Primeiro medicamento em 40 anos para tratamento da acne é aprovado pelo FDA

Aprovado em agosto pelo órgão de controle Food and Drug Administration (FDA) e devendo chegar ao consumidor americano ainda no início de 2021, Clacosterona a 1% atua inibindo os receptores de andrógenos para reduzir a oleosidade e a inflamação envolvidas no processo de formação da acne.


Aprovado em agosto pelo órgão de controle Food and Drug Administration (FDA) e devendo chegar ao consumidor americano ainda no início de 2021, Clacosterona a 1% atua inibindo os receptores de andrógenos para reduzir a oleosidade e a inflamação envolvidas no processo de formação da acne.


A acne é um problema que atinge grande parte da população em algum momento da vida. A boa notícia é que a condição possui tratamento, que geralmente é realizado por meio do uso de substâncias como antibióticos, peróxido de benzoíla, ácido salicílico e retinol. Mas, mesmo assim, algumas pessoas enfrentam um tipo de acne resistente e com maior grau de inflamação. “Existe uma pré-disposição genética para acne. Alguns indivíduos apresentam mais acne e inflamação. É comum observar, por exemplo, uma concordância maior de acne em gêmeos, então existe sim uma influência genética bem relevante. E essa influência genética está associada a um processo inflamatório, geralmente por conta do gene TNF-alfa, que está associado com o maior ou menor risco de acne dependendo do genótipo (conjunto de genes que não são modificados naturalmente)”, afirma o geneticista Dr. Marcelo Sady, Pós-Doutor em Genética e diretor geral Multigene. Dessa forma, a busca por formas de dar fim a esse problema nunca termina. No entanto, faz anos que não se tem novidades para o tratamento da acne, sendo que o último medicamento a ser aprovado para essa finalidade foi a isotretinoína em 1982. Mas a espera parece ter chegado ao fim, pois, em agosto, o órgão de controle Food and Drug Administration (FDA), dos Estados Unidos, aprovou um novo medicamento tópico para o tratamento da acne: a Clacosterona a 1%, que deve chegar às farmácias dos EUA ainda no início de 2021 sob o nome comercial Winlevi. “Também utilizada para o tratamento de queda capilar, a Clacosterona é um medicamento tópico capaz de inibir os receptores de andrógenos, como a testosterona e a Di-hidrotestosterona, que, na pele, são responsáveis pela produção de sebo e podem causar inflamação, favorecendo o surgimento e a piora de quadros acneicos”, explica a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.


Popularmente conhecida como espinhas e cravos, a acne é uma alteração inestética que aflige cerca de 20% da população mundial. “Apesar de não causar nenhum risco real à saúde física do paciente, afeta principalmente a autoestima, podendo causar muito estresse”, enfatiza Isabel Piatti, Especialista em Estética e Cosmetologia, conselheira do Comitê Técnico de Inovação da Buona Vita, e Membro do Conselho Científico da Academia Brasileira de Estética Científica – ABEC.


A grande vantagem desse novo medicamento está no fato de ser capaz de tratar a acne tanto em homens quanto em mulheres. “É comum que pílulas anticoncepcionais e de espironolactona sejam prescritas no tratamento de acne em mulheres, pois também auxiliam no controle dos andrógenos, diminuindo a oleosidade da pele e a formação de espinhas. O problema é que, além de ser contraindicado durante a gravidez e impróprio para homens, esse tipo de medicamento gera uma série de efeitos colaterais nas mulheres, como ganho de peso, dor de cabeça, enjoo, retenção de líquidos e até mesmo trombose em quem já possui predisposição ao problema”, destaca a dermatologista. Em contrapartida, a Clacosterona mostrou em testes clínicos ser perfeitamente segura independentemente do sexo do paciente, podendo inclusive ser utilizada em associação a outros medicamentos para o tratamento da acne, como os retinóides.


Além disso, o ativo apresentou alta eficácia em testes clínicos, sendo capaz de reduzir significativamente as lesões de acne quando aplicado sobre a pele duas vezes ao dia. No entanto, alguns efeitos colaterais foram relatados, principalmente ressecamento e vermelhidão, que são sintomas comumente observados em grande parte dos tratamentos para a acne. “A recém-aprovação da Clacosterona pelo FDA simboliza então uma revolução na forma como tratamos a acne, já que o medicamento tópico preenche uma lacuna de longa data na terapia dessa condição que afeta milhões de pessoas”, diz a especialista.


Mas, visto que a Clacosterona chegará ao consumidor americano apenas no início de 2021, não há previsão de quando o novo medicamento estará disponível no mercado brasileiro. Então, por enquanto, a solução é apostar nos tratamentos já consagrados para dar fim a acne, focando, principalmente, na realização de uma rotina diária de cuidados com a pele. “Comece realizando a higienização da pele, o que deve ser feito com sabonetes líquidos formulados com ativos seborreguladores. O ideal é investir no uso de produtos mais suaves e evitar fazer uma fricção acentuada enquanto higieniza a pele para não causar agressões ao tecido”, explica a Dra. Paola. “Quando a pele não passa por uma limpeza correta, pode acumular mais oleosidade, o que resultará em acne, principalmente se já houver uma predisposição a uma pele oleosa. É importante também sempre remover a maquiagem antes de dormir. Muitos produtos para beleza são desenvolvidos com base em óleos, o que causa a permanência das impurezas e o entupimento dos poros”, diz Isabel Piatti.


Logo após, é necessário hidratar a pele com cosméticos formulados com ativos que controlem a oleosidade e reduzam a inflamação em veículos mais leve e fluidos, como séruns e géis, segundo a Dra Paola.


De acordo com o Dr. Marcelo Sady, para ser certeiro no tratamento, o médico poderá solicitar um exame genético, uma vez que quando você sabe qual o genótipo do gene TNF-alfa, você consegue modular a expressão desse gene. “Então se é um processo inflamatório exagerado que está piorando a acne, o que você pode fazer: você genotipa alguns genes, o TNF-alfa é um deles que está associado com o processo inflamatório, e se o indivíduo tem um alelo (forma alternativa de um determinado gene) que leva a um processo inflamatório mais intenso, você vai usar alguns ativos orais em uma determinada concentração para frear e adequar a expressão desse gene”, diz o geneticista. Mas é importante ter em mente que adequar a expressão não é o mesmo que impedir o gene. “Precisamos do TNF-alfa, porque ele está associado a uma resposta inflamatória que nos protege contra várias infecções, inclusive de vírus. Então o exame ajuda justamente para que não se exagere na dose durante o tratamento, porque isso pode diminuir tanto a produção de TNF-alfa, que vai comprometer a resposta imunológica. Então você tem que adequar a expressão do gene, sem exagero”, afirma o Dr. Marcelo. Além disso, há casos em que existem dois alelos de risco que levam a um processo inflamatório mais intenso, devido à maior produção de TNF-alfa. “Isso significa que para haver essa adequação, você vai precisar de mais ativos orais ou tópicos em uma concentração maior, para frear essa maior produção, já que está sendo produzido em maior intensidade por esses dois alelos”, explica ele. E o exame pode ajudar até mesmo no controle da dieta, já que alguns alimentos estimulam a inflamação no corpo. “Então, se você tiver uma dieta adequada, você vai minimizar a inflamação sistêmica. E inclusive vai minimizar a inflamação na pele que está levando à acne”, diz o geneticista. “De forma geral, devemos fugir de uma dieta que conta com excesso de farinha branca e rica em gorduras trans e frituras, pois esses alimentos pioram a saúde de nossa pele. Uma dieta mais gordurosa e com alto índice glicêmico vai fazer com que se tenha liberação de substâncias inflamatórias, que podem estar direta ou indiretamente relacionadas ao desencadeamento da acne”, afirma a médica Dra. Paola.


Por fim, lembre-se que, ao notar o surgimento do quadro acneico, o mais importante é visitar um dermatologista, que poderá realizar uma avaliação de sua pele e identificar a causa do problema para indicar o tratamento mais adequado para o seu caso. “Apenas o profissional especializado poderá indicar substâncias específicas para dar fim a acne, como os retinóides, que desobstruem os poros, aceleram a renovação celular e reduzem a oleosidade, o ácido salicílico, que combate a inflamação, e o peróxido de benzoíla, que tem ação secativa para combater a bactéria P. Acnes”, finaliza a Dra Paola Pomerantzeff.


FONTES:

*DRA. PAOLA POMERANTZEFF: Dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, a médica é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, e participa periodicamente de Congressos, Jornadas e Simpósios nacionais e internacionais. http://www.drapaola.me/

*DR. MARCELO SADY: Pós-doutor em genética com foco em genética toxicológica e humana pela UNESP- Botucatu, o Dr. Marcelo Sady possui mais de 20 anos de experiência na área. Speaker, diretor Geral e Consultor Científico da Multigene, empresa especializada em análise genética e exames de genotipagem, o especialista é professor, orientador e palestrante. Autor de diversos artigos e trabalhos científicos publicados em periódicos especializados, o Dr. Marcelo Sady fez parte do Grupo de Pesquisa Toxigenômica e Nutrigenômica da FMB – Botucatu, além de coordenar e ministrar 19 cursos da Multigene nas áreas de genética toxicológica, genômica, biologia molecular, farmacogenômica e nutrigenômica.

*ISABEL LUIZA PIATTI: Especialista em Estética e Cosmetologia, conselheira do Comitê Técnico de Inovação da Buona Vita, embaixadora do CIA - Centro e Instituto Internacional de Aprimoramento e Pesquisas Científicas, e Membro do Conselho Científico da Academia Brasileira de Estética Científica – ABEC. Profissional Aisthesis. Tecnóloga em Estética e Imagem Pessoal. Técnica em Estética. Pós-Graduanda em Estética e Exercício Físico na Saúde da Mulher. Especialista em Cosmetologia. Especialização em Escolas de Estética e Terapias Alternativas na Europa, na área Facial, Corporal e Bem-Estar. Palestrante no VI Congresso Mundial de Medicina Estética da IAAM/ASIME. Palestrante em Congressos da área da Saúde Estética Nacionais e Mundiais. Consultora técnica de revistas e sites da área de Beleza e Estética. Autora dos Livros “Biossegurança Estética & Imagem Pessoal – Formalização do Estabelecimento, Exigências da Vigilância Sanitária em Biossegurança” e “Gestantes: Cuidados Estéticos Durante a Gravidez”. 

Processo de aprovação: https://www.fda.gov/drugs/drug-approvals-and-databases/drug-trial-snapshot-winlevi

Estudo de eficácia do medicamento: https://jamanetwork.com/journals/jamadermatology/fullarticle/2765025 

Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Só falta o seu comentário! O autor agradece.

buttons=(OK) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !