BID Lab, ACNUR e ONG A CASA lançam projeto de apoio a refugiadas e migrantes venezuelanas indígenas artesãs Warao - Portal Splish Splash

Recentes

quarta-feira, agosto 11, 2021

BID Lab, ACNUR e ONG A CASA lançam projeto de apoio a refugiadas e migrantes venezuelanas indígenas artesãs Warao

Com o objetivo de apoiar as populações indígenas refugiadas e migrantes venezuelanas no Brasil,   o laboratório de inovação do Banco Interamericano de Desenvolvimento, BID Lab, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a ONG A CASA Museu do Artefato Brasileiro fecharam parceria para desenvolver projeto de cooperação técnica que beneficiará aproximadamente 680 indígenas do grupo étnico Warao em três cidades dos Estados de Roraima  e Amazonas: Pacaraima, Boa Vista e Manaus.


Brasília, 10 de agosto de 2021 – Com o objetivo de apoiar as populações indígenas refugiadas e migrantes venezuelanas no Brasil,   o laboratório de inovação do Banco Interamericano de Desenvolvimento, BID Lab, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e a ONG A CASA Museu do Artefato Brasileiro fecharam parceria para desenvolver projeto de cooperação técnica que beneficiará aproximadamente 680 indígenas do grupo étnico Warao em três cidades dos Estados de Roraima  e Amazonas: Pacaraima, Boa Vista e Manaus.


A iniciativa tem como foco especial as mulheres Warao e a melhoria de sua renda por meio do aumento e qualificação da produção de seus artesanatos, promovendo a organização e formalização da cadeia de valor e facilitando o acesso a matérias-primas, formação e articulação com os mercados. Trata-se de um projeto inovador porque é o primeiro que busca estruturar a cadeia de valor do artesanato de uma comunidade indígena venezuelana establecida no Brasil.


O projeto envolverá órgãos ambientais públicos para garantir a coleta de fibra de buriti em áreas públicas e próximas às comunidades indígenas e abrirá caminhos para conectar essas comunidades com novos mercados por meio de formas inovadoras, como marketplaces para venda de artesanato. O projeto buscará organizar a comunidade de mulheres artesãs Warao em associações e estabelecer critérios de padronização da produção do artesato, permitindo um aumento da produção e da qualidade do artesanato com o consequente aumento de renda e de estabilidade para essas mulheres e suas famílias, o que nunca foi feito. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário