ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

6/24/2019

Rainha do Carimbó é ovacionada na Terra da Rainha do Fado


Dona Onete e banda conquistando o coração do público português
no Mimo Festival em Amarante 2018
(Foto Divulgação)

Por: Tâmara Oliveira Santana
O Estado do Pará com suas "pérolas" artísticas
confirmadas no Rock in Rio 2019
(Foto Divulgação)
Com 80 anos completos  no último dia 18/06/19 Dona Onete, cantora, compositora, poetisa paraense comemora e delicia-se de cada segundo do sucesso de seu trabalho como artista. Uma das artistas revelações dos últimos tempos no Brasil, essa paraense chamou atenção da grande mídia com a edição do primeiro álbum “Feitiço Caboclo” lançado em 2012, dai então essa mulher de sorriso “farto” e cheia de charme conquistou o coração de fãs em mais de 18 países por onde já passou levando seus shows e energia contagiante.

Com a serenidade de um yogi, Dona Onete recebeu em seu camarim após concerto  a repórter do luso-brasileiro Portal Splish Splash, de longe parecia com a mulher espevitada que levou ao delírio uma plateia com mais de 900 pessoas de diferentes faixas etárias no show de lançamento do seu mais recente disco “Rebujo”  no histórico Cine Joia, localizado no bairro Japão Liberdade em São Paulo. Na apresentação  que durou quase duas horas a artífice  dividiu o palco com os conterrâneos Gaby Amarantos e DJ Jaloo, e com o Dj carioca BNegão.

Antes do início do show a dupla de DJs Tide e Madruga da Je TREME Mon Amour “aqueceu” o público com o repertório “fuleragem” da dupla de Djs mais “bagaceira” de São Paulo ofertando aos presentes borrifadas de cachaça de jambu originalmente do Pará.


A rainha do carimbó comemorando 80 anos ao lado do bisneto,
e o único irmão no último dia 18/06/2019.
(Foto Divulgação)
Confira a conversa com a Rainha do Carimbó, Dona Onete que junto com outros ilustres artistas paraenses se apresentarão no próximo dia  03 de outubro no palco sunset no Rock in Rio  em performance dedicada à música paraense.

PSS- A Dona Onete começou cantando para os botos, você imaginou que a cantora dos botos um dia cantaria para milhares de pessoas em diferentes países, o que passa em sua cabeça?

Dona Onete- No início eu ficava meio insegura, mas depois de cantar em 19 países a gente se acostuma e olha com naturalidade.

PSS- Quanto a sua vontade do trabalho com Mano Brown alguma resposta da empresária Eliane Dias e equipe do rapper?

Dona Onete- Quando eu voltei da Inglaterra meu produtor entrou em contato com a produção do Mano Brown, mas não deu certo.

PSS- Quando está fora do Pará o que mais sente falta da sua terra natal?

Dona Onete- A comida, principalmente o açaí, eu gosto muito de açaí.  

PSS- Qual o País, claro, depois do Brasil, que mais te emociona em cantar?

Dona Onete -  Olha eu já cantei em muitos países, mas na Hungria tenho um carinho especial, quando cheguei no aeroporto da Hungria tinha um monte de gente me esperando para pegar autografo. Quando cheguei no maior teatro da Hungria lotado tinha fila querendo que eu desse autografo no ingresso. Depois meu produtor me falou que aquele teatro é muito importante para os húngaros que Pavarotti já tinha se apresentado lá.

PSS- 80 anos é uma bela idade, alguns dizem que a "Melhor Idade" é a "Pior Idade", qual a mensagem que você passa às pessoas que são pessimistas ao processo natural de envelhecimento?

Dona Onete- Não é pior idade, depende da sua cabeça, talvez eu esteja com essa cabeça porque eu não mexo em nada de internet, eu não mexo em celular com internet, eu só sei responder e ligar para alguém. Eu viajo demais, eu vejo que a minha cabeça é a mesma que antigamente.

PSS- Dona Onete é a rainha do Carimbó, você tem alguma previsão em cantar na terra da rainha do fado, Amália Rodrigues?

Dona Onete – Eu cantei fado em Portugal, sem banda, sem nada, cantei à capella, foi no bairro de Alcântara, em Lisboa. Falei para minha banda: “ninguém toca, eu vou homenagear a Amália Rodrigues”. O Dia da Mulher foi dia 08 de março e a apresentação aconteceu no dia 10 de março, eu não sabia que os fadistas estavam lá no teatro, ai eu cantei fado, meu amor, o que aconteceu foi quando eu acabei de cantar  ninguém bateu palmas,  imaginei: “pronto! Vou levar vaia!". Depois de uma longa pausa o pessoal aplaudiu muito. Depois fiquei sabendno que algumas pessoas de preto na plateia eram fadistas.

PSS- Muito Obrigada!

Dona Onete- De nada meu amor!



NOTA DA REPÓRTER:

Logo após o nosso bate–papo Dona Onete foi carregada por bombeiros em sua cadeira de rodas para subir os degraus de escada do camarim que dá acesso ao portão de saída do Cine Joia, nem a situação um tanto quanto desconfortável fez a artista perder o bom humor.
Como pode um camarim de uma casa de show não ter rampa de acesso ou elevador?
Sem estrelismo Dona Onete encarou a situação de forma leve e divertida.
Salve a cantora dos botos!

DONA ONETE nas redes sociais
Facebook
Youtube
Spotify
Website

Dona Onete & BNegão - Musa da Babilônia (Official Music Video)

Sem comentários:

Enviar um comentário