ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

8/26/2019

Nova avenida interligará Goiânia, Trindade e Goianira


A via, que teve um trecho iniciado, ajudará na mobilidade urbana na confluência entre essas três cidades, que segundo a Goinfra, recebe um fluxo de mais de um milhão de veículos por mês. Obra também resolverá antigo problema da falta de ligação entre o Centro Histórico de Trindade e a região do Trindade 2

Prestes a completar 99 anos em 31 de agosto, Trindade prepara-se para dar um novo salto em seu crescimento de forma ordenada com a regulamentação do Plano Urbanístico Básico, que já prevê todo o sistema viário a ser desenvolvido nos próximos 50 anos no município. Regulamentado em 2018, após três anos de debates e audiências públicas, sua meta é, de acordo com o secretário de Planejamento Urbano, Habitação e Regularização Fundiária, Marden Gabriel Alves de Aguiar Júnior, criar condições de mobilidade para receber fluxo previsto em razão do crescimento da cidade, que já recebe cerca de três milhões de romeiros e tem previsão da intensificação de seu turismo religioso com a construção da maior basílica do mundo, sem contar com o aumento do vegetativo da população.

A cidade é uma das que mais possuem áreas em condições ideais de topografia, disponibilidade e proximidade com a capital para receber a expansão urbana. O município, que é o oitavo do Estado em número de habitantes, teve um crescimento de 104 mil para 125 mil habitantes entre 2010 e 2018. O crescimento populacional de Trindade ficou em 19,9%, bem acima dos 13,28% registrados no Estado, com base em estimativas do IBGE. 

Com este perfil, o município tem previsão de receber um novo pólo industrial, o que irá se somar às oportunidades geradas pelo turismo religioso e  aumentar sua atratividade para novos moradores em busca de emprego. “Ou a gente preparava um crescimento ordenado, ou ficaríamos para trás”, diz o secretário.

O plano aproveitou cerca de 90% de estradas vicinais que hoje atualmente são utilizadas e urbanizadas na medida em que os novos bairros forem implantados, ganhando assim mais mobilidade para acompanhar aumento do fluxo de moradores e turistas. “Poucas cidades brasileiras possuem um plano tão longevo, para meio século. Mas nós fomos ousados para buscar soluções para problemas que já existem e só tendem a aumentar. O ponto positivo do plano é que, independente do gestor público, suas diretrizes não poderão ser alteradas”, considerou Marden.

 Trindade 2
Uma das regiões que já começa a ter um cenário alterado por consequência do Plano Urbanístico Básico de Trindade é do Trindade 2, parte leste da cidade, próxima à divisa com a capital, onde vivem cerca de 50 mil moradores e 47 setores. A região se desenvolveu por estar mais próxima à divisa da capital, mas ficou separada da parte histórica do município. No meio, um hiato de quase cinco milhões de metros quadrados separa a população, cujo acesso só se dá por meio da GO-060 (a Rodovia dos Romeiros) ou pela GO-070 e GO 469.

A região irá receber uma avenida que será uma alternativa de deslocamento entre as duas zonas urbanas sem passar por rodovias. De acordo com estimativas da Agência Goiana de Infraestrutura e Transporte (Goinfra), na saída para Goianira (GO 070)  trafegam uma média de 600 mil veículos/mês. Já na saída para Trindade (GO 060), a média é de 420 mil veículos/mês, realidade que se multiplica em larga escala na época da Festa do Divino Pai Eterno.

A expectativa é que ela também se torne também um eixo de deslocamento da população da Noroeste de Goiânia e Goianira que fazem divisa com a região.  Só na região noroeste, que abriga 80 bairros, a obra deve beneficiar uma população que passa de 350 mil pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A via, que terá 7,6 quilômetros, já começou a ter um trecho implementado no futuro bairro Flores do Cerrado. O trecho, que está sendo construído pela Tropical Urbanismo e Incorporação em parceria com a prefeitura de Trindade, também criará uma ligação mais curta de deslocamento. “Atualmente, quem está no Km 7 da GO 070, ponto onde vai começar a nova avenida, tem de percorrer 14 quilômetros, via GO 469, para chegar ao pórtico de Trindade, ou seja, mais que o dobro”, diz o engenheiro da obra, Raphael Gualberto.

A nova avenida contribuirá ainda para preparar a infraestrutura para o adensamento populacional previsto para a região que é  limítrofe dos três municípios – Goiânia, Trindade e Goianira, no eixo triangular entre a GO 070 (saída para Goianira), a GO 469 e a Rodovia dos Romeiros (GO 060). Esse eixo triangular compreende uma área de mais de 5 milhões de metros quadrados  com grande potencial de desenvolvimento urbano. “Essa é a região que atualmente hoje apresenta as condições de expansão imobiliária da região metropolitana e já existem projetos em aprovação”, diz Antônio Carlos da Costa, diretor do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico (Codese) de Goiânia.

Com mão dupla, o primeiro trecho da avenida (ainda sem nome) terá 30 metros de largura que serão divididos em duas pistas de rolamento,  mais o canteiro central (com quatro metros de largura) e duas calçadas (com quatro metros de largura cada). As obras do trecho da avenida ficarão prontas em 60 dias.

Sem comentários:

Enviar um comentário