ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

8/12/2008

Roberto Carlos é muito mais do que isso!





Por: Armindo Guimarães
Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins
Facebook

Quando me perguntam qual o cantor brasileiro da minha preferência, logo respondo: Roberto Carlos. E se para alguns a minha resposta é perfeitamente normal, para outros fica-me a sensação que estariam à espera que a resposta fosse: Chico Buarque, Caetano Veloso, Gal Costa, Maria Bethânea, Fafá de Belém, que também aprecio. Creio que o motivo de alguns não incluírem Roberto Carlos no rol daqueles cantores, se deve a uma ideia pré-concebida de certa intelectualite, certamente motivada pela ignorância que possuem sobre a obra daquele que não é por acaso que é conhecido pelo Rei da MPB e cuja obra, não raro, é apreciada e até mesmo interpretada por muitos cantores brasileiros, incluindo por alguns dos acima referidos, bem como por cantores e compositores de outros países, Portugal incluído. E se para alguma intelectualite, Roberto Carlos é apenas um vulgar interprete de canções de “dor de cotovelo”, esquecem, ou fazem por esquecer, que essa dor existe mesmo e que provavelmente já a experimentaram sem terem a coragem de a admitir. Contudo, se se chegar à conclusão que tal etiqueta é negativa, mesmo assim não colhe o argumento pelo simples motivo de que não se pode avaliar alguém apenas por um pormenor, tanto mais que cantigas e odes ao amor sempre existiram, sendo que o Poeta dos poetas é exemplo disso, pois que para além de nos ter legado “Os Lusíadas”, também nos deixou o seu Teatro e a sua Lírica, numa delas cantando:

Quem diz que Amor é falso ou enganoso
Ligeiro, ingrato, vão, desconhecido,
Sem falta lhe terá bem merecido
Que lhe seja cruel ou rigoroso

Mas mesmo dentro da temática do amor, Roberto Carlos é abrangente na medida em que nos oferece composições estéticas incomensuráveis, como é exemplo em Cavalgada, um encontro metafórico entre dois seres, tendo como testemunhas não estáticas mas especialmente activas na observação de tão idílico encontro: as estrelas do firmamento e o astro-rei.

1977 - CAVALGADA
Vou cavalgar por toda a noite
Por uma estrada colorida
Usar meus beijos como açoite
E a minha mão mais atrevida

Vou me agarrar aos seus cabelos
Pra não cair do seu galope
Vou atender aos meus apelos
Antes que o dia nos sufoque

Vou me perder de madrugada
Pra te encontrar no meu abraço
Depois de toda cavalgada
Vou me deitar no seu cansaço

Sem me importar se nesse instante
Sou dominado ou se domino
Vou me sentir como um gigante
Ou nada mais do que um menino

E agora, faço aqui um interregno para chamar a especial atenção dos leitores para este singular final de quem presenciou a Cavalgada.

Estrelas mudam de lugar
Chegam mais perto só pra ver
E ainda brilham de manhã
Depois do nosso adormecer

E na grandeza desse instante
O amor cavalga sem saber
Que na beleza dessa hora
O sol espera pra nascer

O que faz, também, certa intelectualite olhar de soslaio Roberto Carlos, é o facto de ele nunca se ter metido nos meandros da política, pese embora a circunstância de à sua maneira manifestar o seu descontentamento e a sua solidariedade para com os mais desfavorecidos e os politicamente perseguidos, de que é exemplo:

1971 – DEBAIXO DOS CARACÓIS
(composição dedicada a Caetano Veloso quando este se encontrava exilado em Londres).

Você anda pela tarde e o seu olhar tristonho
Deixa sangrar no peito uma saudade, um sonho
Um dia vou ver você chegando num sorriso
Pisando a areia branca que é seu paraíso

1982 - PENSAMENTOS
Pensamentos que me afligem
Sentimentos que me dizem
Dos motivos escondidos
Na razão de estar aqui

1988 – TODO MUNDO É ALGUÉM
Não importa qual a cor do homem
Como ele se veste, de onde vem
Dentro de um castelo ou de um barraco
Ele é alguém com o que tem
É guerreiro nessa disputa
E onde ele estiver
O respeito por sua luta
É tudo o que ele quer

1992 – HERÓI CALADO
Pega no pesado, o corpo suado
Calo tem nas palmas das mãos
Esse herói calado, um abençoado
O nome dele é povão

Acresce ainda que a vasta obra de Roberto Carlos alude a acontecimentos recheados de um imaginário mágico muito intenso; com mensagens, ora dramáticas, ora irónicas, de grande cariz poético, que retractam bem os costumes ou factos da vida social e a actualidade de problemáticas, tais como a fé, família, amizade, progresso, guerra, paz, ecologia.E no que à ecologia se refere, Roberto Carlos há muito que é por excelência um bastião sobre a matéria, primeiro em 1970 (em 1970, imaginem!), quando em O Astronauta, desabafa:

1970 – O ASTRONAUTA
Bombas que caem
Jato que passa
Gente que olha um céu de fumaça

Depois, em 1976 quando em O progresso, nos diz que não é contra o progresso mas apela para o bom senso, rematando:

1976 – O PROGRESSO
Eu queria não ver tantas nuvens escuras nos ares
Navegar sem achar tantas manchas de óleo nos mares
E as baleias desaparecendo
Por falta de escrúpulos comercias
Eu queria ser civilizado como os animais

Segue-se Panorama Ecológico, O ano passado, As baleias, Águia Dourada e Amazónia.

1978 - PANORAMA ECOLÓGICO
Baleias entupidas e lagostas afogadas,
Barracudas deprimentes e homens inteligentes

1979 - O ANO PASSADO
Quem sabe um museu no futuro,
vai guardar em lugar seguro,
Um pouco de ar puro relíquia do ano passado

1981 – AS BALEIAS
Seus netos vão te perguntar em poucos anos
Pelas baleias que cruzavam oceanos
Que eles viram em velhos livros ou nos filmes dos arquivos
Dos programas vespertinos de televisão

1987 - ÁGUIA DOURADA
Natureza que reclama,
Flores, folhas, verde vida,
Rios, mares se derramam pela terra tão ferida,
Ventos pedem, choram e chamam

Finalmente, com Amazónia em 1989, protestando:

1989 - AMAZÓNIA
Sangue verde derramado
O solo manchado
Feridas na selva
A lei do machado

Depois de tudo o que se tem dito, depois de tudo o que aqui se diz, não é possível que os admiradores do cantor e do homem Roberto Carlos Braga, continuem a suportar a barra de quem não vê ou não quer ver o que está na cara.

Armindo Guimarães

Sobre o autor

Armindo Guimarães - Doutorado em Robertologia Aplicada e Ciências Afins e Escriva das coisas da Vida e da Alma. Administrador, Editor e Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre o autor...

17 comentários:

  1. Meu caro amigo Armindo,
    estou aqui sem saber o que dizer, diante dessa sua linda explanação.
    Muito, muito linda e verdadeira.

    Por gostar do nosso mais que tudo desde a Jovem Guarda(e eu sou só um pouquinho mais velha que ele...),até hoje muitos torcem o nariz quando falo nele, e sempre foi assim. Como você disse, ignorância, eles não conhecem, não sabem (ou fingem não saber), o que esse homem fez e faz, com a sua música.

    Brega, chiiiii, cansei de ser chamada de brega por gostar de Roberto Carlos, e assumo, se gostar dele é ser brega, então eu sou mesmo, e com orgulho, afinal ele é o Rei.
    E note, meu amigo, geralmente esse preconceito(ou inveja, além da ignorância), vem mais da terceira e meia idade.
    Sabe, tenho amigos jovens, que admiram Roberto,comentam comigo sua obra e até bricam, chamando-o de Robertão...Um deles inclusive me disse ( e ele tem vinte e poucos anos...) que se emocionou no último Especial, ao vê-lo cantando com a Camila Pitanga.

    É isso aí meu amigo, consegui dizer alguma coisa.

    O vídeo? Muito triste, mas a música é linda!

    Um beijo,
    Carmen Augusta

    Ah!Ficou muito chique o Blog! Agora temos até vídeo...
    Parabéns!

    ResponderEliminar
  2. Amigo Armindo

    Só no mundo maravilhoso das palavras poderias buscar, sintetizar e defender, com tanta clareza e objetividade, a grandiosa obra do Rei. Te parabenizo pelo excelente artigo, pelo blog, e pelo poder de criação.

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  3. Amigo, depois deste relato tão compacto e ao mesmo tempo tão inteligentemente robertolístico só tenho a acrescentar que Roberto é completo porque não só fala o que sente mas deixa ao fundo de cada letra um sentimento que cada um acolhe de acordo com o seu momento. Qual o significado de intelectualite?? a resposta é : Roberto Carlos também!

    ResponderEliminar
  4. Mindo, essa matéria está um explendor!!!

    O que falaste aqui em relação ao nosso Rei, não é nada mais do que a pura verdade. Quem tem o dom de compor, de escrever, não precisa de uma graduação, para expressar os sentimentos, pois a poesia já corre nas veias desse homem sensível, humano e que sempre esteve em alerta para muitos problemas que a humanidade enfrenta.

    Roberto tem sido sempre feliz em suas composições, pois ele nos mostra ensinamentos, voltado para uma vivência, uma realidade, que explícitamente vê-se num mundo atual, como as canções citadas e comentadas pelo querido Armindo.

    O ser iluminado que o Rei sempre tem demonstrado ser, em suas atitudes, nas suas composições, falando do amor, de muito amor e o nosso nobre escritor, ressalta que o mesmo repassa sobre os problemas sociais, de discriminação e Roberto com o grande coração que tem, é sempre solidário, de uma mão amiga que manifasta-se na hora exata.

    Os seus sentimentos voltados para os problemas de forma abrangente, envolvendo diversos aspéctos do mundo em que vivemos. O foco principal citado pelo Mindo, comunga a Ecologia de uma forma que não há uma conciliação entre o progresso e a sustentabilidade natural do ambiente.

    O título dessa matéria diz tudo; " Roberto Carlos é Muito Mais do Que Isso!" Roberto é um homem bom, por isso vou postar aqui, para ilustrar a linda e espetacular matéria do nosso amigo, a canção " O Homem Bom", que ontem mesmo recebi de um amigo solidário. O meu filho ouvido comigo disse: - mãe, que letra linda tem essa canção! E a melodia também!


    O Homem Bom (1996)

    Paulo Sette - Clayton Querido


    Vai com um vento
    Solto numa campina
    Desliza na relva verde
    E vai subindo pela colina
    Todas as folhas secas
    Viram tapete aqui nesse chão
    Nos pés desse homem bom
    Que só tem amor no seu coração
    Vê outra madrugada
    Que vem chegando
    Fala com os passarinhos
    Brinca com as flores, vai meditando
    Ele é um mensageiro
    Da alegria e jamais da dor
    Quer a felicidade da humanidade
    Seja onde for
    Ele é uma pessoa
    Que ama e perdoa e não vê a quem
    Anda pelos caminhos
    Levando a paz, ajudando alguém
    Por todos os lugares
    Cruzando os mares, fazendo o bem
    Ele é um homem bom
    Distribui amor e tudo o que tem
    Cheio de amor e fé
    Ele é nosso irmão
    Aquele grande amigo
    Que no perigo estende a mão
    Tem no olhar a calma
    Tem luz na alma e na sua voz
    Tem sempre uma palavra
    De amor e paz pra dizer pra nós
    Sabe tudo o que diz
    O Livro Sagrado
    E tudo o que ele ensina
    Em seu coração ele tem guardado
    Quem sabe o nome dele
    Se é Pedro ou Paulo ou se é João
    Só sei que é um homem bom
    Porque tem Jesus no seu coração
    Ele é uma pessoa
    Que ama e perdoa e não vê a quem
    Anda pelos caminhos
    Levando a paz, ajudando alguém
    Por todos os lugares
    Cruzando os mares, fazendo o bem
    Ele é um homem bom
    Distribui amor e tudo o que tem
    Ele é uma pessoa
    Que ama e perdoa e não vê a quem
    Anda pelos caminhos
    Levando a paz, ajudando alguém
    Por todos os lugares
    Cruzando os mares, fazendo o bem
    Ele é um homem bom
    Distribui amor e tudo o que tem
    Ele é uma pessoa
    Que ama e perdoa e não vê a quem
    Anda pelos caminhos
    Levando a paz, ajudando alguém

    O Blog está mil estrelas, com esse maravilhoso vídeo sobre as Baléias, veio culminar a matéria, muito bem redigida pelo Armindo. Linda canção, pena que mostra a destriição de um ecossistema do mundo em que habitamos.

    Grande beijo da amiga que admira-te muito.

    Mazé Silva.

    ResponderEliminar
  5. Olá, Guta!
    Ai meu Deus! Eu é que fico sempre sem saber o que dizer diante de tantos aplausos, ainda por cima vindos de quem me merece muita estima e consideração.
    Quanto aos jovens que a Guta conhece que gostam de RC, eu não tenho tanta sorte assim, pelo menos no que se refere aos brasileiros radicados na minha cidade. Não tenho amizade com nenhum, como gostaria, pois os contactos são sempre ocasionais e breves. Por exemplo, na Terça-feira, entro num café e reparo que ao balcão estavam dois brasileiros, um com 20 e poucos anos (quase da minha idade) e o outro de 50 e tal anos. Reparei que o mais novo tinha umas malas na mão e estava a falar de karaokes, retirando duma das malas alguns DVD. Então, pensando no nosso mais que tudo, dirigi-me a ele perguntando: Oi, cara! Cê tem aí algum karaoke do RC? Ele olhou pra mim meio desconfiado e perguntou: Cê tá falando do Roberto Carlos? E eu, desta vez falando portuga: Claro, pá! Quem é que havia de ser, carago!? Resumindo, ele tinha um DVD com 15 músicas do RC (Calhambeque, Quero que vá tudo pro inferno, Cavalgada, O baile da fazenda, etc.) e eu logo perguntei: Ó pá tá aqui um porreiro que eu quero comprar. Quanto é que custa? E ele respondeu-me: Quanto custa? Eu não ando vendendo, cara! Eu sou Disco Jokey! – É claro que fiquei sem saber onde me meter, mas ele logo me disse, que não havia problema que irir gravar um DVD e que no dia seguinte me traria. Perguntei-lhe mais uma vez quanto teria que pagar e ele respondeu-me que não tinha que pagar nada. No dia seguinte (ontem), à mesma hora e no mesmo café, lá estava ele com o DVD. Estivemos a bater um papo e soube que ele não era fã do RC mas que a sua mãe tinha todos os discos de vinil do Rei, incluindo o “Louco por você”. O outro seu amigo brasileiro ao ouvir que falávamos do RC apenas sorriu cumprimentando-me, após o que continuou a sua conversa sobre futebol com outro cliente do lado.
    Enfim, foi mais um episódio que se passou comigo por causa do nosso RC.
    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  6. Olá, Amigo João!

    Não imaginas a minha surpresa ao ver-te aqui, pá!

    Fiquei contente por saber que gostaste e espero que voltes sempre.

    Lembraste daquela do Dr. João Coração, do Dr. Derbson Todo Bom, do Dr. Mindo das Meiguices e do Dr. Zunga Amor, o chefe da equipa médica do fórum do Portal sempre pronta a actuar em favor daqueles que padeciam do mal da apaixonite aguda e da robertodepêndia crónica? Eheheheh Velhos tempos!

    Grande abraço!

    NOTA: Para quem não souber, o João é o JOÃO1951 do Portal.

    ResponderEliminar
  7. Olá, Amiga Carmo!

    Que bom que vieste aqui!

    Obrigado pelo teu comentário. O que disseste foi bem dito!

    O Roberto é um Senhor!

    Aparece sempre, tá?

    Grande abraço

    ResponderEliminar
  8. Olá, Mazé!

    Gostei muito do teu comentário, sempre acrescentando algo sobre a matéria.

    Também gostei do facto de teres postado aqui o “O homem bom”, cuja letra, curiosamente, foi há tempos alvo de opiniões no fórum do Portal Clube do Rei, concretamente no que se refere à dúvida sobre quem seria esse tal homem bom, se o Papa, se Jesus Cristo, e eu sei lá que mais hipóteses.

    Fico contente por saber que gostaste do artigo e do vídeo.

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  9. Sandro Rogério (sandrorls)14 de agosto de 2008 às 13:09

    Amigo Armindo,

    Depois de ler o que foi escrito fiquei a refletir sobre o título "Roberto Carlos é muito mais do que isso!".
    Acredito estarmos vivendo, cada vez mais, confusões nas mentes de uma sociedade que não sabe que rumo tomar.
    Escondem-se sentimentos, pois quem os sente é rotulado de brega e exterioriza-se uma intelectualidade formada na artificialidade tão bem mostrada nas telas de cinema na obra de Steve Spielberg, no filme "A.I.Inteligência Artificial".
    O desconhecimento sempre vai fazer parte da humanidade. Somos seres em permanente evolução e como já disse Roberto: "não somos perfeitos, ainda!"
    E ao pensar nessa evolução onde o pequeno precisar conviver com o grande, onde as diferenças são necessárias para se formar o todo, concluo que "Roberto Carlos também é tudo isso, e muito mais!". E torço para que, como no filme, a artificialidade comece a ser real e o sentimento extrapole os limites interiores da nossa mente para que, como uma praga, contamine a todos.

    Um grande abraço,

    Sandro Rogério

    ResponderEliminar
  10. Olá, Amigo Sandro!

    Mais uma vez adorei o teu comentário com tão sábias palavras.

    A ficção cientifica é um tema que há muitos anos me atrai.

    Gramde abraço, pá!

    ResponderEliminar
  11. Tem piada, coloquei há dias um post sobre Roberto Carlos e que dizia uma coisa tão simples como: "quando eu era criança, ele era o Rei"... concordo com essa ideia que dizes de haver algum pudor em se assumir que roberto Carlos era um excelente intérprete... bom, eu assumo e ainda sei de cor "as baleias".
    Passei por acaso, através do Bernardo, e vou voltar. Ficas convidado a aparecer no meu cantinho, que embora seja meu, é de todos.

    Abraço,
    Sónia

    ResponderEliminar
  12. Esqueci-me de dizer: és do Porto, só podes ser boa pessoa!!!

    ResponderEliminar
  13. Meu amigo Armindo,

    Você disse muito, ele é mais que isso mesmo, mas é muito legal saber que ele é tudo isso, argumentado por você e com isso temos um reconhecimento da dimensão RC - Uma estrela de infinita grandeza! E nós, a contemplarmos cada momento desse brilho!

    Blog Música do Brasil
    www.everaldofarias.blogspot.com

    Um forte abraço ao portuga mais que querido!

    ResponderEliminar
  14. Olá, Sónia!
    Muito obrigado pela visita e pelo teu simpático comentário.
    Fiquei contente por saber que no teu blog colocaste um post sobre Roberto Carlos e vou já dar uma olhadela para matar a curiosidade. Eheheheh
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  15. Olá, Everaldo!
    Como teu fã, fico sempre sensibilizado com os teus comentários.
    Obrigado e aquele abraço!

    ResponderEliminar
  16. Nobre colega Armindo,

    RC é um cantor INimitável, INigualável, INfinito, INvejável...

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  17. Muito Bom o Blog, Parabéns Armindo!! =D

    Abraço, Flws!

    www.robertocarlos-internaciona.blogspot.com

    ResponderEliminar

MÚSICA LUSÓFONA

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil