Maikão lança EP “Ascender”

Um caldeirão sonoro, dançante e plural embala “Ascender”, novo EP do cantor, compositor, percussionista, baterista e ativista Maikão. Representante do cenário do interior paulista, o artista faz do álbum uma celebração das suas origens - seja contemplando os tambores afro-brasileiros, seja nos ritmos folclóricos da região, como samba de lenço e batuque de umbigada com maracatu. As levadas percussivas ganham elementos eletrônicos em cinco faixas onde os temas vão de fé e a importância das raízes a questões políticas e legalização da maconha. Com participação especial da francisco, el hombre, EP chega às principais plataformas acompanhado do clipe para a faixa “Deus Acuda”, disponível no YouTube.


Trabalho chega com clipe para a faixa “Deus Acuda"

Um caldeirão sonoro, dançante e plural embala “Ascender”, novo EP do cantor, compositor, percussionista, baterista e ativista Maikão. Representante do cenário do interior paulista, o artista faz do álbum uma celebração das suas origens - seja contemplando os tambores afro-brasileiros, seja nos ritmos folclóricos da região, como samba de lenço e batuque de umbigada com maracatu. As levadas percussivas ganham elementos eletrônicos em cinco faixas onde os temas vão de fé e a importância das raízes a questões políticas e legalização da maconha. Com participação especial da francisco, el hombre, EP chega às principais plataformas acompanhado do clipe para a faixa “Deus Acuda”, disponível no YouTube.

Assista ao clipe “Deus Acuda”: https://youtu.be/ihvOvOmcHdQ 

Ouça “Ascender”: https://onerpm.link/ascender 

Confira o faixa-a-faixa abaixo

O trabalho de Maikão é marcado pela valorização da musicalidade do interior paulista, das linguagens e tradições populares. Essa mescla de referências é, ao mesmo tempo, um convite à reflexão e à dança, à manifestação física do ritmo e à racionalização do diálogo e do respeito.

“‘Ascender’ é uma obra consequente de uma ampla trajetória de vida, visões sociais políticas de reconhecimento, de empoderamento e resiliência diante das condições estruturais em uma classe social com paralelo entre a situação atual política e artística. ‘Ascender’ integra e envolve a diversidade como potência e complemento no autoconhecimento reconhecida por uma grande parcela de quem vivencia. Trazer críticas e observações do cenário político e social também reverencia nossas origens, nossas ancestralidades e a importância da diversidade humana”, resume o artista.

Maikão faz da música uma manifestação do seu trabalho dentro e fora dos palcos. Ele se dedica ao Baque Caipira, comunidade de maracatu fundada em 2013 onde o tradicional ritmo nordestino é adaptado às linguagens musicais e poéticas da região. Natural de Miguelópolis (SP), Maikão começou cedo na música: aos cinco anos, aprendeu sozinho a tocar violão e viola caipira. O amor pela bateria veio na adolescência, aperfeiçoado nos palcos de Piracicaba, para onde se mudou com a família. Ao longo de sete anos, frequentou o Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos Campos, em Tatuí, onde se dedicou ao jazz, MPB e ritmos latinos. 

Sua atuação no cenário da música regional percussiva com foco nos ritmos afro-brasileiros levou o artista a integrar a Pirajazz Band (2007-2012). Em 2014, fez parte da banda Zaíra, com a qual chegou à semifinal do programa SuperStar, da Rede Globo. Em 2018, subiu ao palco do Lollapalooza acompanhando a francisco, el hombre. Além disso, trabalhou com artistas como Monarco da Portela, Silvério Pontes, Mônica Salmaso, Hermeto Pascoal, o pianista André Marques e o violonista americano Richard Smith. 

Na sua trajetória estão também festivais, a produção de trilhas sonoras para curtas e longas-metragens, turnê pela Europa ao lado do Brasil Sauce Trio (com Samuel Gustinelli e Marcus Godoy), oficinas e vivências de terapia musical para a terceira idade. Para completar, integra o grupo de samba de lenço Mestre Antônio Carlos Ferraz e colabora no Batuque de Umbigada. 

Toda essa trajetória ganha forma em “Ascender”. Trilhando a linha tênue entre o sagrado e o profano, Maikão incendeia as pistas de dança e olha para o divino que há em nós, na natureza e nas entidades à nossa volta. Primorosamente intitulado, o álbum marca a ascensão de um nome a se prestar atenção no cenário independente nacional.

Ficha técnica:

Vocal e composição: Maikão

Percussão: Du Cravicula, Tatá Roberta e PH Santin

Guitarra: Juca Natal 

Baixo: Gui Scafandro

Baixo: Cadiba dos Prazeres 

Direção artística: Diego Leandraujo e Maikão.

Técnico de áudio: Max Matta e Rodrigo Binatto

Edição: Juca Natal e Maikão

Mix e Master: Max Matta

Produção Musical: Maikão e Juca Natal 

Pré Produção no estúdio Vida Simples 

Gravado no Estúdio Lab Sound 

Selo: A Música Vive

Faixa-a-faixa, por Maikão:

1 - Inteiro: É uma música que retrata a condição da vida de uma grande parcela do povo brasileiro. Entre sonhos, decepções e batalhas, falo sobre a importância do reconhecimento do lugar de origem e sobre a necessidade de reflexão sobre a atuação do nosso comportamento diante de uma ansiedade gerada pelo nosso próprio processo histórico e subdividida em um modo de vida reflexo das responsabilidades financeiras, emocionais e ideológicas.

2 - Deus acuda: É a síntese do movimento desenfreado de imposição, oferta e golpes dentro do universo das operadoras e oportunistas no sistema de telecomunicação. Irônica, cômica e groovada, Deus Acuda é uma música de parceria com Rás. Essa música é uma visão consequente de uma cilada após um golpe de WhatsApp clonado.


3 - A Gente Dança: Essa música é uma manifestação de repúdio aos ciclos falidos políticos e sociais que acontecem na nossa nação. De maneira debochada, envolvente e picante, essa mensagem ecoa por toda a diversidade social e política.

4 - Sal grosso: É uma música baseada na minha vivência dentro do místico do benzimento e da da força da natureza. Além disso, essa música retrata uma entidade da religiosidade afro-brasileira com o nome nigeriano - Elegbara é equivalente a Exu. Estas figuras trazem representatividade dentro do encanto da natureza e da diversidade religiosa.

5 - Fumaça de pamonha: É  um protesto informativo que trata de uma planta que atua dentro da condição medicinal e como utilidade têxtil e que sofre a criminalização diante da transformação pós revolução industrial - além de também homenagear a terra da pamonha.

Agenda de shows:

13/11 - Dolores House - Americana - SP

14/11 - Locomotiva Festival - Show Online - Piracicaba - SP 

20/11 - Festival Fuá na Rua - Piracicaba - SP 

25/11 - Festival Carta a Terra - Limeira - SP

27/11 - Casa Laranja - Americana - SP 

18/11 - Piracicaba - SP

Crédito da foto: Crédito: Letícia Puke  

Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Só falta o seu comentário! O autor agradece.

buttons=(OK) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !