ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

6/06/2019

Saúde: Enfermeira Katherine Maurente fala sobre a desvalorização na área da enfermagem

Nath Gil Photography 

Profissionais esgotados, sem motivação, sofrendo com ansiedade, e sem motivação no âmbito de trabalho, é o que vemos diariamente nos hospitais do Brasil. Atuantes da área de enfermagem sofrem com problemas de desvalorização na carreira, baixa salarial e com transtornos devido a pressão mental e física que enfrentam diariamente.  

A enfermeira Katherine Maurente que coordena um hospital do Rio de janeiro conta que o profissional de enfermagem estuda e se forma cheio de vigor, com muita vontade de servir aos pacientes com muita paciência e amor, mas com o passar do tempo percebem que a unidade hospitalar não é um “mar de rosas”.  

Muitos enfermeiros são maltratados por médicos que inferiorizam o profissional que está ali para auxiliar, os pacientes por vezes agridem o enfermeiro que geralmente faz os primeiros processos antes mesmo do médico chegar à sala de atendimento. 

Todas essas coisas fazem com que o profissional se sinta desmotivado, pois estudam por mais de 4 anos para atuar na profissão, passam mais tempo no trabalho do que em casa com sua família, não usufruem de feriados, datas comemorativas, se doam completamente e não tem reconhecimento.  

 Pensando em mudar isso o Brasil aderiu recentemente à campanha, “Nursing Now” da ONU, o lema da campanha é “Onde há vida, há enfermagem”, o intuito é fortalecer a educação e o desenvolvimento dos profissionais da área da enfermagem, buscando melhores condições de trabalho e estimulando a liderança no setor. 

“Acredito que os governantes mundiais estão criando uma consciência de valorização do enfermeiro, isso é bom, porque é fato que daqui alguns anos não teremos enfermeiros suficientes para atender a toda a população, e se isso acontecer o caos será instaurado nos hospitais...” Katherine Maurente – Enfermeira  


Sobre Katherine Maurente: 
Com uma mente insaciável e inquieta por desbravar novos mundos, Katherine rompeu seus horizontes, a paranaense que havia começado a vida acadêmica cursando direito, desistiu da carreira jurídica para ajudar pessoas através da área da saúde. 

Quando já estava trabalhando com enfermagem, Katherine foi criando novas percepções sobre os pacientes, e entendeu que muitas pessoas que chegam ao hospital nem sempre estão doentes apenas fisicamente. Muitos chegam ao hospital passando mal, mas esse “passar mal” é apenas um refúgio para serem ouvidas por alguém. 

Katherine sentiu necessidade de ajudar ainda mais essas pessoas e viu na formação de coach e na hipnose um caminho. Atualmente aplica as técnicas aprendidas, para dar suporte ao paciente e sua família. Ela os acolhe e orienta dando motivação para que essas pessoas consigam superar seus desafios. 

Katherine é coordenadora geral de um hospital, e sentiu a necessidade de usar as técnicas de coach também com sua equipe de trabalho, deixando de lado o conceito de chefia ou autoritarismo. Ela usa métodos mais humanos que valorizam o melhor da equipe. 

Atualmente a enfermeira usa sua rede social para expandir seus ensinamentos para fora dos muros do hospital. Em seu Instagram que conta com mais de 30 mil seguidores, divide seu trabalho, conhecimentos e mensagens positivas, mostrando que todos são capazes de modificar a vida mentalmente e fisicamente. 

Siga Katherine no Instagram: 
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

O MUNDO CANTA ROBERTO CARLOS

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil