Por que a queda capilar é uma sequela comum em pacientes que tiveram Covid-19?


Associada à qualidade do corpo docente, a especialização em Medicina de Urgência e Emergência na Unoeste apresenta dois outros componentes de alto impacto no processo do aprendizado de formação continuada e qualificação profissional


'Punhados' de cabelo saem da cabeça ao tomar banho ou a escovar o cabelo


Cientificamente, a queda de cabelo que muitas pessoas desenvolvem após a infecção por Covid-19 pode não ser tão inesperada quanto outras sequelas

São Paulo – 30/06/2022 - No mundo inteiro, pacientes recuperados de Covid-19 relatam sequelas comuns e uma delas é a queda de cabelo, um problema que pode ser angustiante dada a quantidade de fios que costumam cair nesses casos. "A febre é um sintoma comum da Covid-19 e já é bem documentado cientificamente que, alguns meses depois de ter febre alta ou se recuperar de uma doença, muitas pessoas percebem uma perda de cabelo. Esse quadro é chamado de Eflúvio Telógeno e acontece quando os cabelos saem da fase de crescimento (anágena) e entram precocemente na fase de queda (telógena). Vários fatores podem desencadear o eflúvio telógeno: infecções virais diversas, como Covid-19 e dengue, cirurgias, medicamentos, início ou interrupção de anticoncepcional, estresse emocional, dietas restritivas, entre outros”, explica a Dra. Jaqueline Zmijevski*, dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Fellow em Tricologia pela Associação Médica Brasileira (AMB).

A dermatologista explica que a maioria das pessoas nota queda de cabelo dois a três meses depois da doença. “Mas não se assuste: o problema tende a ser resolvido sozinho”, completa a médica.

De acordo com a especialista, os pacientes relatam que 'punhados' de cabelo saem da cabeça ao tomar banho ou escovar o cabelo. “Essa queda de cabelo pode durar de 3 a 6 meses. A maioria das pessoas, então, vê diminuição da queda e o cabelo voltando ao normal. Porém, de 10 a 20% desses pacientes podem não melhorar espontaneamente, necessitando de tratamento. Nesses casos, vale a pena passar por uma consulta médica para investigar outras causas de perda dos fios e então tratar adequadamente”, completa a Dra. Jaqueline.

Tratamentos

Tratar uma condição como queda de cabelo pós-Covid leva tempo e paciência. “Além de uma boa alimentação e hábitos de vida saudável, como sono de qualidade, controle de estresse com atividade física diversa, indicamos, além disso, ficar longe das químicas, especialmente os alisamentos”, diz a médica. “Se a queda persistir, procure seu dermatologista de confiança”, finaliza a Dra. Jaqueline Zmijevski.

                                                                ✳✳✳

*DRA. JAQUELINE ZMIJEVSKI: Dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), pós-graduada em Medicina Estética e Fellow em Tricologia pela Associação Médica Brasileira (AMB). A médica também é membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia e da Associação Brasileira de Medicina Estética. Instagram: @dermato.jaqueline

 

Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Gostou do que leu, viu e/ou ouviu? Então, para completar, só falta o seu comentário. Se não gostou, comente também. O autor agradece.

buttons=(OK!) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !