ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

9/01/2013

10.º Bate-papo entre Eduardo Lages e eu - A dupla Tomberto Carlos e Armindo Portuleiro




 


Por: Armindo Guimarães
Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins
Facebook
https://www.facebook.com/armindo.guimaraes



A DUPLA TOMBERTO CARLOS E ARMINDO PORTULEIRO



INTERVENIENTES:

- Ana Lúcia - Vocal
- António Wanderley - Piano
- Armindo Guimarães – Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins
- Aurino Oliveira – Sax Barítono
- Carminha – Secretária de RC
- Clécio Fortuna – Sax Alto
- Dárcio Ract - Baixo
- Dedé Marquez - Percussão
- Eduardo Lages - Maestro
- Genival Barros – Director Técnico de todos os eventos
- Ivone Kassu – Assessora de Imprensa
- João Lenhari - Trompete
- Jorge Berto - Trompete
- Jurema de Cândia - Vocal
- Luíz Carlos Ismail - Vocal
- Nahor Gomes - Trompete
- Norival D’Angelo - Bateria
- Paulinho Ferreira - Guitarra
- Roberto Carlos – O Rei
- Tutuca Borba - Teclados
- Ubaldo Versolato – Sax Tenor

23 de Fevereiro de 2011, quarta-feira, 16,20h no Brasil, 19,20h em Portugal
O meu telemóvel toca.
(Música E por isso estou aqui do CD “Inesqueível” do maestro Eduardo Lages)
E eu atendo.

EDUARDO LAGES – Armindo! Como vai você?
ARMINDO – Olá, maestro! Com você a telefonar-me só posso estar bem, mas olhe que tenho andado muito chateado pelo facto de vocês não virem este ano a Portugal.
EDUARDO LAGES – Pra lhe falar verdade, eu também estava pensando que este ano ia poder tomar um vinho com você aí na terrinha, mas com nosso Roberto tudo é imprevisível, melhor dizendo, as coisas só ficam certas mesmo quando passam pra sua agenda. Antes disso, tudo pode ser possível agora e amanhã não.
ARMINDO – O problema é que desde a última vez que vocês vieram cá, em 2006, alguns órgãos da comunicação social noticiaram o vosso regresso a Portugal. A primeira vez era para ser em 2009 e nada. Depois, anunciaram que em 2011 finalmente o Rei e a sua equipa vinham a Portugal e…
EDUARDO LAGES – Armindo, você falou dos órgãos da comunicação social que botaram falso alarme mas se esquece que você também entrou na jogada deles noticiando essas notícias em seu site e até no Portal Clube do Rei. Se recorda?
ARMINDO – Tem razão. Mas mediante notícias dessas qualquer um faria o que eu fiz.
EDUARDO LAGES – Mas é claro que sim, mas só da primeira vez. Você conhece aquele ditado que diz “à primeira quem quer cai, à segunda cai quem quer"? Da primeira vez, quando noticiaram nossa ida a Portugal em 2009, você logo foi postar essa notícia no Splish Splash e eu sabendo disso logo mandei mensagem pra você dizendo: “Armindo, previno você de uma provável notícia falsa com relação a ida do Roberto a Portugal nos próximos meses. Não conte com isso. No dia que eu tiver uma previsão eu imediatamente lhe avisarei”.
ARMINDO – Lembro-me bem desse seu aviso que muito me honrou, mas acontece que depois disso passou-se tanto tempo com vocês numa correria em shows por tudo quanto é sítio e o maestro sempre ocupado que quase nem ao seu blog ia e então quando surgiu a notícia de que o Roberto vinha a Portugal em 2011 eu pensei que com tanta preocupação e trabalho o maestro nem se lembrou de me avisar, mas vejo agora que me enganei e que por isso, a partir de agora nem que seja a presidente do Brasil a anunciar a vinda do Rei a Portugal eu só vou acreditar quando receber confirmação sua. Eheheheheh
EDUARDO LAGES – Cê já viu o que era a Presidente do Brasil anunciando a ida a Portugal do Rei do Brasil? Eheheheheh Armindo, tô aqui nos estudios da Urca com o Roberto e equipe da banda. Ele tá aí chegando e eu…
ARMINDO - O Roberto está aí?
EDUARDO LAGES – Oi, Roberto, imagine com quem tô falando em meu celular?
ROBERTO CARLOS – Não imagino nem quero imaginar. Eu não quero mais conversa com esse cara!
EDUARDO LAGES –Mas se você não imagina com quem eu tô falando como então você diz que não quer conversa com o cara?
ROBERTO CARLOS – Edu, não se faça de anjinho, bicho! Olhando em sua cara se lê em letras gordas que só pode ser o seu sócio lá de Portugal, mora!
EDUARDO LAGES – Mas então porque você não quer aproveitar pra falar com ele, Roberto?
ROBERTO CARLOS – Edu, tá na hora de dar o fora com esse portuga que passa sua vida se metendo com a gente, armando confusão em tudo quanto é sítio, se metendo até com toda nossa equipe, escrevendo isto e aquilo de nós lá em seu site, dizendo a todo mundo que está zangado comigo e com você, nos ameaçando e até, imagine, mandando seus colaboradores pra sítios que ele não pode ir por estar longe. Ano passado mandou uma repórter fotográfica pro Costa Concórdia arrumando toda aquela confusão que cê sabe, e este ano contratou um jornalista portuga que em minha entrevista coletiva foi o único que se saiu com uma pergunta tão difícil que eu nem soube responder. Pra mim ele levou a lição estudada de seu patrãozinho só pra tentar armar confusão no navio como da outra vez que meteu alarme de bomba, de incêndio e até de naufrágio, fazendo ainda o comandante dar meu nome a ponte que não existia. Nem quero lembrar!
EDUARDO LAGES – Mas que pergunta difícil fez o tal jornalista, Roberto?
ROBERTO CARLOS – Então você não sabe? Ele se dirigiu a mim, dizendo: “Roberto, me chamo Carlos Alberto, sou português vivendo no Rio há sete anos e estou aqui representando o Portal Splish Splash que tem recebido muitas mensagens de fãs portugueses querendo saber quando você vai a Portugal”.
EDUARDO LAGES – eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Edu, cê se tá rindo, é?
ARMINDO – eheheheheh Ó maestro é do baril!
EDUARDO LAGES – Palavra que não sabia disso que cê tá contando, mas me diga aí como foi que você resolveu responder pra ele não sabendo a resposta?
ROBERTO CARLOS – Lógico que estando no navio me socorri de minha tábua de salvação que estava a meu lado, o Dodi Serena a quem eu perguntei se estava alguma coisa programada pra terrinha e ele muito serenamente me respondeu dizendo que em 2012. Então, eu me virei pro portuga e lhe disse que em 2012 estaria em Portugal e que adorava os portugueses, ora, pois, pois. Eheheheheh
EDUARDO LAGES – eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Atenção, Edu! Wanderley tá vindo aí. Vai meter conversa com a gente e na certa vai topar que cê tá falando com o portuga e aí cê já sabe como é, né? Melhor você ir pensando em inventar uma boa desculpa pra ele dar o fora, bicho!
WANDERLEY – Oi, gente, tá tudo legal?
EDUARDO LAGES – Tudo bem, Banderê!
ROBERTO CARLOS – Oi, Wanderley! Pensei que você estava numa de sorvete, mora!
WANDERLEY – Vim aqui pra convidar vocês.
ROBERTO CARLOS – Melhor você ir indo, viu? Edu tá falando no celular.
WANDERLEY – E tá falando há muito tempo?
ROBERTO CARLOS – Pôxa, Wanderley, você agora anda numa de interrogatório, é?
WANDERLEY – Não é isso, Roberto. O problema é que Carminha recebeu chamada de Dona Mércia dizendo que está há um tempão tentando ligar pro Edu e o celular dele sempre dando sinal de ocupado e então eu me lembrei de vir aqui avisar o Edu. Só isso, né?!
ARMINDO – Ó maestro, o que é que se está a passar, carago?
EDUARDO LAGES – Oi, Ivoninha! Só um instante, tá?
ARMINDO - ?!?!?! Ó Mestre Maestro, você está a chamar-me Ivoninha?
EDUARDO LAGES – Banderê, minha Mércinha tentou me ligar, foi?
WANDERLEY – É isso.
EDUARDO LAGES – Tô falando com Dona Ivone Kassu, mas vou já desligar pra logo a seguir telefonar pra minha Mercinha.
ROBERTO CARLOS – Edu, se eu tivesse aqui meu celular eu o emprestava e aí você não precisa desligar essa chamada.
EDUARDO LAGES – Brigado, Roberto. Mas não ia ser possível eu falar nos dois celulares ao mesmo tempo, né?! Melhor eu desligar esta chamada.
ROBERTO CARLOS – Edu, não desligue, bicho! - Wanderley empreste seu celular pro Edu, pra ele telefonar pra Dona Mércia, tá? Eu fico falando com a Ivone Kassu enquanto o Edu fala com Dona Mércia.
ARMINDO - ?!?!?!
WANDERLEY – Pôxa! Também eu esqueci de meu celular.
ROBERTO CARLOS – Não tem problema, não! Na certa você vai conseguir um celular de alguém da equipe, né?
WANDERLEY – É isso, Roberto. Volto logo!
EDUARDO LAGES – Roberto, não tô entendo nada!
ROBERTO CARLOS – Edu, cê não ia desligar essa chamada sem que primeiro eu tivesse uma conversa com esse portuga pra arrumar com ele de vez, né?!
EDUARDO LAGES – Mas você tinha dito que não queria mais conversa com ele…
ROBERTO CARLOS – Edu, cê disse bem, cara! Eu tinha dito. Mas isso foi passado e agora nós estamos no presente, né?!
EDUARDO LAGES - ?!?!?!
ARMINDO – Ó maestro, depois o Roberto diz que quem arruma confusão sou eu. Eheheheheh
EDUARDO LAGES – Pra mim, onde estão vocês os dois está a confusão, viu? O pior é que fica sempre sobrando pra mim, pôxa!
ROBERTO CARLOS – Edu, se deixe de lamentação e me passa aí seu celular pra arrumarmos com o cara, tá legal?
EDUARDO LAGES – Roberto, eu vou passar pra você meu celular, mas arrumar com o cara só se for você. Eu não, pôxa!
ROBERTO CARLOS – E não quer você que eu diga que você e ele estão feitos, mora! Me passe seu celular, tá?
ARMINDO – Então, carago! Eu vou estar aqui feito camelo a ouvir vocês a discutirem, é?
ROBERTO CARLOS – Olhe aí portuga! Bom remédio pra seu problema é tomar muita água, viu? Tudo bem com você?
ARMINDO – Grande Roberto, carago! Por ti, em vez de água eu até bebia um vinhinho à maneira! Eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Imagino o sacrifício que seria pra você se por minha causa em vez de tomar água tivesse que tomar vinho. Bicho, deixemos os entretantos e passemos logo aos finalmente, mora! Eu tô lhe falando só pra dizer que a partir de hoje se acabam nosso bate-papos, tá legal?
ARMINDO – Não, pá! Pra mim isso de quereres acabar com os nossos bate-papos assim sem mais nem menos, é ilegal, é imoral ou engorda. Eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Cara, cê sempre o mesmo. Eu falando sério e você sempre numa de gozação, mora!
ARMINDO – Ó Roberto, eu não estou numa de gozação, como dizes, mas sim numa de brincadeirinha, o que é bem diferente.
ROBERTO CARLOS – Vai dar no mesmo, né?
ARMINDO – Ó Roberto, como é que querias que eu reagisse contigo a dizeres que vais acabar com os nossos bate-papos, como se isso fosse possível?
ROBERTO CARLOS – É possível, sim! A partir de hoje jamais teremos bate-papo, valeu?
ARMINDO – Só vale se primeiro justificares o porquê e isso eu acho que vai ser difícil pra ti, pá!
ROBERTO CARLOS – Eu penso é que você, sendo um fã como outro qualquer, tem abusado demais tirando partido de mim, se pavoneando sem jeito aos quatro ventos, reclamando por tudo e por nada, mora!
ARMINDO – Ó Roberto, agora até me fizeste lembrar a música “Você abusou”. Eheheheheh É caso para te responder, dizendo: Se o quadradismo dos meus versos, vai de encontro aos intelectos, que não usam o coração, como expressão…
ROBERTO CARLOS – Rapaz, cê tá com isso dizer que meu intelecto não usa coração, é?
ARMINDO – Nada disso, pá! Que ideia! Citando essa parte de tão belo poema do António Carlos e do Jocafi, eu quero dizer que é assim que eu sei me exprimir e é desse jeito que vais te que me gramar, ainda que não queiras. Eheheheheh
EDUARDO LAGES – Cê é do baril! Digo, cê é demais! Eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Pére aí, Mindo! Edu, o que se está passando? Todo mundo da banda tá entrando aqui se dirigindo pra nós, mora!
EDUARDO LAGES – Pôxa! Que vem todo mundo fazer pra qui!!!
WANDERLEY – Oi, Roberto! Falei pro pessoal dizendo que Edu estava precisando de arrumar um celular emprestado e aí todo mundo veio aqui de celular na mão pra dispensar pra ele.
ROBERTO CARLOS – Min…, quero dizer, Ivoninha, sobre esse assunto que cê tá falando, melhor você falar com o Edu, viu? Vou passar o celular pra ele, tá?
EDUARDO LAGES – Oi, Ivoninha! Pode dizer…
ARMINDO – Ó maestro, vocês agora combinaram chamar-me Ivoninha em vez de Armindo?
EDUARDO LAGES – Ivoninha, na verdade, esse é um assunto pertinente que todos vamos ter que estudar, pois…
ROBERTO CARLOS - Wanderley, eu disse pra você que Edu estava precisando apenas de um celular, pra não desligar a chamada que tá tendo com Ivone Kassu e poder dar uma ligada com Dona Mércia. Não eram precisos tantos celulares, mora!
WANDERLEY – Nesse caso não vai precisar nem de um celular.
ROBERTO CARLOS – Como não vai precisar?
WANDERLEY – Fácil. Ivone Kassu tá aqui com a gente. Eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Como ela tá aqui com a gente se Edu tá falando com ela pelo celular, mora?!
IVONE KASSU – Oi, Roberto, tudo bem com você? Isso também eu me pergunto, como é possível Edu estar ali falando comigo e eu aqui falando com você. Eheheheheh
CARMINHA – Roberto, não adianta disfarçar mais, viu?! Estando aqui a Ivone Kassu, todo mundo topou que Edu não estava falando com ela e que o que havia era portuga pelo meio e então todos vieram aqui pra aproveitar.
ROBERTO CARLOS – Mas aproveitar o quê, Carminha?
CARMINHA – Pra falarmos com ele, né?! Edu, se deixe de fitinha e me passe aí seu celular, viu?
EDUARDO LAGES – Já sabia que ia sobrar pra mim, pôxa! Vou começar jogando forte na loteria!!!
ROBERTO CARLOS – Carminha, fale com o cara mas seja breve, tá? Eu estava tendo aquela que vai ser minha última conversa com esse portuga que mais uma vez se prova só arruma confusão pra gente.
CARMINHA – Oi, Armindo! Que bacana a gente se falar, justo hoje que estive falando a seu respeito, viu?
ROBERTO CARLOS – E o que cê esteve falando a respeito desse cara que não interessa nem ao Menino Jesus, mora?
CARMINHA – Roberto, você me desculpe mas assim com você me interrompendo não venha depois me dizer que não estou sendo breve, tá?
ROBERTO CARLOS – Tudo bem, Carminha. Estão começando os problemas, eu sei!
ARMINDO – Olá, Carminha, é um prazer estar a falar com você. Já sei que correu tudo bem no Cruzeiro Emoções 2011, no show de Viña del Mar, e que agora todas as atenções estão viradas para o Carnaval onde mais uma vez o nosso Roberto vai brilhar na Beija-Flor.
CARMINHA – É isso aí, Armindo! Roberto não pára. Cê vem cá no Carnaval?
ROBERTO CARLOS – Carminha, o tempo tá passando, viu?!
CARMINHA – Armindo, vou passar pro Roberto, tá legal? Um beijo pra você.
ARMINDO – Outro pra si também. Adorei!
ROBERTO CARLOS – Oi, Armindo, onde nós íamos?
ARMINDO – Ó pá, vocês eram para ir a Portugal mas de repente trocaram a terrinha pela Terra Santa e por causa disso a malta…
ROBERTO CARLOS – Eu me estava referindo a nossa conversa, cara!
ARMINDO – Ah! Já nem me lembro do que é que estávamos a falar…
ROBERTO CARLOS – Mas pegando no que você acabou de dizer, isso é mais uma prova de sua precipitação, se queixando pra todo mundo de não irmos este ano a Portugal e inclusive criando um artigo intitulado “E eu a vê-los passar…”, se referindo aos navios dos Cruzeiros Emoções em Alto Mar e aos discos voadores que apareceram recentemente em Jerusalém. E com isso você colocou todos os fãs portugueses se queixando também. Mas se você soubesse por que adiamos nossa ida a Portugal e outros países da Europa, aí você falaria diferente, né?
ARMINDO – Vocês adiaram por causa desse novo Projeto Emoções em Terra.
ROBERTO CARLOS – Isso foi o que você pensou. Mas nem tudo é o que a gente pensa, sabia? E se eu dissesse pra você que a ideia de adiar nossa ida para 2012 foi justamente para levar novidade?
ARMINDO – Levar novidade? Qual?
ROBERTO CARLOS – Cê sabe que eu estou empenhado em meu novo CD, né? Então aí não preciso de dizer mais nada.
WANDERLEY – Roberto, se você não precisa de dizer mais nada, eu preciso. Me passe aí o celular só pra mandar um abraço pro portuga, tá?
ROBERTO CARLOS – Wanderley, você já não quer seu sorvete, é?
ARMINDO – Ó Roberto, sabes o que me disse a minha maninha Gutinha…
ROBERTO CARLOS – Sua maninha, Gutinha?
ARMINDO – Sim, pá! A Carmen Augusta, de Sorocaba-SP, que já esteve contigo no camarim. Ela pediu-te um beijo e tu respondeste, mil. Ela deu-te um beijo e tu disseste que faltavam 999. eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Estou me lembrando, sim! Eheheheheh
ARMINDO - Em resposta a esse meu artigo “E eu a vê-los passar…”, ela mandou-me uma mensagem com o seguinte teor:

“Olá maninho querido!
Agora estou preocupada com você.
Ai, maninho, não fique assim de baixo astral.
Por favor, gosto de você sempre alegre, pensar em você triste é muito ruim.
Assim vou ter de ir aí te visitar. Será que daí você anima?
Ah! Se fosse mais perto, ali na esquina por exemplo, eu já estaria aí, viu?
Pense, maninho, será que vale a pena?
Nós amamos o Roberto, mas ele não sabe da nossa existência. Está lá no navio numa boa, se divertindo.
Eu queria estar lá, meu coração está lá, mas não estou triste. Estou resignada, sei que não posso.
Cadê o meu maninho, bonitinho, alegrinho, com um grande bom humor?
Minhas postagens de hoje também contribuíram para isso tudo?
Desculpa se o aborreci.
Te amo, viu?
Beijos preocupados,
Guta”

ROBERTO CARLOS – Puxa, vida! Que maninha você tem, mora! Só não gostei daquela parte onde a Carminha diz que eu não sei de vossa existência. E quando eu estou no navio tenho pra mim mais preocupação que divertimento, viu?!
ARMINDO – Sabes como é, pá! Ela não é minha irmã de sangue mas é como se fosse e então é lógico que apesar de muito gostar de ti desde a Jovem Guarda, vendo o seu maninho triste fez o papel dela. No fundo, o papel que tu próprio farias a um teu irmão ou a uma tua irmã.
ROBERTO CARLOS – Minha Nossa Senhora, como eu posso arrumar com este cara quando ele me fala desse jeito?
ARMINDO – Ó Roberto, estavas a falar pra mim, pá?
ROBERTO CARLOS – Não, bicho! Estava dizendo pro Wanderley pra ser breve falando com você.
WANDERLEY – Oi, Armindo, tudo jóia?
ARMINDO – Olá, Wanderley. Quando o Carlos Alberto do Splish Splash foi no Costa Serena para a coletiva de imprensa, eu pedi pra ele que se visse o Wanderley, o Genival e o resto da malta que faz parte da equipa do Roberto, que vos desse um abraço por mim. Depois da entrevista coletiva perguntei-lhe se não se tinha esquecido do que eu lhe tinha pedido e o gajo disse que era tanta gente no navio que não viu ninguém. Eu não lhe disse nada mas pensei pros meus botões que no meio de tanta gente ele poderia não ter visto ninguém mas mulherada o malandro viu de certeza. Eheheheheh
WANDERLEY – eheheheheh Eu estive falando com a Regina Márcia, sabia?
ARMINDO – Ela disse-me. Eu até lhe perguntei se te tinha dado um abraço por mim e ela disse que se eu lhe tivesse dito ela daria. Como se fosse preciso eu dizer-lhe.
WANDERLEY – eheheheheh
ARMINDO – O Carlos Alberto encontrou-se com a Regina Márcia no navio e sabes o que o gajo me disse depois? Que ela era um "chocolatinho", bonitona.
WANDERLEY – Disse a verdade. eheheheheh
EDUARDO LAGES – Olhe aí, Banderê, já falei com Mércinha. Agora me passe aí meu celular, viu?
ROBERTO CARLOS – Edu, agora se ponha na fila, tá? Tem mais gente querendo falar com o gajo, digo, com o cara, mora!
EDUARDO LAGES – Pôxa, Roberto! Não esqueça que o celular é meu e que eu é que estou pagando a conta, né?!
ARMINDO – eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Sua conta pra pagar não tem limite, viu? Cê é o responsável por esse cara andar desestabilizando a gente, mora! E tem mais, Edu: ainda estou pra saber como é que esse cara conseguiu mandar pro navio Costa Serena o tal de jornalista Carlos Alberto usando até blusa com publicidade a esse Portal se chamando de Splish Splash.
EDUARDO LAGES – Quer dizer que você está pensando que fui eu que arrumei uma cunha pro Armindo, é? Cê sabe que eu sempre me pautei por isenção em matéria que não me diz respeito como essa que tem a ver com a organização. Demais, essa coisa de convites é com sua assessoria de imprensa da qual eu não tenho voto na matéria, né?
ROBERTO CARLOS – É isso, Edu! Já tô topando a cena. Vai ver que foi Ivone Kassu. – Oi, Ivoninha, como foi essa de você enviar convite pro Armindo mandar seu colaborador pra coletiva de imprensa a bordo do Costa Serena?
IVONE KASSU – Como foi? Foi você que me telefonou, dizendo pra eu convidar o Armindo pra coletiva de imprensa. Até me telefonou segunda vez, me dizendo que pra ele não ficar demasiado convencido de sua admiração por ele, melhor seria eu enviar o convite não em nome dele mas sim em nome do Splish Splash. Se recorda, Roberto?
ROBERTO CARLOS – Agora me estou lembrando, sim! Nesse dia eu não devia estar bom da cabeça pra pensar o impensável, mora! Cê não ficou admirada por minha iniciativa, Ivoninha?
IVONE KASSU – Lógico que sim e fiquei até pensando pros meus botões que coisa esquisita Roberto me telefonar pedindo pra convidar um portuga do outro lado do Atlântico quando existe aqui tanto brasileiro e brasileira mais merecedor esperando ir na coletiva…
EDUARDO LAGES – Olhe aí, Ivoninha! Estou de acordo com você quando diz que aqui existe muito brasileiro e brasileira querendo estar presente na coletiva, mas essa de mais merecedor eu poria entre comas, viu?!
ROBERTO CARLOS – Edu, sou eu que tô falando com Ivoninha e você em se tratando de seu sócio logo interrompeu pra defender o cara, mora! Que mania!
ANA LÚCIA/JUREMA DE CÂNDIA (em côro) – Oi, Roberto, agora a gente está percebendo…
ROBERTO CARLOS – Ju e Lucinha, nosso ensaio já terminou. Não precisam de falar em coro, tá? Uma de cada vez, tá legal?
ANA LÚCIA – Oi, Roberto, agora a gente está percebendo…
JUREMA DE CÂNDIA – … por que motivo foi decidido sortear pelos passageiros…
ROBERTO CARLOS – Eu disse uma de cada vez mas cada qual falando seu assunto e não estarem falando às prestações, mora! Puxa, vida! Só faltava mais esta!
ANA LÚCIA – …ingressos para a coletiva de imprensa…
JUREMA DE CÂNDIA – … que o mesmo é dizer, portugas e brasucas. Eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Ufa! De fato me avisaram desse sorteio mas ninguém me disse quem foi o autor da ideia.
IVONE KASSU – Roberto, ninguém podia ter dito a você quem foi o autor da ideia pois não ouve autor algum.
ROBERTO CARLOS – Como assim? Na certa teve alguém que se lembrou, né?!
IVONE KASSU – Claro que sim, mas não foi um autor mas sim dois autores, eu e Edu. Foi uma forma que nós conseguimos arrumar pra brindar alguns fãs que connosco viajaram no Costa Serena. Cê até que achou uma boa ideia. E por falar em ideia me surgiu outra. Me passe aí seu celular pra falar com o Armindo, viu?
ROBERTO CARLOS – Tudo bem, mas seja breve com essa ideia, tá? A hora tá passando, mora!
EDUARDO LAGES – Só estou lembrando que esse celular é meu e não de Roberto, tá? Sou eu que estou pagando a grana.

TODO MUNDO RINDO EM CORO
Eheheheheh

IVONE KASSU – Oi, Armindo, como cê tá? No próximo cruzeiro a gente quer ver lá você, representando o Splish Splash, tá legal?
ARMINDO – Olá, Dona Ivone! Muito obrigado, mas não deve ser fácil para mim e, além disso, está provado que o Carlos Alberto, como jornalista que é, cumpriu bem a missão que lhe foi confiada e certamente da próxima vez cumprirá novamente e melhor do que eu cumpriria.
IVONE KASSU – Mas minha ideia não era você vir em substituição do Carlos Alberto, que até achei um barato, ficando até sentado a meu lado. A ideia era virem os dois.
ISMAIL – Eu também tenho uma ideia, que era o Armindo participar no próximo cruzeiro não apenas na coletiva de imprensa representando o Splish Splash mas como ator.
ROBERTO CARLOS – Como ator? Puxa, Ismail! Onde você foi buscar essa ideia sem pés nem cabeça?
EDUARDO LAGES – Roberto, não esqueça que meu sócio é polivalente, se aplicando em escrita, em artes decorativas, em artes mágicas e eu sei lá que mais. Por isso, Ismail lembrou bem.
ROBERTO CARLOS – Puxa, vida! É mais fácil vocês me dizerem o que esse gajo, digo, esse cara, não faz, mora!
ANA LÚCIA – Pôxa! Roberto, me deixe só dizer uma coisa pro Armindo, viu?
ROBERTO CARLOS – Vai pedir pro cara fazer uma mágica, é?
ANA LÚCIA – Oi, Armindo! Eu também estou a fim de artes decorativas, viu? Tenho até meu blog se chamando “Aprenda a fazer artesanato”.
ARMINDO – Oi, Ana Lúcia! Bom saber desse site pois assim vai dar para eu aprender alguma coisa.
ANA LÚCIA – Mas Edu disse que você também sabia de artes decorativas e então como você vai aprender o que já sabe? Eheheheheh
ARMINDO – Acontece que eu frequentei um curso de artes decorativas que não cheguei a terminar e por isso pouco mais sei do que as bases. Mas vai dando para pintar umas estatuetas em gesso, usando patines várias, pintando uns quadros, caixinhas, espelhos com tinta vitral, etc. Pouca coisa. Qualquer dia vou pintar o nosso Roberto. Eheheheheh
ANA LÚCIA – Também gosto de pintar em vitral. Um dia trocamos dicas, tá legal?
ARMINDO – Como vou eu trocar dicas com uma mestre na matéria? Eheheheheh
ANA LÚCIA – Disse Blaise Pascal que ninguém é tão pequeno que não tenha algo a ensinar, nem tão grande que não tenha algo a aprender
ROBERTO CARLOS – Puxa, vida! Até o Blaise Pascal tá entrando neste bate-papo, mora!

TODO MUNDO RINDO EM CORO
Eheheheheh

ROBERTO CARLOS – Ismail, diga então aí pra gente o que nosso decorador, digo, ator Armindo, iria nos dar de novidade com suas mágicas.
ISMAIL – Eu não estava pensando no Armindo pra ir no cruzeiro bancando uma de Mandrake mas sim pra fazer dueto com Tom Cavalcante.
ROBERTO CARLOS – Dueto com Tom Cavalcante? Minha nossa!

TODO MUNDO RINDO EM CORO
Eheheheheh

ROBERTO CARLOS – Ismail, essa aí é demais, bicho! Sabemos do profissionalismo do Tom e do que ele é capaz em seus shows com sua criatividade em inúmeras personagens, como Escravo da Isaura, Gilberto Gil, Maria Bethônia, Tomciano Huck, Tomtom Soares e tantos outros. Pra mim o portuga só ia atrapalhar ele, né?
PAULINHO – E em esses tantos outros que Roberto falou, temos o grande Tomberto Carlos. Eheheheheh
DÁRCIO – Paulinho, me estou até lembrando que uma vez eu, você, Wanderley e Norival tocamos pro Tomberto Carlos. Se lembra? Eheheheheh
NORIVAL – Foi demais, gente! Eheheheheh
ISMAIL – Vocês se meteram na conversa sem deixar eu acabar o que estava dizendo, pôxa!
ROBERTO CARLOS – É isso, aí gente! Pra terminar nosso bate-papo com o portuga vamos deixar Ismail continuar o que ele estava falando, mora!
ISMAIL – Então, minha ideia era nosso Armindo fazer dueto não com o Tom Cavalcante mas sim com o Tomberto Carlos.
CLÉCIO – Pôxa, Ismail! Não tô vendo onde está a diferença entre o Armindo fazer duo com Tom Cavalcante e com a personagem Tomberto Carlos.
UBALDO – Eu tô entendendo onde Ismail quer chegar e o felicito por sua ideia que a ser levada por diante iria, sem dúvida, abrilhantar ainda mais o show do próprio Tom em futuros cruzeiros.
ROBERTO CARLOS – Puxa, vida! Vocês devem estar loucos, mora! Cês deviam saber que onde esse portuga entra só arruma confusão. Pra mais, não tô vendo que papel ele ia fazer com o Tom, né?
ISMAIL – Roberto, o Armindo ia fazer com o Tom exactamente o que faz com você e com todos nós, ou seja, iria encenar com o Tom os famosos bate-papos. Seriam os bate-papos entre Tomberto Carlos e eu. Eheheheheh
JORGE BERTO – Caramba, Ismail! Tô até imaginando a cena…
AURINO – E olha que tinha uma coisa a favor que era o fato de já terem o guião pois como sabemos todos os bate-papos que nosso Roberto tem com o Armindo estão escritos. Então aí…
NAHOR – Roberto, e tem outra coisa a favor: como o Armindo é seu fã de carteirinha, aí ele nem levaria grana por sua atuação.
ARMINDO – Ó Nahor, atenção que hoje em dia ninguém faz nada de borla, que o mesmo é dizer, grátis, e é preciso ver que eu tenho muita malta a trabalhar pra mim no Splish Splash. São 23 almas que já não podem viver sem os principescos salários mensais que recebem, já pra não falar nos subsídios de refeição, de transportes, de alojamento, de Páscoa, de Natal e ainda férias nas Caraíbas em hotel de luxo. Na certa que o Tom não faz graça de graça. eheheheheh
ROBERTO CARLOS – Cês estão vendo como eu tenho razão no que digo? Esse cara não dá ponto sem nó, mora! Ainda só estamos falando no assunto e o cara já está se fazendo de caro.
LENHARI – Roberto, me desculpe mas com tanta despesa assim com seus colaboradores, o Armindo bem que precisa de ganhar alguma grana, né?
ARMINDO – É isso aí, Lenhari! Ainda pra mais aqui em Portugal vai uma crise do carago, pá!

TODO MUNDO RINDO EM CORO
Eheheheheh

LENHARI – Mas, pensando bem, essa coisa de pagar o cachet ao Armindo nem sequer deve ser motivo de preocupação, atendendo…
ROBERTO CARLOS – Já sei o que cê vai dizer João! Cê vai dizer que sendo eu a pagar ninguém tem que se preocupar. Brigado, bicho!

TODO MUNDO RINDO EM CORO
Eheheheheh

LENHARI – Não era isso que eu queria dizer. O que eu queria dizer é que essa parte do assunto deve ser resolvida pelo próprio interessado que é o Tom Cavalcante.
EDUARDO LAGES – Muito bem dito, João! Uma salva de palmas pro João, gente!

TODO MUNDO BATENDO PALMAS

(dada a dificuldade em transpor por escrito a grande salva de palmas dada a João Lenhari, deixamos isso à imaginação dos estimados leitores)

ROBERTO CARLOS – Sendo assim, o caso já muda de figura, gente! Mas quem vai falar com o Tom a respeito?
EDUARDO LAGES – Deixe isso comigo, Roberto!
ROBERTO CARLOS – Pois. O que você quer é ver seu sócio nos cruzeiros pra andar sempre numa de bate-papo com ele poupando grana do celular.

TODO MUNDO RINDO EM CORO
Eheheheheh

ROBERTO CARLOS – Gente, vamos nos despir, digo, vamos nos despedir do Armindo, tá legal? Tá na hora de nos pirarmos, que, se vocês não souberem é o mesmo que darmos de frosques ou irmos embora heheheheh. Eu tenho aprendido umas coisas com esse portuga. - Armindo, aquele abraço pra você, cara! Já estou até imaginando você fazendo duo com o Tom. Demais! Eheheheheh Até já me estou rindo antes do tempo. eheheheheh
ARMINDO – Ó Roberto, pra quem não queria falar comigo, este foi um bate-papo do carago, pá! Grande abraço e até ao próximo bate-papo!
EDUARDO LAGES – Roberto, tenha calma! Este bate-papo que está acontecendo não é seu mas meu, ou seja, fui eu que telefonei pro Armindo de meu celular e por isso o último a se despir, digo, a se despedir dele sou eu, tá legal?
ROBERTO CARLOS – GENIVALLLLLLL!
GENIVAL – Oi, Roberto, tô aqui! Tem algum problema pra eu resolver? Cê só diz qual é o problema e eu logo resolvo, viu?!
ROBERTO CARLOS – Genival, me faça um favor, bicho! Me arrume aí um celular pra eu telefonar pro cara.

TODO MUNDO RINDO EM CORO
eheheheheh

EDUARDO LAGES – Armindo, aquele abraço pra você, não só meu mas de todo pessoal. Não esqueça de ir no meu blog. Gosto sempre quando você vai lá e deixa seus comentários porreiros, quero dizer, legais. Eheheheheh
ARMINDO – Para o maestro, para o Roberto e toda a malta, um grande abraço.
EDUARDO LAGES – Armindo, você vai publicar este bate-papo?
ARMINDO – Claro!
EDUARDO LAGES – Tudo bem, mas para que ninguém pense que é verdade, melhor é não esquecer de no final escrever que tudo é ficção, tá legal?
ARMINDO – Para que ninguém pense que é verdade? Dito assim até parece que este nosso bate-papo é mentira. Eheheheheh
EDUARDO LAGES – Eu queria dizer, para que todos pensem que é mentira. eheheheheh

TODO MUNDO RINDO EM CORO
Eheheheheh

AVISO:
O texto que acabaram de ler é fictício.
Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência.

A ficção revela verdades que a realidade omite.
Jassemin West
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

HOMENAGEM A ROBERTO LEAL

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil