bem, Carminha?
CARMINHA – Roberto, cê tá falando bem, mas não estou vendo onde possa estar o motivo de sua preocupação.
ROBERTO – Cê não tá vendo o que me está preocupando, Mindo?
ARMINDO – Ó Berto, se a Carminha que sempre está atenta a tudo e vê o que mais ninguém vê, não está a ver o que te possa preocupar, eu muito menos, pá!
ROBERTO – Cês se estão esquecendo que quando este bate-papo for publicado, o Edu logo vai ler e ver que a ideia de sugerir “Amiga” foi minha e não do Mindo.
ARMINDO – É do carago, pá!
ROBERTO – Carminha, por falar no Edu, você já avisou ele que próxima Quarta-feira dia 11 temos reunião de trabalho?
CARMINHA – Já avisei ele, sim!
ROBERTO – Tô até imaginando ele na reunião me dizendo: Roberto, se você queria sugerir pro meu novo CD uma música sua, não precisava de pedir ao portuga pra sugerir por você.
ARMINDO – eheheheheh É do baril!
ROBERTO – Olhe aí, cara! Cê ao invés de arrumar uma saída pra minha preocupação, se está rindo?
ARMINDO – Ó Berto, quantas vezes tenho que te lembrar que para todos os efeitos todos os nossos bate-papos, incluindo este, são pura ficção?
ROBERTO – Eu sei isso, bicho! E sei que você até põe sempre no final aquela frase que diz que o texto que acabaram de ler é fictício e que qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência. Porém, não esqueça que esse aviso serve pra todo mundo menos pro Edu que tem participado muitas vezes em nosso bate-papos e como tal tá farto de saber que tudo que você escreve é verdadeiro. Por isso…
CARMINHA – Se acalmem, meninos. Se acalmem! Mulher tem sempre solução pra tudo!
ROBERTO – Me vai dizer pro Mindo não publicar este nosso bate-papo? Nem pense nisso, Carminha! Cê sabe que desde o número 1 é ponto assente que bate-papo falado tem que ser publicado.
ARMINDO – Ó Berto, até rimou carago! Eheheheheh
ROBERTO – Bicho, você sempre se rindo, carago, digo, caramba!
CARMINHA – A ideia não é essa, Roberto. O Armindo publica normalmente nosso bate-papo, só que desta vez ele não coloca a tal frase que você falou. Desse jeito todo mundo irá pensar que o Armindo apenas se esqueceu de colocar a frase e o Edu irá pensar que se trata de um bate-papo fictício, caso contrário o Armindo teria posto a frase. Toparam?
ROBERTO – Genial, Carminha!
ARMINDO – Tão brilhante ideia só podia surgir de uma mulher! Mas agora quem está preocupado sou eu, carago!
CARMINHA – Qual é o problema, Armindo?
ARMINDO – O problema é que se eu publicar este nosso bate-papo sem a habitual frase de que tudo é fictício, arrisco-me a que o Roberto mova uma acção judicial contra mim, processando-me por publicar falsos bate-papos com ele.
ROBERTO – eheheheheh
CARMINHA – Armindo, como sua fã eu seria sua testemunha nesse processo, né? Eheheheheh
ROBERTO – Puxa vida! Como se não bastasse o Edu sempre defendendo esse portuga, agora também minha secretária, é?
ARMINDO – eheheheheh
ROBERTO – Bicho, vamos terminar nosso bate-papo, tá legal?
CARMINHA – Roberto, você me desculpe mas não podemos terminar bate-papo tão gostoso sem nos despedirmos como deve ser, viu?
ROBERTO – Como deve ser?
CARMINHA – Cantando os três “Amiga”. Eheheheheh
ARMINDO – Boa ideia, Carminha!
ROBERTO – Puxa vida! Agora todo bate-papo tem que terminar com a gente cantando, é?
CARMINHA – Roberto, se deixe de moleza e vamos cantar com o Armindo, tá? Já estou pondo aqui a música pra acompanhar nosso coro. Eheheheheh

ROBERTO-CARMINHA-ARMINDO

Amiga, perdoa se eu me meto em sua vida
Mas sinto que você vive esquecida
De se lembrar que tudo terminou

Amiga, o pano se fechou no fim do ato
Você não aceitou da vida o fato
Que desse caso nada mais restou

Aquele por quem você se desespera e chama
Por quem você procura em sua cama
Na realidade a muito te esqueceu

Esqueça, refaça a sua vida urgentemente
Que o tempo passa e um dia de repente
A gente chora o tempo que perdeu

Amigo, eu te agradeço por sofrer comigo
Mas tento me livrar e não consigo
De tudo que esse cara foi pra mim

Às vezes, eu penso tanto nele que me esqueço
Que qualquer dia desses enlouqueço
Por insistir num sonho que passou

Se acaso eu jogo a minha juventude à toa
Nas águas desse pranto, me perdoa
E peço o teu conselho sem te ouvir

Mas ele é tudo que mais quero e que preciso
É o ar que eu necessito e não consigo
Me sufocando se ele não está

Amiga, se quer desabafar conte comigo
Mas se você chorar choro contigo
Amigo é pra essas coisas, estou aqui

Amiga

Amigo

CARMINHA – Bem bacana, gente!
ARMINDO – Fixe!
ROBERTO – Legal! Mindo, aquele abraço pra você e pra toda a galera, viu? Sobretudo muitos beijos e abraços pra todas minhas fãs que sempre me acompanham.
CARMINHA – Armindo, beijos e abraços pra você. Gostei muito do bate-papo e vou lembrar pro Roberto pra telefonar mais vezes pra você, viu?! Você é um gajo do carago! Eheheheheh
ROBERTO – Cê já viu, Mindo! Até Carminha já tá se expressando à portuga! Eheheheheh É do baril! Eheheheh
ARMINDO – É uma brasa, mora! Eheheheh Grande abraço para os dois!
ROBERTO – Bicho! Gudvai que eu gudfico! eheheheheh

A ficção revela verdades que a realidade omite
Jassemin West

Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

HOMENAGEM A ROBERTO LEAL

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil