ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

8/25/2020

Atividades inéditas na programação on-line do Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro

Museu Felícia Leirner-Divulgação
Até 31 de agosto, o Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro - instituições da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, geridas pela ACAM Portinari – promovem atividades culturais inéditas pelas redes sociais. Na programação estão oficinas, bate-papo, ação para pessoas com deficiências visuais e apresentação musical.

A agenda do Família Legal tem vídeos agendados para os dias 25 e 28 com ações que unem o lúdico à aprendizagem. Nesta terça-feira (25), por exemplo, o público aprenderá a confeccionar um origami do pássaro Tsuru. A dobradura de papéis proporciona benefícios como o desenvolvimento da memória, coordenação motora fina, raciocínio lógico, percepção visual e espacial, além de auxiliar a concentração e de aliviar o stress e as tensões. Já na sexta-feira (28), será dia de conhecer o jogo da onça. Parte do folclore brasileiro e da cultura de algumas tribos indígenas do nosso país, essa brincadeira proporciona ao jogador atuar por meio de estratégias e muita diversão.

Para homenagear o Dia do Psicólogo, valorizando e reconhecendo o papel primordial desse profissional principalmente dentro do contexto atual, Museu e Auditório batem um papo com a psicoterapeuta Simone Rosa na quinta-feira (27). Ela fará reflexões sobre a importância de cuidar da saúde mental e dará dicas para manter o foco e gerir melhor o tempo.

Uma das atividades do Fora da Caixa deste mês será musical. A banda jordanense Alquimistas Sonorus apresentará uma série de canções totalmente autorais para agitar a casa toda no domingo (30).

O último dia de atividades do mês apresenta o Programa Mais Sentido, que visa o atendimento qualificado de pessoas com deficiência para contribuir com a equiparação de oportunidades de participação na vida cultural e artística. Nessa prática, uma narração apresentará o Museu e o Auditório para pessoas com deficiências visuais. O áudio foi gravado por uma pessoa vidente, ou seja, capaz de enxergar os espaços e, assim, descrevê-los objetivamente. Será um exercício para os cegos enxergarem esses locais por meio dos "olhos" de outra pessoa e para os videntes exercitarem a empatia, além de outras formas de percepção do entorno.

Auditório Claudio Santoro-Divulgação
Toda a programação será postada nas redes sociais do Museu Felícia Leirner e Auditório Claudio Santoro: Facebook, Instagram e Twitter (@museufelicialeirner) e, também, no site especial www.museufelicialeirner.org.br/culturaemcasa.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo