ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

12/16/2018

Show de Roberto Carlos com Maracanãzinho a “rebentar pelas costuras” com tanto público


Mais um show de Roberto Carlos para juntar a outros em que estive presente no Maracanã (1), Maracanãzinho (3), Arena do Palmeiras (1), João Pessoa (1), Projeto Emoções em Alto Mar (2). Portanto, este o nono show do Roberto em que participo.

Como era de esperar, o Maracanãzinho lotado, o mesmo  se poderá dizer para o show que Roberto Carlos realiza neste domingo (dia 16) no mesmo anfiteatro. Já não há ingressos. Rei é rei. Haverá ainda quem possa duvidar? Só mesmo aqueles que são invejosos, ciumentos e que vestem a pele dos detratores.
                                               
Roberto Carlos que, no próximo ano, com duas importantes turnês, ou seja, à Europa (com Portugal incluído, shows em Lisboa e Porto) e Estados Unidos. Mas, antes, como se sabe, o Cruzeiro Emoções em Alto Mar, com lotação já esgotada. É sempre assim.

À semelhança de outros shows, um vê-se-te-avias para as entradas, mormente no que concerne à arquibancada. Mas tudo dentro do maior civismo e com muita alegria. E a primeira explosão foi quando entrou o Cover do Roberto, já muito conhecido dos fãs.

Roberto caprichou no horário. Apenas 15 minutos de atraso, o que, no caso, não representa nada. Como se diz por brincadeira, os tais 15 minutos de concessão para atrasos.

Roberto Carlos todo de azul a passar todas as EMOÇÕES para o público e, claro, não faltou a tão característica frase: “que prazer em rever vocês”. De resto, uma sequência das canções mais conhecidas, inclusive aquela em que participou na novela A FORÇA DO QUERER, ou seja, SEREIA. Deu para brincar com a atriz que fez de sereia. E, por ela, Roberto não teve coragem de dizer que não à Glória Perez. Foi total a risada.

Outro aspecto marcante uma canção que fez inspirado em Frank Sinatra. Aliás, já uma vez escrevemos da semelhança que existe entre Roberto Carlos e o falecido Frank Sinatra.

E o show continuou com aquela esfuziante alegria até se chegar ao encerramento com Jesus Cristo. Muita gente correu para junto do palco, mas, desta feita, não houve distribuição de rosas.

Dir-se-á, por fim, que, em termos de público, o Maracanãzinho “rebentou pelas costuras”. Só mesmo Roberto Carlos para levar tanta gente ao conhecido anfiteatro. Neste e em outros, como é sabido. 

NOTA - Afinal, Roberto, após a despedida, voltou ao palco e entregou as famigeradas rosas. Aqui fica a minha retificação, com o pedido de desculpas.

                                                                      
Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

1 comentário:

  1. parabéns pela matéria monstro sagrado do jornalismo mundial, Roberto lerá está matéria.

    ResponderEliminar

GALERIA DA LUSOFONIA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil