ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

7/06/2019

Morre João Gilberto, pai da Bossa Nova e grande influência de Roberto Carlos


Por Derbson Frota

A música brasileira está de luto. Faleceu hoje no Rio de Janeiro (RJ), aos 88 anos, João Gilberto. O cantor e compositor, considerado por muitos o “pai da bossa-nova”, tornou-se conhecido ao lançar em 1959 o álbum Chega de Saudade. A partir de então, a maneira “João Gilberto” de cantar virou moda entre os jovens, admirados com seu violão e ritmo. Uma geração de artistas que viriam a brilhar nas décadas seguintes se encantaram e foram influenciados por seu estilo. Entre eles, o rei Roberto Carlos, fã confesso de João Gilberto.

O artista fez muito sucesso, aqui no Brasil e em outros países, como Estados Unidos e Japão. Apesar de nos últimos anos não ter realizado apresentações, devido seu estado de saúde, o cantor, natural de Juazeiro, na Bahia (10 de junho de 1931), sempre foi reverenciado pelos ídolos da MPB. De acordo com a revista Rolling Stone Brasil, João Gilberto é considerado o segundo maior artista brasileiro de todos os tempos, atrás apenas de Tom Jobim.

Entre as músicas de maior destaque em sua carreira, estão, além de Chega de saudade, Wave, Desafinado, Falsa Baiana, Corcovado, O barquinho, Águas de Março e Sampa, a grande maioria composta por seu amigo Antônio Carlos Jobim.

A influência de João Gilberto ao futuro rei da música brasileira
Roberto Carlos iniciou sua carreira cantando na noite, especialmente na Boate Plaza. O repertório variava entre os maiores artistas da época, como Orlando Silva, Tito Madi, Nelson Gonçalves e, é claro, João Gilberto. Além das músicas, o futuro rei “imitava” o estilo próprio e inconfundível do “novabossista”, sua maneira de interpretar e sua batida no violão. O primeiro disco lançado pelo capixaba, em 1961, intitulado Louco por você, é um grande exemplo dessa total influência. Aliás, desde a primeira vez que o rei ouviu João Gilberto no rádio, cantando “Chega de Saudade”, sua musicalidade foi completamente influenciada: "Nunca tinha ouvido nada parecido antes. A forma de ele cantar, a colocação da voz, a emissão, a afinação, a divisão, tudo ali era perfeito. Quando ouvi João Gilberto, eu fiquei parado, porque aquilo era algo simplesmente maravilhoso." Relatou o rei em uma entrevista, anos depois.

Aos poucos, Roberto Carlos descobriu seu próprio estilo, principalmente após trocar a bossa nova pelo rock, mas nunca esqueceu quem iluminou seu caminho no início de carreira. Sempre o cantor rasgou elogios a João Gilberto, reconhecendo a obra e grandeza da arte do pai da Bossa Nova.

Que Deus abençoe e receba a alma de João Gilberto. Obrigado por sua inestimável e incomensurável contribuição musical ao nosso país de grandes artistas e de pouca memória.

Nota do Portal Splish Splash - Clique e relembre Roberto Carlos e Caetano Veloso interpretando "Chega de Saudade", composição de Antônio Carlos Jobim e Vinícius de Morais, imortalizada na voz de João Gilberto:

Derbson Frota

Sobre o autor

Derbson Frota - Professor, blogueiro, jornalista, radialista, cordelista e wikipedista, é graduado em História e especialista em Mídias na Educação e em Informática e Comunicação na Educação. Redator do Portal Splish Splash desde 2014. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil