ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

15 de julho de 2018

Ao som da história: Festival Vale do Café atrai turistas de todo país

(foto: Festival Vale do Café/Divulgação)

Festival Vale do Café leva a música instrumental a municípios do sul fluminense, numa região marcada pela tradição. Casarões centenários emolduram os shows

Marcelo Agner

Montanhas, bom clima — com direito a um pouquinho de frio à noite —, trilhas pela natureza, gastronomia e história. A menos de duas horas do Rio de Janeiro (há ônibus e as estradas são boas para quem optar pelo carro), o Vale do Café é uma excelente opção para os turistas que visitam a capital fluminense mas buscam programas alternativos às praias e botequins e podem arriscar uma viagem curta — uma jornada parecida com a que centenas de brasilienses fazem nos fins de semana e feriados a Pirenópolis (GO). O Festival Vale do Café, entre 20 e 29 de julho, com uma programação de música instrumental, festas e diversas atividades, é uma oportunidade para o brasileiro mergulhar numa das mais interessantes regiões do interior do Brasil.

Localizada no sul fluminense, no Vale do Paraíba, perto da divisa com Minas Gerais, o Vale do Café engloba 15 municípios que entraram para a história do país. As fazendas da região, no século 19, produziram mais de 70% do café consumido e exportado. A riqueza atraiu nobres e empresários e provocou um boom econômico, colocando cidades como Vassouras, Valença e Barra do Piraí entre as mais importantes do Brasil à época, rivalizando em infraestrutura com a maioria das capitais. Mas a lavoura do café ruiu, migrou para São Paulo, Paraná e Minas e a decadência econômica se abateu sobre a região. Um longo período de estagnação veio a seguir.

Em busca de alternativas, empresários destes municípios apostam no turismo como principal saída. E há o que ver (e fazer) no Vale do Café. Os grandes casarões dos barões e viscondes estão abertos ao público, num passeio pelo Brasil do Império. São visitas que misturam história e diversão — há guias especializados, apresentações teatrais sobre a época da escravidão, como na fazenda São Roque , e até a oportunidade de conhecer a Fazenda Aliança, que substituiu a monocultura cafeeira pela produção de orgânicos.



(foto: Graziela Gomes/Labirinto da Música)
E são essas fazendas, a maioria bem preservadas, que emolduram o Festival Vale do Café. Artistas de renome no cenário instrumental brasileiro (ver programação) participam do evento. Entre os convidados, Marcel Powell, que apresentará o repertório do pai, Baden Powell, Turíbio Santos e Maria Haro, e o grupo Terno carioca. Muitos músicos ministrarão cursos e aulas para o público.

O turista que subir as montanhas rumo ao sul fluminense também tem a opção de realizar trilhas, numa região cheia de cachoeiras, montanhas e lagoas. Durante o festival, algumas fazendas promovem festas julinas, com comidas típicas e culinária fortemente influenciada pela gastronomia mineira.

E o café? Bom, a monocultura, símbolo da riqueza do Brasil há 200 anos praticamente desapareceu das lavouras do Vale do Paraíba. Devastado por pragas, por falta de mão de obra e investimentos, o café virou um figurante nesses municípios. Alguns fazendeiros, aos poucos, tentam reativar as plantações, mas para produção de grãos especiais. O café que um dia levou o progresso, deixou casarões e fazendas imponentes, base agora para a reconstrução dos municípios.

É uma viagem que vale a pena.

Um jardim dos sonhos
 
 (foto: Graziela Gomes/Labirinto da Música)

Primeira harpista do Theatro Municipal do Rio de Janeiro durante mais de 10 anos, Cristina Braga criou um paraíso ao lado de Ricardo Medeiros, compositor, arranjador e contrabaixista da Orquestra Sinfônica Nacional até 2014. O jardim Ecológico Uaná Etê une música e natureza em mais de 135 mil metros quadrados de verde e surpresas.

Em espaços cuidadosamente criados para contar a história da música e dos sons, os visitantes podem se divertir tocando instrumentos, sinos ou, simplesmente, contemplando as montanhas e matas do alto do morro. Atrações como o Labirinto da Música, as Teias e a Árvore das Infinitas Possibilidades encantam crianças e adultos, num passeio que pode durar quatro horas.

Durante o período do Festival do Vale do Café, o Uaná Etê realizará um baile de Lindy Hop e de Jazz dos anos 30 e 40.

Hotéis fazenda 

(foto: Marcelo Agner/CB/D.A Press)

No esforço de atrair turistas de todo o país, empresários da região têm investido na sofisticação das hospedagens, preservando os casarões do século 19, mas oferendo conforto e atrações para os visitantes.

É o caso da Fazenda União, com um casarão de um dos maiores barões do café e que se transformou num local de festas e hospedagens preferidos da região. A União tem uma das maiores coleções de artes sacras, objetos históricos e do período da escravidão.

Há também fazendas destinadas exclusivamente à diversão e ao lazer, como a Ribeirão, que oferece atividades náuticas, esportes e até um alambique, onde se pode degustar cachaça artesanal ao som de violeiros.

Festival vale do café
 
Ingressos e informações pelo do site: www.festivalvaledocafe.com.br

20 julho, sexta-feira
» Angelica De La Riva — “Musica Feramente Humana”

Fazenda Florença (Conservatória, RJ)

» Quarteto do Jacob - “Tributo a Jacob do Bandolim”
Fazenda Alliança (Barra do Piraí, RJ)

21 julho, sábado
» Turíbio Santos e Maria Haro — “Noites Espanholas”

Fazenda Mulungu Vermelho (Vassouras, RJ)

» Harmonitango — “Tango no Vale”
Fazenda São Luiz da Boa Sorte (Vassouras, RJ)

22 julho, domingo
» Trio In Uno — “Uma viagem na música instrumental brasileira”

Fazenda das Palmas (Paulo de Frontin, RJ)

» Duo Augusto Martins e Paulo Malagutti — “Piano e Jobim”
Fazenda Ponte Alta (Barra do Piraí, RJ)

27 julho, sexta-feira
» Ulisses Rocha — “Violãocello — Causo e Prosa”

Fazenda União (Rio das Flores, RJ)

» Carol McDavit — “Leonard Berstein: 100 anos”
Fazenda do Paraizo (Rio das Flores, RJ)

28 julho, sábado
» Celso Faria, Pedro Cantalice — “Trajeto do violão no Brasil” com participação de Turibio Santos

Fazenda Guaritá (Rio das Flores, RJ)

» Marcel Powell — “Só Baden”
Fazenda Vista Alegre (Valença, RJ)

29 julho, domingo
» Duo Dani Spielmann e Sheila Zagury — “Entre mil, você!” Tributo a Jacob do Bandolim com participação especial de Marina Chuva

Fazenda São João da Prosperidade (Barra do Piraí, RJ)

» Terno Carioca — “100 anos de Jacob do Bandolim”
Fazenda São Roque (Vassouras, RJ)

Jardim Ecológico Uaná Etê
(24) 2468-1550
WhatsApp: (24) 98878-1550
jardimuanaete@gmail.com
www.uanaete.com

Onde ficar

Hotel Santa Amália
(24) 2471-1200 / (24) 98839-8728
reservas@hotelsantaamalia.com
www.hotelsantaamalia.com

Hotel Fazenda União
(24) 99915-1210 | (21) 999911-1210
reservas@fazendauniao.com.br
http://www.fazendauniao.com.br/

Fazenda Ribeirão
WhatsApp: (24) 9.9936-8452 | (24) 2447-7650
reservas@fazendaribeirao.com.br
www.fazendaribeirao.com.br

Vila Hibisco Pousada & Apart
(24) 2471-3356 | (24) 2491-2535 | (24) 98839-8730 (Whatsapp)
contato@vilahibisco.com.br
www.vilahibisco.com.br 
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES
clique na imagem para ver os perfis