Especialistas do marketing médico apostam em negócio para demanda brasileira

O marketing digital na área da saúde é mais do que apenas uma moda passageira - é uma mudança fundamental na forma como os profissionais alcançam e se comunicam com os pacientes. Para competir no ambiente de saúde em rápida evolução de hoje, os profissionais de medicina devem mudar fundamentalmente de dentro para fora.
 

Em menos de um ano mais de 600 profissionais da medicina já consumiram o conteúdo oferecido exclusivamente no Brasil pela Central do Marketing Médico

A saúde hoje não é mais como há de dez anos, graças às pesquisas, o conhecimento e, sobretudo, à tecnologia. Assim como os recursos digitais se fazem presentes e contribuem no diagnóstico, no tratamento e na medicina preventiva, eles também estão no dia a dia do médico/paciente, bem na palma da mão. Nesse sentido, quatro especialistas se reuniram e criaram a Central do Marketing Médico que propõe aproximar as pessoas dos profissionais da saúde por meios de recursos do marketing e ferramentas digitais com estratégias certeiras.

A iniciativa partiu da demanda que Douglas Gomides, Livia Roque, Patrícia Sorrentino e Thiago Martins, autores do livro Marketing Médico 5.0 e fundadores da CMM, encontraram ao conversar com profissionais interessados em fazer marketing de alta performance. Com uma bagagem por terem atendido mais de 9 mil médicos de países como Estados Unidos, Turquia, Itália e ntre outros, o quarteto viu nos relatos recebidos a necessidade de criar um serviço que suprisse a demanda. E embora o mercado ofereça serviços desta natureza, a maioria das queixas dos médicos brasileiros é sobre os resultados que não correspondem às expectativas, ou que não tiveram retorno, ou ainda não entenderam a importância de se trabalhar a quatro mãos, porque acreditam que quando o serviço é terceirizado ele deve ser feito 100 % pelo profissional de marketing.

Desde que a CMM iniciou os trabalhos em novembro de 2020, o projeto já atingiu mais de 600 médicos, por meio de aulas gratuitas e cursos. Somente nas redes sociais, os especialistas da Central já angariaram mais de 256 mil seguidores. A estimativa é de que até o início do próximo ano estes números tripliquem.

Atualmente, marketing é estar presente, engajando, se conectando, influenciando, participando e humanizando, segundo os especialistas. "se o médico não vira essa chave dificilmente ele vai conseguir virar sonho de consumo. E tem mais: por falta de conhecimento, pecam em questões elementares como o atendimento. E nem imaginam que isso também faz parte do marketing e branding", reforça Livia Roque.

O marketing digital na área da saúde é mais do que apenas uma moda passageira - é uma mudança fundamental na forma como os profissionais alcançam e se comunicam com os pacientes. Para competir no ambiente de saúde em rápida evolução de hoje, os profissionais de medicina devem mudar fundamentalmente de dentro para fora. Mas Douglas Gomides defende que "quem não se posiciona se torna invisível. E quem não tem haters, nunca vai ter lovers".

Você pode aprender como os seres humanos sonham, tomam suas decisões e agem. E, depois disso, se você os ajudar a se tornarem versões melhores de si mesmos, aquelas que procuram ser, você venceu no marketing – completa Patricia Sorrentino.

De acordo com Thiago Martins, no evento promovido pela Central do Marketing Médico, “A Virada do Jogo” os médicos aprendem como fazer marketing de alta performance, sobre mindset, os especialistas apresentam métodos e práticas do que precisa ser feito para dominar o marketing, independente da rede, afim de obterem resultados sólidos. “Além disso, os participantes recebem conteúdo sobre  como se posicionar, como ser visto como autoridade, como pensar e fazer o marketing da forma correta e o que fazer para obter resultados de captação e conversão de pacientes”, frisa.

Para os profissionais da Central, o marketing médico vai além do que se imagina, como postagens em redes sóciais, email marketing, produção e edição de vídeos, conteúdos e blogs, entre outros recursos disponíveis no mercado. O médico pode ter feito tudo isso, seja por conta própria e /ou com o auxilio de sua secretária, ou até mesmo terceirizando o serviço com profissionais especializados em redes sociais, mas que não entendem do universo da medicina. Frente a isso, o resultado nem sempre sai como o esperado, porque agências genéricas não têm esse conhecimento específico.

SOBRE A CENTRAL DO MARKETING MÉDICO:  

A Central do Marketing Médico é um grupo formado por especialistas e referências na área de marketing para médicos. Formado por Douglas Go- mides, Lívia Roque, Patricia Sorrentino e Thiago Martins, a Central promove cursos, mentorias, palestras e demais trabalhos, pelo Brasil e pelo Mundo, com o objetivo de educar, ensinar e promover informações e conteúdos validados e de qualidade para capacitar médicos e suas equipes em marketing, branding, gestão, growth e geração de demanda para negócios em toda cadeia de saúde.  

No Instagram: @cmmedico  

Tags

Enviar um comentário

0 Comentários
* Só falta o seu comentário! O autor agradece.

buttons=(OK) days=(20)

Este site utiliza cookies para tornar a sua experiência melhor. Saiba mais
Accept !