LightBlog
>

ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

6/23/2020

Seu filho é viciado em telas? Faça o teste!


Livro "A Criança Digital" ensina pais a dosar tempo ideal para que as crianças fiquem expostas às tecnologias

Quem nunca ofereceu o celular para a criança se entreter para que possa fazer alguma atividade importante ou, até mesmo, para jantar com tranquilidade, que atire a primeira pedra! Essas situações tão comuns no cotidiano, ainda mais nos tempos atuais com a tecnologia tão acessível, então, saber a real dimensão dos impactos do uso exagerado das telas na infância é imprescindível.

Mas como saber se a criança está passando muitas horas no mundo virtual? Como tornar o uso da tecnologia tranquilo e sem excesso? As respostas para essas questões estão no livro A Criança Digital: Ensinando seu filho a encontrar equilíbrio no mundo virtual, publicado Editora Mundo Cristão e escrito pelo best-seller e especialista em comportamento familiar Gary Chapman e Arlene Pellicane. Agora, chegou a hora de saber a verdade: seu filho é viciado em telas? Se está um pouco perdido com essa questão, faça o teste abaixo e descubra às respostas e o equilíbrio que tanto precisa na obra A Criança Digital, disponível na Amazon e no E-commerce Mundo Cristão.

TESTE: SEU FILHO PASSA TEMPO EXAGERADO DIANTE DAS TELAS?

As questões simples a seguir podem ajudar a determinar se o tempo diante das telas está prejudicando ou não a saúde geral de seu filho. Marque cada questão usando a seguinte

Classificação:
0 = Nunca ou raramente
1 = De vez em quando
2 = Geralmente
3 = Sempre

(  )Seu filho se irrita quando você pede que ele saia da frente da tela para jantar ou realizar outra atividade.
(  )Seu filho pede que você compre um aparelho digital, como um tablet, mesmo depois de você ter dito não.
(  )Seu filho tem dificuldade de terminar o dever de casa porque está ocupado vendo televisão ou jogando vídeo game.
(  )Seu filho recusa-se a ajudar nas tarefas domésticas porque prefere brincar com aparelhos eletrônicos.
(   )Seu filho pede para jogar vídeo game ou brincar com outra atividade diante da tela depois de você ter negado.
(   )Seu filho não pratica atividades físicas por ao menos uma hora ao dia.
(   )Seu filho não faz contatos visuais frequentes com outras pessoas da família.
(   )Seu filho prefere jogar vídeo game a brincar ao ar livre com os amigos.
(   )Seu filho não gosta de nada que não inclua aparelhos eletrônicos.
(   )Quando você proíbe o uso de aparelhos eletrônicos por um dia, seu filho fica irritado e manhoso.

Se a pontuação for:
De 10 para baixo: Seu filho não parece passar muito tempo diante das telas. Ele é capaz de exercer controle e atuar dentro dos limites.
De 11 a 20: Seu filho pode estar muito dependente das telas. Você deve monitorar esse tempo com mais critério e vigiar para que ele diminuía o contato com os aparelhos eletrônicos.
De 21 a 30: Seu filho parece estar viciado em aparelhos eletrônicos. Recorra a um conselheiro, pastor ou pai/mãe que você respeite para receber orientação.
Ficha técnica  
Código: 11110 
ISBN: 978-65-86027-01-3 
Páginas:  256 
Formato: 14 X 21 
Categoria: Família 
Preço: R$ 54,90
Lançamento: maio/2020 
Link de venda: Amazon e -commerce Mundo Cristão

Sinopse: A criança de hoje nasce digital. Se é verdade que a tecnologia apresenta muitas vantagens, é igualmente verdadeiro que o mau uso ou o uso excessivamente precoce traz inúmeras preocupações para os pais. A boa notícia é que existem maneiras de equilibrar tecnologia, família e sociabilidade. Descubra através das sugestões de dois renomados especialistas em relacionamentos familiares. 

Sobre os autores:
Gary Chapman é doutor em antropologia e autor de mais de 30 livros, incluindo o celebrado As 5 linguagens do amor. É casado com Karolyn, com quem tem dois filhos e três netos.  


Arlene Pellicane é palestrante, escritora e apresentadora do Happy Home Podcast. É casada com James, com quem tem três filhos. 

Podcast: “The Happy Home Podcast with Arlene Pellicane” (várias plataformas)  

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo