Novidades

terça-feira, março 02, 2021

7 mitos e verdades sobre a atuação do médico Otorrinolaringologista

No dia 3 de março, é celebrado o Dia Nacional do Otorrinolaringologista, profissional cujo nome é difícil de falar ou soletrar, porém essencial na vida de crianças, jovens e adultos.

Conheça mais sobre a especialidade médica que cuida desde sequelas da Covid-19 até a má qualidade do sono, tontura, alergias e até plásticas faciais


No dia 3 de março, é celebrado o Dia Nacional do Otorrinolaringologista, profissional cujo nome é difícil de falar ou soletrar, porém essencial na vida de crianças, jovens e adultos. A especialidade famosa por cuidar do nariz e garganta também é responsável por muitos outros tratamentos ligados à cabeça e pescoço, desde plásticas faciais até as sequelas de Covid-19, no qual nove em cada dez pacientes com casos leves perdem o olfato e o paladar, de acordo com um estudo publicado no Journal of Internal Medicine. 


Você sabe quando procurar um especialista? Para esclarecer algumas dúvidas, a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) preparou uma lista com 7 mitos e verdades sobre a atuação do otorrinolaringologista. Confira!


1. Peguei Covid-19, não sinto gosto ou cheiro de nada, e posso tratar sozinho estas sequelas.


Mito. É muito importante que o paciente pós-Covid-19 procure um médico otorrinolaringologista para aumentar a chance de retorno completo da capacidade de sentir aromas e sabores. Além da terapia olfatória (estimular o nariz com odores específicos, por um tempo e frequência determinados), na grande maioria dos casos, são utilizados também medicamentos para reduzir a inflamação causada pelo vírus e facilitar a regeneração dos neurônios olfatórios. 


2. Há alguns dias eu não sinto gosto e nem cheiro de nada. Deve ser Covid-19. 


Mito. A dificuldade em sentir cheiros e sabores não é um sintoma exclusivo da Covid-19. Existem diversas doenças - inclusive tumores - que causam a diminuição ou perda de olfato e paladar. Em uma consulta com um otorrino, o paciente será orientado quanto à causa do problema e receberá orientações para o tratamento adequado.


3. Otorrinolaringologia é uma especialidade nova.


Mito. A especialidade de otorrinolaringologia surgiu no Brasil em 1911 e em 1938 aconteceu o 1º Congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia, um primeiro passo para organização da especialidade em âmbito nacional. 


4. Otorrino cuida da Medicina do Sono.


Verdade. Otorrinolaringologista é o médico indicado para a realização do diagnóstico e tratamento dos distúrbios relacionados ao sono, como ronco e apneia.


5. Otorrino é uma modalidade com várias especialidades.


Verdade. Entre as especialidades estão: Estética Facial (cirurgias estéticas de nariz, ouvido e face), Medicina do Sono, Otologia (cuida das doenças de ouvido), Otoneurologia (distúrbios do labirinto), Rinologia (doenças nasais), Estomatologia (doenças relacionadas à boca), Laringologia (doenças da laringe), Otorrinolaringologia Pediátrica (alterações que ocorrem na infância), entre outras.


6. O check-up no otorrinolaringologista deve ser anual.


Verdade. O check-up anual com o médico otorrino ajuda na prevenção de doenças, principalmente dos pacientes de maior risco (como os  tabagistas e portadores de doenças crônicas).


7. A ABORL-CCF possui uma rede social voltada para pacientes.


Verdade. Lançado recentemente, o canal @otorrinoevoce tem como objetivo alertar, informar e esclarecer dúvidas da população brasileira em relação às doenças da área otorrinolaringológica, como amigdalites, implantes, tipos de exames e medidas preventivas. 


Sobre a ABORL-CCF Com mais de 70 anos de atuação entre Federação, Sociedade e Associação, a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), Departamento de Otorrinolaringologia da Associação Médica Brasileira (AMB), promove o desenvolvimento da especialidade através de seus cursos, congressos, projetos de educação médica e intercâmbios científicos entre outras entidades nacionais e internacionais. Busca também a defesa da especialidade e luta por melhores formas para uma remuneração justa em prol dos mais de 8.500 otorrinolaringologistas em todo o país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário