LightBlog
>

ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

4/14/2020

O gerenciamento do medo frente à pandemia

Este é o momento de utilizarmos a Inteligência Emociona

Logo superaremos esta crise e o importante será de que forma passaremos por ela.


Por: Prof. Paulo Lopes

Diariamente, nos deparamos com situações que despertam os nossos sentimentos (sentimentos básicos: medo, raiva, tristeza, nojo, surpresa e alegria) e tentamos reagir a eles da melhor forma possível.

Estamos frente a uma situação inusitada e bastante complexa, muitas informações desencontradas e um inimigo invisível que não sabemos como combater e isso nos desperta o medo... o medo de nos contraminarmos, o medo da crise financeira, o medo da solidão, enfim o medo de não sabermos como enfrentar tudo isso.

O medo desperta três gatilhos: o primeiro deles ativa o nosso sistema nervoso parassimpático, fazendo com que congelemos frente a uma situação inusitada, sem termos reação alguma, o segundo e terceiro gatilhos ativam o nosso sistema nervoso simpático, que nos remete à luta ou à fuga, ocasionando uma reação reflexa.

Outra característica muito importante deste sentimento é que, quando estamos frente a uma situação de medo ativamos nosso instinto primitivo de sobrevivência e assim como os animais, buscamos uma ação rápida para transpormos, o mais rápido possível, estes obstáculos, nos tornando mais agressivos, irracionais, individualistas e, por fim, corruptos. Neste momento passamos por cima de princípios éticos, morais e sociais para suprir as nossas necessidades. E, quando temos um pingo de racionalidade, buscamos fundamentar as nossas ações de forma radical e polarizada: ou sou a favor do presidente ou a favor da emissora de televisão; ou me isolo em casa ou saio para as ruas sem proteção alguma; ou me preocupo com a saúde ou com a situação financeira, enfim, não conseguimos raciocinar a achar um meio termo.

Amigos, este é o momento de utilizarmos a Inteligência Emocional, momento de desligarmos um pouco nosso cérebro reptiliano de sobrevivência e ativarmos o nosso neocortex cerebral, buscando agir com racionalidade e calma, pois logo superaremos esta crise e o importante será de que forma passaremos por ela.

Não podemos nos arrepender de nada de que fizemos.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo