ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

10/16/2020

Psicanálise e presença: iniciativa ou histeria?

"Psicanálise e Pandemia" - Artigos de grandes nomes como Antonio Quinet, Bernard Nominé, Carmem Gallano e Luiz Izcovich, entre outros


Frente ao impensável, os analistas do Fórum do Campo Lacaniano do Mato Grosso do Sul junto com grandes nomes do Brasil e do mundo se uniram para descobrir como a prática analítica resistiria ao caos


O perigo iminente de morte traz às pessoas uma sensação de desamparo, desespero e angústia. A pandemia se tornou um ponto de terror, causando um desequilíbrio emocional para grande parte da população. Mas como procurar ajuda durante o isolamento?


Em meio a milhares de mortes e discursos que tomaram a pandemia como histeria, psicanalistas assumiram a responsabilidade não somente de respeitar a quarentena, como também de manter a possibilidade do atendimento psicanalítico e, até mesmo, de ampliá-lo.


A escuta analítica ultrapassou as paredes do consultório. A psicanálise não poderia parar! Com as salas de consultório fechadas, muitos psicanalistas, pela primeira vez, começaram a atender seus pacientes pela internet. Essa prática, embora já existisse, adquiriu proporções impensadas antes do isolamento. O divã e a poltrona foram recriados na casa dos analisantes, e, assim, a prática resistiu ao caos.


Como se adaptar ao novo setting analítico? Quais os princípios psicanalíticos implicados nessa decisão? Para debater questões que englobam desde transferência simbólica até o uso da câmera, o Fórum do Campo Lacaniano do Mato Grosso do Sul reuniu textos de psicanalistas na obra Psicanálise e Pandemiapublicada pela Aller Editora. Artigos de grandes nomes como Antonio Quinet, Bernard Nominé, Carmem Gallano e Luiz Izcovich, entre outros, abordam como a presente situação afetou a prática clínica e a sociedade, estando ambas atravessadas, desde a fundação da psicanálise, pelo luto, mal-estar político e pela angústia frente às incertezas e instabilidades do mundo.


O confinamento, a que todos aderiram ainda que em menor ou maior grau, não foi sem consequências. Como escreve Izcovich, o corpo foi imobilizado, mas o sujeito subsistiu, e a voz foi o que permaneceu unindo os corpos, sustentando esse corpo. O desejo do sujeito manifestou-se no nível da voz.


Nesse sentido, o livro aponta a possibilidade do atendimento online conservar, ao menos durante um período, as condições básicas do tratamento analítico, mantendo a escuta à angústia, ao medo e aos desejos daquele que sofrem. Assim, frente aos desafios que o contexto atual impõe, a psicanálise é capaz de reafirmar o compromisso com sua ética.  

 

FICHA TÉCNICA

Psicanálise e Pandemia

ISBN: 978-65-87399-11-9

Formato: Brochura – 14x21cm

Páginas: 208

Idioma: Português

Editora: Aller Editora

Edição: 1ª/ 2020

Gênero: Psicanálise

Preço: 49,90

Link para compra:https://bit.ly/35Xelqt 


Autores: Alba Abreu, Andréa Brunetto, Antonio Quinet, Bernard Nominé, Carmen Gallano, Claudia Wunsch, Daniel Foscaches, Hilza Maria, Isloany Machado, Lia Silveira, Luis Izcovich, Marcelo Bueno, Marilene Kovalski, Marisa Costa, Pricila Pesqueira, Rainer Melo, Tatiana Siqueira, Zilda Machado.


Sobre a editora: Formada pela psicanalista Fernanda Zacharewicz e pelo jornalista e publisher Omar Souza, a Aller Editora oferece em seu catálogo obras que se debruçam sobre os temas cruciais da teoria e da prática clínica, desde seus fundamentos até as repercussões dos debates atuais sobre o sujeito contemporâneo. Inspirada pelo verbo francês aller, que significa “ir”, a casa editorial convida leitores, atuantes na área de psicanálise ou não, a percorrer caminhos que cruzam fronteiras e a embarcar nesse desafio que é ler como movimento.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo