ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

11/04/2020

Onçafari inicia crowdfunding para reintrodução de onça-parda na natureza

O Onçafari, criado para o estudo e conservação de onças-pintadas e lobos-guará, lança, em 04/11, sua campanha anual de crowdfunding
 

Campanha "The Wild to the Wild" começa em 04/11 e espera arrecadar R$ 100 mil


O Onçafari, criado para o estudo e conservação de onças-pintadas e lobos-guará, lança, em 04/11, sua campanha anual de crowdfunding. Nesta edição, a iniciativa, denominada “The Wild to the Wild”, busca levantar fundos, por meio de financiamento coletivo, para viabilizar a reintrodução na natureza da Cacau, primeira onça-parda sob os cuidados do projeto, no Pantanal. A expectativa é arrecadar R$ 100 mil, com doações que podem ser desde R$ 10,00 até R$ 25 mil, pela plataforma Kickante.


A reintrodução consiste em habilitar ou reabilitar animais para que possam voltar a viver totalmente integrados ao habitat a que pertencem. O Onçafari, por meio de sua frente Rewild (Reintrodução), desenvolvida em parceria com o CENAP/ICMBio, realiza esse trabalho desde 2014 em dois recintos destinados à reabilitação e soltura, localizados no Pantanal e na Amazônia.  O processo pode durar menos ou mais de um ano, dependendo das especificidades de cada caso.


“Essa é primeira onça-parda que recebemos para promover essa iniciativa de reintrodução e convidamos a todos a contribuir para tornar esse trabalho possível e devolver a Cacau à natureza. É possível doar entre R$ 10,00 e R$ 25 mil, sendo que os valores geram recompensas. Entre elas, calendários, patrocinados pela Land Rover, que contam a trajetória da Cacau e outras histórias de sucesso do Onçafari na reintrodução de animais ao seu habitat natural; máscaras de proteção, com uma estampa exclusiva para o Onçafari, desenvolvida por Flavia Carvalho Pinto; e até mesmo uma viagem de três dias ao Refúgio Ecológico Caiman, no Pantanal, onde está localizada a base do Onçafari na região”, comenta Mario Haberfeld, fundador do projeto.


O Onçafari trabalha com a reintrodução de grandes felinos desde 2014. O primeiro caso de sucesso foi o das irmãs Isa e Fera, onças-pintadas que perderam a mãe ainda filhotes e foram reintroduzidas no Pantanal. Em 2016, o projeto recebeu, na Amazônia, as irmãs Pandora e Vivara com poucos dias de vida. Após o trabalho desenvolvido com os animais, aconteceu a soltura na natureza. Em 2019, o Jatobazinho foi recebido pelo Onçafari e no momento passa pelo processo de reintrodução na Argentina, para ser o primeiro macho a ser solto na região de Esteros del Iberá. “Agora, em 2020, estamos com a Cacau, nossa primeira onça-parda, com a qual vamos promover iniciativas de observação comportamental e treinamento para a caça, e prevemos que se integrará tranquilamente ao Pantanal após o processo”, destaca Haberfeld.


Quem é a Cacau?


A Cacau é uma onça-parda de cinco anos, que chegou ao Onçafari em setembro, pesa 36 kg, é especialista em subir em árvores. Arisca e independente – essas são suas características primárias, o que tornou possível trazê-la para o recinto de reintrodução do Onçafari. Isso acontece pois, além de todos os recursos tanto espaciais como financeiros, é preciso que o animal em questão não esteja apegado a comportamentos mais humanos para passar pelo processo de reintrodução – como no caso de onças que procuram carinho das pessoas, por exemplo. Como a Cacau não demonstrou esse tipo de comportamento quando a equipe do Onçafari a conheceu no CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), a onça-parda foi trazida ao projeto para reabilitação biológica e comportamental para se integrar ao Pantanal depois de viver toda a vida em um espaço de poucos metros quadrados. “Todas as espécies do planeta têm direito à vida. Reintroduzir a Cacau na natureza, de onde nunca deveria ter saído, é dar a ela a chance de finalmente viver em liberdade”, ressalta Lilian Rampin, bióloga e coordenadora geral do Onçafari.


Conheça o passo a passo da reintrodução


  . São avaliados a saúde e o comportamento dos animais e verificado se há condição de reintroduzi-los com sucesso à vida selvagem.


  . Os animais são inseridos em uma área de semi-cativeiro, com as mesmas características do habitat natural, para que possam aprender a caçar e interagir com o ambiente como qualquer animal selvagem. Trata-se de um espaço onde podem ser observados, compreendidos e avaliados constantemente pelos coordenadores do projeto.


  . Se considerados aptos para serem reintroduzidos na natureza, os animais são equipados com rádio-colares dotados de GPS para o monitoramento após a soltura, e reintroduzidos no habitat natural.


  . O Onçafari monitora as onças para avaliar se estão conseguindo lidar com os desafios na natureza e, se necessário, há um novo resgate.


Vamos contribuir?


A expectativa é chegar a R$ 100 mil e os interessados podem doar a partir de R$ 10,00. Acesse Oncafari.org/cacau.


Sobre o Onçafari

O Onçafari atua no Pantanal, Cerrado, Amazônia e Mata Atlântica com o objetivo de promover a conservação do meio ambiente e contribuir com o desenvolvimento socioeconômico das regiões em que está inserido por meio do ecoturismo e de estudos científicos. O projeto é focado na preservação da biodiversidade em diversos biomas brasileiros, com ênfase em onças-pintadas e lobos-guarás.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo