ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

2/06/2020

MM Gerdau recebe o artista e pesquisador Jack Holmer para atividades que aprofundam diálogo sobre arte, ciência e tecnologia

Jack Holmer e seus robôs da obra Manifesto Contra Gravidade-crédito Alexandre Baxter

Um dos destaques da programação de fevereiro é a participação do artista e pesquisador Jack Holmer, autor da obra "Código das Minúcias", que pode ser vista na exposição "CoMciência". Ele estará no museu para ministrar uma Oficina de Robótica Ecológica e também para o bate-papo "Consciências Artificiais".

O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal se consolidou como importante espaço cultural e artístico graças a uma curadoria que propõe uma sinergia contínua entre os campos das artes, ciência e tecnologia, por meio de atividades culturais e educativas que reflitam temas atuais. Reafirmando este propósito na programação de fevereiro, o museu recebe o artista e pesquisador Jack Holmer para duas atividades inéditas: a Oficina de Robótica Ecológica, voltada para o público infanto-juvenil(08 na 15 anos) e a palestra “Consciências Artificiais”, aberta a qualquer interessado.

Ambas ações serão realizadas na quinta-feira, 13 de fevereiro. A oficina, prevista para às 15h, tem objetivo de demonstrar a utilização de energia limpa (solar) na construção de robôs e objetos eletrônicos e suas possíveis aplicações na vida cotidiana contemporânea. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo link: https://bit.ly/38ympfH

No mesmo dia, porém às 19h30, Holmer também apresentará a palestra “Consciências Artificiais”. Em sua fala, o artista abordará o tema passando por um breve histórico das pesquisas com Inteligência Artificial e suas aplicações contemporâneas, resultando no tema central do encontro. Serão apresentadas obras de arte e objetos eletrônicos, que estão no limiar tecnológico, assim como também teorias ainda em desenvolvimento e como estes conceitos são aplicados na obra "Código das Minúcias" e em outros trabalhos do artista.

O artista e pesquisador Jack Holmer é o criador da obra “Código das Minúcias”, selecionada via edital e que compõe a Exposição CoMciência: arte, ciência e tecnologia, uma iniciativa do CoMciência, programa de divulgação científica do MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal. Ao longo de todo o mês, a exposição segue apresentando obras contempladas no primeiro “Edital CoMciência – Ocupação em Arte, Ciência e Tecnologia”, que recebeu 252 inscrições, de 5 continentes (América do Sul, América do Norte, Europa, Ásia e África), espalhadas por 26 países, sendo que 75% delas eram de projetos inéditos.

Além do trabalho de Jack Holmer, a exposição apresenta as obras acrossTIME, de Paul Rosero Contreras (Quito/Equador), Campos Elísios, de Henrique Roscoe (Belo Horizonte, Brasil), Culturas Degenerativas, de Cesar & Lois (São Paulo, Brasil / San Marcos, USA), Futura Pele, de Thatiane Mendes (Belo Horizonte, Brasil) e Ilha Sonora, de Camila Proto (Porto Alegre, Brasil). A curadoria é assinada pelos artistas e gestores Alexandre Milagres e Tadeus Mucelli, que também integram a equipe da Bienal de Arte Digital.

A obra “Código das Minúcias”

Obra 'Códigos das Minucias', de Jack Holmer, para a exposição CoMciência do MM Gerdau
créditos Leonardo Miranda
Em busca de entender os primórdios da consciência biológica, o artista usa poesia e semiótica para apresentar pequenos robôs antropomórficos e autômatos que percebem o ambiente através dos seus sensores e respondem ao mundo concreto com movimentos e sons.

A obra “Código das Minúcias” apresenta uma base para uma consciência artificial, e cria estratégias para a programação de um sistema sensitivo, classificatório e interpretativo, para seres robóticos corpóreos e singulares. Assim, o projeto apresenta cinco esculturas eletronicamente autônomas dotadas de memória, sensores e rede neural que conseguem fazer uma leitura do ambiente, respondendo aos estímulos sensoriais conforme seu aprendizado diário. Dessa forma, será possível ir percebendo uma evolução da obra ao longo da exposição.

As esculturas simulam o crescimento de um feto humano em quatro estágios pré-natais e um pós-natal. A evolução do sistema pode ser vista externamente ao corpo na escultura central em um monitor que apresenta os dados internos de processamento da rede neural em gráficos amigáveis.

O público interessado em conhecer mais sobre as obras e os artistas pode acessar o site www.programacomciencia.org.br.

Todas as atividades listadas acima são gratuitas. A programação completa do MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal está disponível no site: http://www.mmgerdau.org.br/programe-se/

Obra 'Códigos das Minucias', de Jack Holmer, para a exposição 'CoMciência' do MM GerdauCréditos Leonardo Miranda
SERVIÇO:
PROGRAMAÇÃO DE FEVEREIRO MM GERDAU - MUSEU DAS MINAS E DO METAL

Exposição CoMCiência
Artistas: Paul Rosero Contrera (Quito, Equador), Henrique Roscoe (Belo Horizonte, Brasil), Jack Holmer (Curitiba, Brasil), Cesar & Lois (São Paulo, Brasil / San Marcos, USA), Thatiane Mendes (Belo Horizonte, Brasil) e Camila Proto (Porto Alegre, Brasil)

Data: até 15/03/2020
Horários de visitação: de terça a domingo, das 12h às 18h e quintas, das 12h às 22h
Entrada gratuita

13/02 – Oficina de Robótica Ecológica com Jack Holmer, pesquisador e artista da Exposição CoMciência
Público-alvo: 08 a 15 anos
Horário: 15 horas
Duração: 1h30
Público: 15 participantes

13/02 – Palestra “Consciências Artificiais” com Jack Holmer, pesquisador e artista da Exposição CoMciência
Horário: 19h30

SOBRE O MM GERDAU O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal
 |@mmgerdau | www.mmgerdau.org.br
O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, integrante do Circuito Liberdade desde 2010, é um museu de ciência e tecnologia que apresenta de forma lúdica e interativa a história da mineração e da metalurgia. Em 20 áreas expositivas, estão 44 exposições que apresentam, por meio de personagens históricos e fictícios, os minérios, os minerais e a diversidade do universo da Geociências.
O Prédio Rosa da Praça da Liberdade, sede do Museu, foi inaugurado em 1897, juntamente com Belo Horizonte. Tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA), o edifício passou por meticuloso trabalho de restauro, que constatou que a decoração interna seguiu o gosto afrancesado da época, com vocabulário neoclássico e art nouveau.  O projeto arquitetônico para a nova finalidade do Prédio Rosa, que já foi Secretaria do Interior e da Educação, foi feito por Paulo Mendes da Rocha e a expografia, que usa a tecnologia como aliada da memória e da experiência, é de Marcello Dantas.
O Museu funciona de terça a domingo, das 12 às 18h, e na quinta, das 12 às 22h, entrada franca. Para além da exposição permanente, o MM Gerdau oferece uma programação diversa e para todas as idades. Todas as atividades são gratuitas.
O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal é patrocinado pela Gerdau, via lei Federal de Incentivo à Cultura, com o apoio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM).

Sobre Jack Holmer:
- Jack Holmer possui graduação em Licenciatura em Desenho pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (2004). É Mestre em Comunicação e Linguagens pela Universidade Tuiuti do Paraná (2008). Trabalha com Poéticas Tecnológicas desde 2001. Pesquisa Vida Artificial e Robótica através da Semiótica, suas interfaces de interação e a gameficação da contemporaneidade, produzindo Robôs Interativos, Seres Virtuais Autônomos, GameArt, Documentários e códigos computacionais. Atualmente é professor da Universidade Estadual do Paraná, na Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Arte e Tecnologia, Robótica e Cibercultura e na área de Design, na qual foi coordenador de Projeto Gráfico do Museu Oscar Niemeyer.

Sem comentários:

Enviar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo