ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

11/15/2019

Museu Índia Vanuíre promove semana especial para celebrar a Consciência Negra


Atividades gratuitas abrangem oficinas, contação de histórias, apresentação de dança e palestra

Entre 19 e 22 de novembro, o Museu Índia Vanuíre, instituição da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari, realiza uma programação especial para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro.

“Todo dia é dia de reivindicar causas e ideais. Festejar uma data específica é importante para servir de memória e estímulo à reflexão e à luta dos movimentos sociais”, destaca Tamimi Borsatto, gerente do equipamento cultural.

A agenda temática propõe a conscientização e a valorização sobre os saberes e experiências da cultura afro. Por isso, a primeira atividade, na terça-feira (19), será um bate-papo com André Prado, presidente da Ong UMONT, produtor cultural e pesquisador. Ele contará histórias sobre o povo negro e, ainda abordará o racismo velado, as políticas públicas para essa população e a importância e contribuição dessa cultura e conhecimento do povo para o mundo.

Na quarta-feira (20), o Museu receberá uma apresentação de dança afro urbana. O grupo Stylo Black fará uma exibição e ensinará coreografias ao público.  Outra ação que envolverá os visitantes é a oficina Amarração de Turbantes e Confecção de Brincos de pompom, em 21 de novembro. Símbolo político de resistência negra, o turbante mostra a beleza do povo. Técnicas básicas serão ensinadas para que cada um possa desenvolver diversos tipos de amarração com apenas um único tecido. Na sequência, os interessados também poderão participar da oficina de brincos de pompom, acessório contemporâneo confeccionado com linhas de lã.

Ainda na quinta-feira (21), os visitantes serão envolvidos pela Contação de Histórias Africanas. Encenados por fantoches, os contos, fábulas e lendas sobre a cultura negra serão apresentados de uma forma dinâmica, criativa e reflexiva.
Na sequência, no período da tarde, o museu receberá a oficina de Tranças Nagõ e Box Brainds, que mostrará como fazer as tranças Nagõ, Box e Dreads com lã, valorizando a tradição e a estética afro com técnicas contemporâneas.

Para encerrar a programação, a ação de bonecas Abayomi promete encantar o público na sexta-feira (22).  Os participantes terão contato direto com uma das heranças da história e cultura africana no Brasil e poderão discutir a história, a origem e o significado afrodescendente.

“As bonecas Abayomi são pequenos brinquedos negros, feitos de pano e sem costura, apenas com nós ou tranças. Elas foram criadas para as crianças, jovens e adultos na época da escravidão, e eram confeccionadas com pedaços de saias, único tecido encontrado nos navios negreiros, para acalmar e trazer alegria para todos, ainda é considerada um amuleto”, explica Tamimi

Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público. Não é necessário efetuar inscrição prévia. Mais informações pelo site www.museuindiavanuire.org.br ou pelo telefone (14) 3491-2333.    

SERVIÇO:
Bate-Papo: o que Sabemos Sobre o Povo Negro? E a Importância e Resistência da Consciência Negra
Data: 19 de novembro de 2019
Horário: terça-feira, das 9h às 10h
Entrada: gratuita

Apresentação: Dança Afro Urbana
Data: 20de novembro de 2019
Horário: quarta-feira, às 9h e às 14h
Entrada: gratuita

Oficina: Amarração de Turbantes e Confecção de Brincos de pompom
Data: 21de novembro de 2019
Horário: quinta-feira, das 9h às 10h
Entrada: gratuita

Contação de Histórias Africanas
Data: 21 de novembro de 2019
Horário: quinta-feira, das 9h às 10h30
Entrada: gratuita

Oficina de Tranças Nagõ e Box Brainds
Data: 21de novembro de 2019
Horário: quinta-feira, das 14h às 16h
Entrada: gratuita

Oficina de Bonecas Abayomi
Data: 22 de novembro de 2019
Horário: sexta-feira, das 9h às 10h
Informações: (14) 3491-2333
Entrada: gratuita

Local: Museu H. P. Índia Vanuíre
Endereço: Rua Coroados, 521 – Tupã/SP
Informações: (14) 3491-2333

Sem comentários:

Enviar um comentário

ESTIMADO LEITOR: esteja à vontade para partilhar e comentar este post em qualquer rede social, mas não esqueça de comentar aqui no próprio post. O autor agradece,

Topo