Confira os benefícios de práticas como pilates, reiki e acupuntura para a saúde

Do Texto: A medicina integrativa pode ser complementar aos cuidados convencionais que o paciente já esteja recebendo ou ser o recurso terapêutico usado para o..

Sala de Acupuntura.


Atividades como pilates, acupuntura e reiki são utilizadas para estimular os mecanismos naturais de recuperação da saúde

Celebrado em 23 de janeiro, o Dia Internacional da Medicina Integrativa chama a atenção para uma forma de cuidado que tem se tornado referência na promoção de tratamentos efetivos e uma assistência com foco na humanização e acolhimento.

De acordo com Adriana Fabozzi, psicóloga do CEJAM, a medicina integrativa vai além da aplicação de recursos terapêuticos, pois considera o indivíduo em sua totalidade e sua relação com a sociedade e o meio ambiente.

“O cuidado integrativo tem como princípio a visão ampliada do processo saúde/doença, o vínculo terapêutico e a escuta acolhedora, o que também está intrínseco na humanização”, completa.

A profissional destaca que atividades como pilates, acupuntura e reiki são utilizadas para estimular os mecanismos naturais de recuperação da saúde, com potencial de aliviar dores físicas e psicoemocionais. Além disso, a medicina integrativa promove e incentiva o protagonismo da pessoa em relação a sua saúde, através do autocuidado.

“Outro ponto é a redução de medicalização, já que muitos desequilíbrios que geram doenças podem ser amenizados e tratados com esses recursos terapêuticos eficazes”, complementa.

Adriana enfatiza que a medicina integrativa pode ser complementar aos cuidados convencionais que o paciente já esteja recebendo ou ser o recurso terapêutico usado para o restabelecimento da saúde.

A psicóloga lembra, ainda, que tais técnicas podem ser incorporadas ao nosso dia a dia, como um momento de meditação, aromaterapia e chás medicinais.

Práticas Integrativas no SUS

Adriana atua no Polo de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS), que integra o Centro de Referência da Dor Parque Maria Helena (CR Dor), gerenciado pelo CEJAM em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo.

No Brasil, as práticas foram institucionalizadas, em 2006, por meio da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) do Ministério da Saúde.

De acordo com a gerente da unidade, Luana Paula Santos de Lima, os atendimentos no Polo são agendados a partir do encaminhamento realizado pela UBS de referência. Entre agosto e dezembro de 2022, foram atendidos mais de 540 pacientes e realizados mais de 4 mil procedimentos.

A equipe, composta por médico acupunturista, médico homeopata, psicólogo, educador físico e duas técnicas educacionais, faz atendimentos – individuais e em grupos – utilizando alongamento, cultivo de plantas medicinais, Lian Gong, Tai Chi Pai Lin, ginástica, pilates, meditação, entre outros.

Cada tratamento é estruturado a partir do Projeto Terapêutico Singular (PTS), formulado entre a equipe multiprofissional e com a participação do paciente.

Desde novembro de 2022, Leonildo Rodrigues Júnior, de 50 anos, frequenta semanalmente o Polo PICS para tratamento complementar após sofrer uma paralisia facial do lado esquerdo. “A sensibilidade do meu rosto melhorou muito com a ventosa e a auriculoterapia. Percebi um resultado mais rápido quando comecei a fazer essas técnicas”, ressalta.

Dona Sebastiana Oliveira de Souza, de 70 anos, também reconhece o diferencial do atendimento oferecido no Polo. Há dois meses, ela está em atendimento na unidade por conta de dores na região lombar. “Com esse tratamento eu fiquei com mais esperança vendo o resultado de melhora. Aqui a gente é tratado muito bem. A gente fica mais animada porque vejo que tá dando resultado. Cada dia está sendo melhor”, finaliza.

                                                               ✳✳✳ 

Sobre o CEJAM   
O CEJAM - Centro de Estudos e Pesquisas “Dr. João Amorim” é uma entidade filantrópica e sem fins lucrativos. Fundada em 1991, a Instituição atua em parceria com prefeituras locais, nas regiões onde atua, ou com o Governo do Estado, no gerenciamento de serviços e programas de saúde nos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Mogi das Cruzes, Itu, Osasco, Campinas, Carapicuíba, Franco da Rocha, Guarulhos, Santos, São Roque, Francisco Morato, Ferraz de Vasconcelos, Peruíbe e Itapevi.
Com a missão de ser instrumento transformador da vida das pessoas por meio de ações de promoção, prevenção e assistência à saúde, o CEJAM é considerado uma Instituição de excelência no apoio ao Sistema Único de Saúde (SUS). O seu nome é uma homenagem ao Dr. João Amorim, médico obstetra e um dos fundadores da Instituição.

 

Também pode ler:
Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !