ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

7/18/2020

CCB | Preâmbulo: uma vista do mundo > Jovem Orquestra Portuguesa | 26 julho às 17h no Grande Auditório

CCB | Preâmbulo: uma vista do mundo > Jovem Orquestra Portuguesa | 26 julho

CCB ▪ domingo ▪ 26 julho ▪ 17h ▪ Grande Auditório

Programa:
Jón Leifs (1899-1968) Hughreysting (Consolação) (1968)
Joseph Haydn (1732-1809) Sinfonia n.º 99 em Mi bemol Maior
L. v. Beethoven (1770-1827) Sinfonia n.º 8 em Fá Maior, op. 93

É difícil escrever uma memória descritiva sobre uma Arte que nos desperta emoções tão profundas, inexplicáveis e essenciais como a Música.

Falamos sobre o processo?
Sobre o/a criador/a?
A obra?
O seu contexto?
A sua construção?
Incluímos mais ou menos informação musicológica?
E o autor destas palavras? Demonstra um vasto conhecimento e cultural musical, ou terá simplesmente retirado os dados desta memória do vasto espólio digital disponível na Internet?
E sobre os intérpretes?

Começar, apagar, recomeçar, desistir, recomeçar, apagar de novo, voltar no dia seguinte.

🔺🔻🔺

Faltam as palavras-chave.
Nestes momentos sem rumo as palavras-chave são uma tábua de salvação.
Vamos começar … resiliência, reinvenção, luta, palavra, honra, compromisso, harmonia, paz, justiça, generosidade, mentira, fracasso, mundo, topografia.

E agora? Nada. Vazio.

Num repente:
uma imagem
uma data
um filme
imagens
uma palavra estranha, uma memória sobre o Amor, Utopia e a Poesia: Koyaanisqatsi.

Um filme de 1982 de Godfrey Reggio. Sem palavras, apenas imagem após imagem, um turbilhão conduzido pelo mote dessa palavra estranha.

Na língua Hopi (nação indígena dos EUA) significa vida em desequilíbrio, em desintegração, um grito de socorro por uma alternativa, uma mudança de rumo.
«Tragicamente, a nossa linguagem já não descreve o mundo em que vivemos», diz-nos o realizador, através das suas rugas e voz tingida pelo tempo.
Este texto é um fracasso. Supostamente seriam palavras sobre Música e em especial sobre a Música sublime que iremos partilhar convosco.

E sobre os intérpretes?
Estas são palavras sobre esta geração que estará em palco: a estes jovens a quem peço que cultivem a resiliência, a reinvenção, a luta, a palavra, a honra, o compromisso, a harmonia, a paz, a justiça, a generosidade, abandonando a mentira e o fracasso.

Para que mundo possa celebrar a sua extraordinária topografia, com Amor, Utopia e Poesia.

Pedro Carneiro, junho 2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo