LightBlog
>

ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

5/19/2020

Autor Daniel Pandeló Corrêa disponibiliza primeiros livros da carreira em formato digital inédito

Daniel Pandeló CorrêaReedições antecipam o lançamento de “Invocações”, sua primeira obra em áudio

Reedições antecipam o lançamento de “Invocações”, sua primeira obra em áudio


Um escritor em constante reinvenção, o carioca Daniel Pandeló Corrêa se prepara para lançar seu primeiro trabalho em formato de áudio, onde mesclará poesia com inspiração slam e música no EP “Invocações”. Comemorando o novo momento na carreira, o autor acaba de disponibilizar seus três primeiros livros - “Bucolidade Urbana” (2006); “Nadastar” (2007), ambos independentes, e a novela “Tristes Camelos” (2009), da editora Faces - em formato digital revisado e inédito. As obras podem ser baixadas para o Kindle, na loja da Amazon Brasil, e estarão disponíveis gratuitamente no site do autor.


No ano em que completa 30 anos, Daniel relembra sua trajetória de escritor em formação, quando lançou seu primeiro trabalho aos 16. Desde então, vem transitando por diferentes formatos, linguagens e gêneros literários onde se mostra um afiado cronista urbano de sua vivência em um subúrbio carioca povoado por igrejas pentecostais e milícias, dias ensolarados e futuros incertos. Da singeleza de um haicai a um extenso cordel, passando por conto, roteiro e letras de músicas, ele povoa suas narrativas com versões de si próprio e personagens exuberantes e complexos.

Agora, prestes a lançar “Invocações”, Daniel abraça de vez suas publicações anteriores e que estavam fora de circulação em formato físico ou digital. E será o digital que vai nortear seus próximos três lançamentos, todos narrados pelo próprio autor em álbuns que serão disponibilizados no Spotify, Deezer e principais plataformas de streaming já a partir de junho.

“Parte do processo para eu finalmente querer lançar esses novos foi uma aceitação da minha jornada. Do que me fez chegar até aqui. Esses livros foram feitos durante minha adolescência, dos 13 aos 19 anos, e bem, a gente muda muito desde então e não se relaciona com quem éramos. Mas isso não apaga o que eu era. Os dois próximos lançamentos, ‘Invocações’ e ‘Voando Reto num Muro de Tijolos’, falam muito como podemos fugir de muita coisa da vida, exceto do passado. Então decidi finalmente lançar esses livros digitalmente”, revela.

Se repensar enquanto criador é uma constante no trabalho de Daniel Pandeló Corrêa. “Nadastar”, por exemplo, foi distribuído originalmente em uma espécie de livro digital pré-Kindle: o cordel era enviado gratuitamente via celular utilizando a ainda recente tecnologia bluetooth. Agora, o escritor quebra novas barreiras de circulação irrestrita de seus trabalhos disponibilizando todos os livros em formato mobi, epub e pdf, além da leitura online. 

“Acho que o digital sempre foi meu caminho. Eu cresci num bairro no subúrbio do Rio onde não tinha livrarias até eu ter meus 15 anos, mais ou menos. Então a ideia do livro físico era algo que dava um trabalho e não era muito fácil de conseguir. E eu cresci naquele momento que a internet estava começando a se popularizar e era muito geek de querer imaginar novas possibilidades. Esses três livros foram pensados para o digital antes de tudo, para serem lidos numa tela ou em movimento, no transporte público. Gosto muito de experimentar novos formatos pois sou muito contra o que falam que as pessoas não leem mais. As pessoas leem muito - não do modo como poderíamos pensar a leitura, mas leem. Passam o dia em aplicativos de mensagens com textos, com redes sociais... Eu  estou tentando pensar algum modo de adaptar meus textos ao ritmo das pessoas”, conta.

Bucolidade Urbana
Em “Bucolidade Urbana”, ele reflete muito do ritmo das cidades. O livro de estreia reuniu contos e poemas publicados por Daniel em seu blog entre 2003 e 2006. São pequenas tragédias urbanas, de encontros e desencontros, alegrias e tristezas, com os nuances do olhar adolescente sobre uma realidade desigual. Já em “Nadastar”, oferece uma mistura da linguagem de cordel com os poemas de voz de João Cabral de Melo Neto. A obra cria um nordeste mítico em um interior qualquer para contar a história de amor entre uma mulher e uma televisão. Por fim, “Tristes camelos” é uma novela sobre obsessões. Sob o ponto de vista de um homem que não consegue lidar com um amor fracassado, a trama expõe personagens que permearam de modo quase despercebido a vida daquele casal.

Prestes a se lançar como artista de áudio, adaptando o conceito da poesia falada para seus próximos trabalhos, Daniel Pandeló Corrêa segue surpreendendo a si mesmo - e, principalmente, aos leitores. Os livros “Bucolidade Urbana”, “Nadastar” e “Tristes Camelos” já estão disponíveis na loja Amazon. Para 2020, o autor lançará “Invocações” e “Voando reto num muro de tijolos”, livros musicados de poesia que serão estrearão nas principais plataformas de streaming em 01/06 e 06/07, respectivamente.

Acompanhe o autor:

Sobre o autor
Daniel Pandeló Corrêa é um escritor, roteirista de cinema e TV e comunicólogo. Criado no subúrbio do Rio de Janeiro e morador de Petrópolis, o autor une todas as suas trajetórias profissionais em uma: a de contador de histórias.
São elas que movem a sua carreira, iniciada com textos em blogs no início dos anos 2000 e complementada com o lançamento independente de “Bucolidade Urbana”, em 2006. O livro de contos teve seus textos selecionados pelos leitores e foi o pontapé inicial para que o jovem escritor se tornasse presença marcante em feiras e eventos literários, sempre defendendo a internet e a tecnologia como ferramenta criativa. 
No ano seguinte lançou seu segundo livro, o cordel “Nadastar”, em forma de um aplicativo para celulares distribuído via bluetooth, que acabara de chegar ao país. Em 2009, divulgou sua novela “Tristes Camelos” em uma edição independente disponibilizada gratuitamente na internet sob o selo creative commons. O livro chamou a atenção da editora Faces, que o lançou no ano seguinte.
Em 2010, o autor deu uma pausa na carreira literária e se dedicou à sua formação em Comunicação Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, o que lhe possibilitou um trabalho voltado para as artes em geral. Daniel passou pela produção cinematográfica, pelo processo de criação e montagem de exposições em galerias importantes até chegar ao trabalho com mídias digitais e marketing na gravadora Deckdisc e artistas como Cícero, Pitty, Nação Zumbi, Arlindo Cruz, Toro y Moi e Broken Social Scene. O trabalho com a indústria fonográfica levou à criação de sua própria empresa, a Build Up Media, iniciativa que oferece uma abordagem diferenciada à comunicação estratégica voltada para artistas.
Essas múltiplas experiências são hoje o ponto de partida para uma série de projetos em desenvolvimento pelo autor. Atualmente, Daniel se dedica a um novo romance e uma série de lançamentos em áudio.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo