Cidade do Circuito das Águas Paulista lança o projeto "Socorro Destino Petfriendly"

Uma iniciativa arrojada, diferente do que existe, que irá elevar o município para outro patamar de turismo. É esta a proposta do projeto Socorro Destino Petfriendly, da Estância Hidromineral de Socorro - cidade turística localizada no Circuito das Águas Paulista e referência em aventura e ecoturismo. Com diagnóstico, treinamento, capacitação do trade, validação com selo, engajamento dos empresários, ações socias e incentivo público, Socorro quer ser “a cidade mais petfriendly do Brasil”.

Com treinamento, capacitação do trade, validação com selo, engajamento dos empresários e incentivo público, Socorro quer se tornar "a cidade mais petfriendly do Brasil"

São Paulo, novembro de 2021-Uma iniciativa arrojada, diferente do que existe, que irá elevar o município para outro patamar de turismo. É esta a proposta do projeto Socorro Destino Petfriendly, da Estância Hidromineral de Socorro - cidade turística localizada no Circuito das Águas Paulista e referência em aventura e ecoturismo. Com diagnóstico, treinamento, capacitação do trade, validação com selo, engajamento dos empresários, ações socias e incentivo público, Socorro quer ser “a cidade mais petfriendly do Brasil”.

O lançamento do projeto aconteceu no último domingo, no Parque da Cidade “João Orlandi Pagliusi”, com um evento que teve inúmeros expositores do segmento, entrega dos primeiros selos, presença de influencers e um divertido encontro de pets.

As empresas locais presentes puderam evidenciar os serviços e produtos para o mercado pet, bem como o potencial. Para se ter ideia, de acordo com pesquisa de mercado Euromonitor International, o setor de acessórios e alimentos para animais de estimação cresceu 87%, nos últimos cinco anos. E a expectativa é boa: pelo levantamento do Instituto Pet Brasil o setor de produtos e serviços para pet, puxado pelo faturamento do pet food, deve chegar a um faturamento de R$ 46,5 bilhões em 2021. O valor total do ano foi elaborado com base no primeiro trimestre e representa uma alta de 13,8 % em relação a movimentação do ano passado.

Outra novidade, prevista para ainda este ano, é o ParCão, cuidadosamente planejado e pensado para promover horas de convívio, passeio e diversão para os pets. O espaço público e gratuito – com 1.400m² - contará com playground para os animais, bebedouro e local de sombra. Será dividido em duas áreas: uma destinada aos de pequeno porte e outra para médio e grande. Entre as regras, será obrigatório que eles estejam saudáveis, vacinados, vermifugados e livres de parasitas. “Será o primeiro parque público voltado exclusivamente para pets da cidade, o que é um grande avanço para os moradores e turistas. Ele representa a integração harmoniosa”, afirma Ana Paula Monteio, secretária de turismo da Estância Hidromineral de Socorro.

O processo

Há anos, a cidade já acompanha e se adapta a essa gradual tendência do perfil atual das famílias brasileiras, que têm grande influência na relação entre humanos e pets. Houve um aumento de casais que preferem não ter filhos, ou só um, por exemplo, e procuram a companhia de um pet. De acordo com o IBGE de 2018, há mais animais de estimação do que crianças nos lares brasileiros.

Além disso, existe o reconhecimento dos benefícios da interação entre humanos e animais, que são considerados como membros da família. Na estância, os pets sempre foram bem-vindos e recebidos. Mas a ideia agora é ir além e, de uma forma mais efetiva, oferecer bem-estar, conforto e segurança aos pets e aos tutores. “Socorro já saiu na frente porque recebe os pets, mas vamos mudar a chave do aceitar pet para ser petfriendly”, diz Patricia Camargo, especialista em petfriendly do Eu, Você e os Pets, responsável pela consultoria do projeto.

O projeto está na terceira fase, que consiste na validação e conquista do selo
petfriendly. Para isso os estabelecimentos precisam atender requisitos básicos, ter um padrão mínimo de qualidade, que variam com o setor. O diferencial é que os empresários precisaram passar por uma capacitação, que inclui treinamento geral para todos os setores, um focado em lazer, um em hospedagem e outro em gastronomia. “Muitos estabelecimentos dizem ser petfriendly, mas na verdade não entendem o que significa. Então, esclarecemos e orientamos sobre o que precisa ser, ter e oferecer”, explica Patricia.

A certificação passa confiança e irá assegurar aos turistas que todos os lugares que tiverem o selo do projeto, passaram por treinamento e adaptaram os estabelecimentos para receber de forma adequada os pets. “Socorro não sai distribuindo selos, como acontece em outras cidades, pelo contrário, faz questão de treinar as pessoas para que os estabelecimentos o conquistem”, ressalta a consultora. O selo estará em lugar visível na entrada do estabelecimento e indicará de forma objetiva como o animal pode ser conduzido.

Com este projeto, Socorro quer ser um destino procurado pelos tutores que desejam viajar com os pets. As buscas no Google por hotéis com serviços petfriendly cresceram 300% para viagens, de março a setembro de 2020. Já o Hoteis.com, revelou no final de 2020 que 82% dos brasileiros pretendem viajar com seus animais e que 67% dos entrevistados já levaram seu companheiro de estimação em uma viagem.

Essa movimentação, aliada ao nicho pet brasileiro, é um mercado próspero, repleto de possibilidades, que cresceu ainda mais incentivado pela pandemia. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), no Brasil existem mais de 140 milhões de animais de companhia; deles mais de 55 milhões são cães, 40 milhões são aves (tanto ornamentais, como as calopsitas, quanto passeriformes canoros, que podem ser definidos genericamente como “os passarinhos que cantam”) e quase 25 milhões de gatos. Há ainda 19,4 milhões de peixes ornamentais e 2,4 milhões de “outros animais”, categoria que engloba desde pequenos mamíferos, como hamsters, coelhos e porquinhos da Índia, até répteis e anfíbios.

“Socorro Destino Petfriendly” é uma realização da prefeitura da Estância Hidromineral de Socorro, Conselho Municipal de Turismo e Associação de Turismo da Estância de Socorro, com consultora e equipe especializadas.

Selo petfriendly

Alguns itens básicos são obrigatórios em cada setor para que os estabelecimentos estejam aptos para receber bem os animais de estimação e adquirirem o selo.

Em lazer, por exemplo, permitir a circulação do pet no chão; as áreas de circulação dos pets podem ser delimitadas e devem estar devidamente sinalizadas; ter um veterinário responsável pelo estabelecimento; pedir a apresentação da carteirinha de vacinação do pet e conferir se a mesma está em dia, antes de autorizar a atividade; todos os tutores de pets, que farão alguma atividade, devem assinar o termo de responsabilidade; lixeiras específicas para colocar as fezes dos animais; disponibilizar saquinhos cata-caca; disponibilizar bebedouros apropriados para os pets nas áreas comuns; parques de Aventura e Operadoras de Aventura deverão oferecer, ao menos, uma atividade petfriendly; disponibilizar equipamentos de segurança suficientes para todos os pets que forem participar das atividades.

Na hospedagem, o local deverá permitir a circulação do pet no chão com guia; as áreas de circulação dos pets podem ser delimitadas e devem estar devidamente sinalizadas; ter um veterinário responsável pelo estabelecimento; pedir a apresentação da carteirinha de vacinação do hóspede pet e conferir se a mesma está em dia, antes de finalizar a reserva; permitir que os tutores possam fazer as refeições junto com seus pets. Sinalizar a área ou mesas que aceitam pets no refeitório da hospedagem; lixeiras específicas para colocar as fezes dos animais; disponibilizar saquinhos cata-caca e disponibilizar bebedouros apropriados para os pets nas áreas comuns, devidamente sinalizados.

Para o setor de gastronomia, permitir a circulação do pet no chão com guia; as áreas de circulação dos pets podem ser delimitadas e devem estar devidamente sinalizadas; disponibilizar bebedouros apropriados para os pets, devidamente sinalizados; sinalizar as mesas que são para o público pet (estas mesas não devem ser próximas de caixas de som e nem do buffet de comida); a área petfriendly precisa ser coberta e próximo às mesas petfriendly deverão ter ganchos (no chão ou na parede) para prender a guia do animal.

Para as áreas comuns dos Centros de Compras, é preciso permitir a circulação do pet no chão; lixeiras específicas para colocar as fezes dos animais; disponibilizar saquinhos cata-caca; disponibilizar bebedouros apropriados para os pets nas áreas comuns, devidamente sinalizados e disponibilizar e sinalizar um banheiro que o tutor entre com o seu pet. Será disponibilizado para as lojas dos Centros de Compras, três opções de subselo do Selo Petfriendly. O lojista é quem irá definir qual categoria deseja se enquadrar, salvo as lojas que tenham atividades alimentícias e de saúde (conforme Lei 3406 /2010 e Portaria 002/2021, da vigilância sanitária): permitido pet na guia, permitido pet no colo, infelizmente pets não pode entrar. Para Lojas de venda de alimentos e de saúde: pode permitir a entrada dos pets de pequeno e médio porte estando na bolsa de transporte ou nos carrinhos fornecidos pelo próprio estabelecimento.

Outra boa notícia é que todas as empresas que adquirirem o selo também contribuirão com o lado social do projeto, que terá um fundo para apoiar ações da causa animal na cidade, como arrecadação de ração, campanhas de vacinação e de castração, por exemplo. Atual campanha que conta com o apoio do projeto é a de adoção. Com o slogan “Não compre, adote. Amor não tem raça”, a ideia é incentivar as pessoas a escolherem um cachorro no canil municipal.

“É um projeto viável, possível e bem estruturado. O termômetro do sucesso dele será com a adesão e comprometimento cada vez maior dos empresários e estabelecimentos, que entendem a necessidade de investir neste nicho de mercado”, diz Ana Luiza Russo, presidente da ASTUR.

Saiba mais em sobre o Socorro Destino Petfriendly:  https://socorro.tur.br/petfriendly/

Descubra Socorro: Estância Hidromineral de Socorro é o portal de entrada do Circuito das Águas Paulista, composto por nove municípios. Já é referência nacional em turismo de aventura e turismo acessível e se dedica para se tornar também um destino sustentável e pet friendly. Para isso, diversas ações de conscientização são criadas e envolvem moradores, empresários e turistas. Gastronomia variada, lazer para toda família e a melhor experiência em atividades culturais e passeios cercados pelas belezas naturais da Serra da Mantiqueira. Visitas guiadas ou autoguiadas em mais de 1300km de caminhos rurais disponíveis ao público. A mais recente certificação da “cidade aventura” aconteceu no fim de abril, quando recebeu o selo Safe Travels (viagens seguras) concedido pela World Travel & Tourism Council (WTTC). Saiba mais em: www.socorro.tur.br 

ASTUR - A Associação de Turismo da Estância de Socorro – SP, que tem como objetivo a promoção de ações para o desenvolvimento sustentável das empresas associadas e o fomento do turismo de Socorro, sempre em consonância com o COMTUR (Conselho Municipal de Turismo) da cidade. Na “Estância Hidromineral” – status conquistado por cumprir determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual, o que também dá o direito ao município de agregá-lo ao nome -, atualmente, são 70 empresas associadas de diversos setores turísticos como hospedagem, ecoturismo, atividades de aventura, turismo rural, gastronomia e compras.

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !