A hora dos colaboradores

Para você, a palavra “subordinado” é uma ofensa? Quando alguém se dirige a você assim ou quando você mesmo usa o termo sente que está se referindo a alguém que não tem valor? Pois é hora de mudar e ressignificar esse conceito.


Livro "O Subordinado" desmistifica ideia de inferioridade dos trabalhadores sem cargo de liderança e alerta que nem sempre a felicidade na profissão depende de uma promoção


Para você, a palavra “subordinado” é uma ofensa? Quando alguém se dirige a você assim ou quando você mesmo usa o termo sente que está se referindo a alguém que não tem valor? Pois é hora de mudar e ressignificar esse conceito. Para ajudar a construir uma nova visão das camadas mais baixas da pirâmide organizacional do trabalho, chega ao mercado o livro “O Subordinado”, que, diferentemente da maioria da literatura que fala sobre carreira, prioriza o ponto de vista daqueles que ainda não são líderes no ambiente corporativo. E que talvez nem queiram ser. “Minha proposta é sair desse ciclo de achar que a felicidade está no amanhã, lá fora, nos bens materiais ou nos cargos de liderança, e expandir o conceito de carreira para além do emprego”, afirma a autora, Beatriz Machado.


Formada em Administração de Empresas, com MBA em Gestão de Negócios, Beatriz trabalha atualmente na área de marketing de uma multinacional. Apesar de sempre ter atuado com o que ama, alguns aspectos de seu trabalho começaram a causar ansiedade e insegurança em relação a seu valor e suas escolhas. Foi então que decidiu estudar o assunto e buscar formações em desenvolvimento pessoal e carreira. Hoje, é autoridade em Branding Pessoal, com quase 10 anos de atuação em gestão de grandes marcas, formação em coaching, mentoria de carreira e diversos cursos de branding e desenvolvimento pessoal. Através do livro, ela mostra ferramentas para que o leitor se torne responsável pela sua carreira, desenvolva o autoconhecimento e use seu tempo para aprender e, de fato, reconhecer e comunicar seu valor como profissional.


“Quanto li sobre branding pessoal e a ideia de utilizar as ferramentas de criação e gerenciamento de marcas, que já utilizava há anos com foco em produtos, mas agora com foco em pessoas, uma luz se acendeu. Profissionais autônomos, empreendedores e artistas, por exemplo, já fazem isso há muito tempo. Mais recentemente, até grandes líderes, principalmente CEOs, gerenciam a si mesmos como marcas. Então porque não expandir os benefícios disso para todas as pessoas independentemente do nível hierárquico?, questiona.


Nesse processo, surgiu o livro "O Subordinado", que explica porque as coisas são como são no mundo do trabalho e levanta questionamentos sobre motivação, relação entre subordinados e líderes, entre outros. Depois da teoria, a autora aposta na prática e indica aos leitores exercícios e tarefas para que eles se conheçam e iniciem sua jornada usando as ferramentas de branding pessoal explicadas pela especialista. Em um desses exercícios, por exemplo, a autora pede que os leitores pensem em como se descrevem. Essa tarefa de autopercepção mostra que nos encontramos em dois grandes grupos: os que se descrevem melhor do que realmente são e os que se descrevem pior. Beatriz detalha motivos que nos levam a fazer isso, e a importância de saber quem realmente somos para saber quem queremos ser.


Essa é apenas uma pequena amostra de todos os questionamentos e reflexões que o livro traz em sua missão de ajudar os profissionais do “meio e base da pirâmide” a se desenvolverem pessoal e profissionalmente. “Quero que eles sejam felizes no presente, e não acreditem na ideia de que só quando forem líderes a felicidade chegará. O propósito maior do livro é que todos nós, colaboradores, tomemos uma posição ativa no desenvolvimento do futuro do trabalho, porque apenas através do reconhecimento do nosso valor e de uma comunicação mais autoconfiante, conseguiremos equilibrar melhor a balança do sistema a partir dos nossos interesses”, finaliza a autora.


Sobre Beatriz Machado

 Formada em Administração de Empresas, com MBA em Gestão de Negócios pela USP, Beatriz Machado trabalha atualmente na área de marketing de uma multinacional. Ao longo de sua carreira, tornou-se autoridade em Branding Pessoal. Hoje, atua como mentora na área e lança seu primeiro livro, “O Subordinado”, com o propósito de ajudar profissionais a reconhecerem seu valor e mostrá-lo ao mercado e gestores. Beatriz defende que as pessoas comuniquem com segurança aquilo que fazem de melhor para atingirem seus objetivos.


Sobre O Subordinado

Lançado em julho pela editora Labrador, o livro O Subordinado, diferentemente da maioria dos que falam de carreira, prioriza o ponto de vista daqueles que ainda não são líderes no ambiente corporativo. Escrito por Beatriz Machado, traz vivências da profissional que ajudaram-na no autoconhecimento e na percepção da sua relevância no ambiente de trabalho em que estava inserida. Ao longo das 164 páginas, a autora conversa com colaboradores e chefes para que, através da ferramenta de branding pessoal, eles reconheçam o valor de um colaborador, independentemente de seu cargo. Disponível em livrarias físicas, a obra também pode ser adquirida através da internet, pelo site da Amazon. O Subordinado chega em um momento disruptivo para o mercado e tem como propósito ajudar na construção do futuro do trabalho.

Tags

Postar um comentário

0 Comentários
* Please Don't Spam Here. All the Comments are Reviewed by Admin.

buttons=(Accept !) days=(20)

Our website uses cookies to enhance your experience. Learn More
Accept !