ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

8/25/2013

3.º Bate-papo entre Eduardo Lages e eu – Parabéns a você







Por Armindo Guimarães
Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins


PARABÉNS A VOCÊ

Decididamente as coisas ultimamente não me têm corrido de feição e por isso o invólucro que sustenta todo o meu ser anda assim a modos que enfadado. Coisas que acontecem aos simples mortais.

Tem-me valido o meu sentido positivista perante situações derrotistas. E resulta sempre.

Com efeito, quando menos esperava, eis que neste interim, recebo um telefonema surpreendente do maestro Eduardo Lages. Digo surpreendente porque, como todos sabem, o primeiro aconteceu por acaso, o segundo por casualidade (?!) e este último, o terceiro, por milagre. Pelo menos assim eu considero, já que hoje, dia de aniversário do Mestre Maestro, certamente ninguém esperaria receber tamanha prenda ao invés de a dar, e eu recebi um seu telefonema.

Como certamente todos compreenderão tudo isto está a ser demasiado para mim que aqui tão longe, do outro do Atlântico, onde a terra acaba e o mar começa, sou por vezes surpreendido com emoções que me abalam as entranhas e me espicaçam a mania do robertocarlismo, do eduardolagismo, enfim, do portuleirismo e coisas conexas.

Mas deixemo-nos de tretas e vamos mas é ao que interessa.

Foi assim:

11 de Março de 2008, Terça-feira, 21,15h
O meu telemóvel vibra.
Trrrrrrrrrr, trrrrrrrrrrr, trrrrrrrrrr… Chamada anónima
E eu atendo.

ARMINDO – Estou!
EDUARDO LAGES – Oi, Armindo! Tá falando Eduardo Lages! Como vai você?
ARMINDO – Olá, Eduardo! Mas que surpresa! Com esta é que eu não contava agora, carago!
EDUARDO LAGES – Confesso que nem eu contava, sabia? Eheheheheh
ARMINDO – ehehehehehe
EDUARDO LAGES – Acontece que estou com minha família comemorando meu aniversário…
ARMINDO – Parabéns a você, nesta data querida, muitas…
EDUARDO LAGES – Armindo, pére aí, pôxa! Deixa eu acabar o que estava falando.
ARMINDO – OK!
EDUARDO LAGES – Justamente quando eu me estava preparando pra abrir uma garrafa de champanhe, meu chefe Enrico disparou com esta: “Vovô, não esqueça que pra abrir essa garrafa de champanhe você vai ter que usar saca-rolhas como faz o Armindo lá de Portugal. Eheheheheh Porque você não telefona pra ele agora, vovô?”.
ARMINDO – eheheheheh Grande Enrico, carago! Sempre se lembrando do seu ídolo!
EDUARDO LAGES – Você tem razão, Armindo. Enrico é mesmo seu fã e por causa de sua ideia de eu telefonar pra você, todos meus familiares fizeram cara de poucos amigos, na certa pensando pra seus botões que ainda não seria nesta hora que iriam provar meu bolo de aniversário e tomar champanhe, tudo por causa de um portuga do outro lado do Atlântico. Porém, Nathalie, Ana Luísa, Maria Fernanda e até mesmo Christine, minha fotógrafa privativa eheheheheh, acharam ótima a ideia, dizendo que assim meu aniversário seria festejado duma ponta a outra do Atlântico.
ARMINDO – É isso, Eduardo! Além de que faz sentido depois de todas as atlântico-emoções recentemente vividas a bordo do transatlântico Costa Mágica. Por isso, vá lá então buscar esse saca-rolhas, deite o champanhe nesses copos que eu estou já a correr para o meu frigorífico para fazer o mesmo.
EDUARDO LAGES – Armindo, você está falando sério, ou está tentando que eu caia no erro que caiu você aquando do aniversário do Roberto, que foi buscar saca-rolhas pra abrir garrafa de champanhe? Eheheheheh Quando me lembro dessa cena eu me rio demais, sabe? Eheheheheh Só mesmo um portuga se lembraria de abrir garrafa de champanhe desse jeito. Eheheheheh
ARMINDO – eheheheheh
EDUARDO LAGES – Minha família me mata de mimos, sabe? Meu bolo de aniversário está até enfeitado com uma batuta, me fazendo lembrar que eu neste momento devia era estar vera com você indo contar pra todo mundo que eu andei a procurando depois de meu show com Roberto, tudo por causa de tanta emoção vivida nessa noite. E você em seu último bate-papo com o Roberto e comigo, bem que podia evitar falar nesse pormenor em que eu fiz figura caricata procurando minha batuta.
ARMINDO – Ó Eduardo, isso acontece aos melhores, além de que tudo o que escrevi no bate-papo é para todos os efeitos fictício. Por isso, não passou tudo de uma invenção minha para animar a malta. Eheheheheh
EDUARDO LAGES – Pois, mas o pior é que por causa disso você nem imagina o quanto Roberto… - “Pére aí Enrico! Que mania cê tem sempre querendo interromper minha conversa com o Armindo!...”. - Desculpe, Armindo, estava a falar com o Enrico que está aqui em cima de mim querendo me arrancar o celular das mãos pra bater papo com você. Mas como eu estava dizendo, você nem imagina o quanto o Roberto sempre se lembra de mandar gozação pra mim por causa do episódio da batuta e como você sabe o culpado foi ele que pousou ela em cima de meu piano.
ARMINDO – eheheheheh O Roberto tem montes de absolutamente. O gajo está a mudar a olhos vistos. O humor está com ele. Porém, ainda não está como eu quero.
EDUARDO LAGES – Puxa vida, Armindo! Você ainda quer mais? Roberto é como o Costa Mágica, está indo de vento em popa! eheheheheh
ARMINDO – Pois, mas com ele eu nunca me dou por satisfeito. Por exemplo, não descanso enquanto não o convencer a cortar um pouco mais o cabelo ficando ainda mais sexy.
EDUARDO LAGES – eheheheheh Ele até já me disse que você consegue ser mais exigente com seu visual como nunca uma fã seria. Eheheheheh
ARMINDO – Ele disse isso? A próxima vez que ele me telefonar vai estar tramado comigo que vai ouvir das boas!!!
EDUARDO LAGES – Armindo, aqui o pessoal está fic…
ENRICO – Seu Armindo, consegui tirar o celular das mãos de meu vovô só pra lhe mandar um abração, carago! Tá tudo porreiro com você?
ARMINDO – Olá Enrico! Já tinha saudades de ouvir a tua voz, pá! Tá tudo fixe contigo?
ENRICO – Fui eu que dei a ideia a meu vovô pra telefonar a você, viu? Então aí este bate-papo com meu vovô passa a ser o 3º. só faltando mais dezanove pra igualar aqueles que você tem com o Roberto. Eheheheheh
ARMINDO – eheheheheh Ó Enrico essa foi do baril, pá!
ENRICO – Armindo, vou passar o celular a meu vovô pois ele está ficando com cara de poucos amigos e você sabe que hoje é seu dia, né? Um abração pra você, viu?
ARMINDO – Outro pra ti Enrico. És um gajo do carago, pá! Eheheheheh
EDUARDO LAGES – Armindo, você me desculpe mas aqui o pessoal está ficando impaciente com fome de bolo e sede de champanhe. Por isso, mesmo sem o seu saca-rolhas vou abrir a garrafa. Você já abriu a sua ou ainda está procurando o saca-rolhas? Eheheheheh
ARMINDO – Já tenho champanhe no meu copo. Estou pronto pra brindarmos. Quando começamos a cantar os parabéns?
EDUARDO LAGES – Vou contar até três e quando disser três começamos todos a cantar, tá legal?
ARMINDO – OK!
EDUARDO LAGES – Um, dois…
ARMINDO – Ó Eduardo, desculpe interromper. A vela já está acesa pra você soprar?
EDUARDO LAGES – Armindo, você não vai querer fazer igual como quando cantamos eu, você, o Enrico e o Roberto aquela canção portuguesa, que foi interrompida não me lembro quantas vezes!!!
ARMINDO – Ó Eduardo, dessa vez você interrompeu mais vezes do que eu. Além disso esta minha interrupção teve razão de ser, pois brindar sem vela é como navio sem leme, ou, melhor ainda, como maestro sem batuta. Eheheheheh
EDUARDO LAGES – eheheheheh Vamos lá então pessoal! Um, dois, três!!!

FAMÍLIA LAGES NO BRASIL E ARMINDO PORTULEIRO EM PORTUGAL

Parabéns a você, nesta data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida. Hoje é dia de festa, cantam as nossas almas, pro menino Edu, uma salva de palmas!!!

Ei! Ei! Ei! Ei! Ei!
Ei! Ei! Ei! Ei! Ei!

EDUARDO LAGES – Armindo, hoje foi um dia especial para todos nós e foi gratificante termos você festejando connosco. Obrigado, viu?!
ARMINDO – Eduardo, quem faz anos é você e eu é que recebi a prenda do seu telefonema. Por isso, eu é que agradeço.
EDUARDO LAGES – Um grande abraço pra você. Um dia destes volto a lhe telefonar, valeu? Enrico e todos aqui em casa lhe mandam um abração. Até um dia!
ARMINDO – Eduardo, obrigado pela surpresa. Muitas felicidades e um grande abraço para si e toda a sua família.
EDUARDO LAGES – Ah! Se você mandar este nosso bate-papo lá para o fórum do Portal Clube do Rei, não esqueça de no final deixar menção que tudo é fictício, tá legal? Bem vê, Armindo, se todo mundo soubesse que nossos bate-papos são autênticos, todos se sentiriam no direito de também receberem telefonemas meus e eu não teria nem tempo pra minha música, né!
ARMINDO – Ó Eduardo, você agora até parece o Roberto sempre preocupado com isso. Descanse que eu não esqueço desse importante pormenor.
EDUARDO LAGES – Xau!
ARMINDO – Xau!


AVISO:

O texto que acabaram de ler é fictício.
Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência.

A ficção revela verdades que a realidade omite"
Jessamyn West
Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

2 comentários:

  1. Querido Armindo!

    Esse texto é mais uma maravilha!
    Muita emoção, muita alegria!
    Impressionante a forma como descreves as situações e os sentimentos das pessoas envolvidas e como consegues nos envolver, pois eu até cantei aquele lindo Parabéns a Você, junto contigo e toda a família do Maestro...eheheheh!!!
    As tuas conversas com o Enrico são de encantar!
    O texto é contagiante, uma ficção perfeita, é super bem escrito e nos deixa o gostinho de quero mais...
    Parabéns Armindo!

    Beijinhos
    Alba Maria

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito dessa página!Parabéns!

    ResponderEliminar

HOMENAGEM A ROBERTO LEAL

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil