ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

4/26/2019

BELCHIOR: ANO PASSADO EU MORRI, MAS ESSE ANO EU NÃO MORRO encerra temporada no Teatro Clara Nunes com a presença dos Filhos de Belchior na plateia


BELCHIOR
ANO PASSADO EU MORRI,
MAS ESSE ANO EU NÂO MORRO
- O MUSICAL –
Encerrará sua 1ª temporada
no Teatro João Caetano
no próximo domingo
dia 28 de abril/2019
e receberá em sua plateia
os filhos do homenageado
Mikael Henman Belchior e Camila Belchior

O espetáculo "BELCHIOR: ANO PASSADO EU MORRI, MAS ESSE ANO EU NÃO MORRO – O Musical", que marca os 02 anos de ausência desse cantor e compositor que teve sua trajetória artística interrompida por sua própria vontade e necessidade e nos deixou, definitivamente, no dia 30 de abril/2017 e na próxima 3af, completa exatamente 02 anos de sua partida, receberá em sua plateia, nesse fim de semana, 02 dos filhos do homenageado: Mikael Henman Belchior e Camila Belchior virão ao RJ especialmente para conferirem o espetáculo, no próximo sábado, dia 27/04, as 19h.

Não bastasse a proximidade da data exata do falecimento de Belchior, certamente a presença dos filhos dele na plateia, tornará as apresentações desse último fim de semana, no Teatro João Caetano, no centro da cidade, ainda mais especial. A emoção estará a flor da pele: atores, banda, produção e toda equipe do musical, estão ansiosos em apresentar esse espetáculo, em forma de homenagem para 02 de seus filhos.

BELCHIOR: ANO PASSADO EU MORRI, MAS ESSE ANO EU NÃO MORRO: O MUSICAL mostra um pouco da vida, da obra e dos pensamentos de Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes. Como gostava de ironizar, "um dos maiores nomes da música popular". Mais conhecido como Belchior, o cantor e compositor que nasceu no dia 26 de outubro/1946, em Sobral, norte do Ceará e faleceu, aos 70 anos, no dia 30 de abril/2017, em Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul.

Belchior, no início da década de 70 veio para o eixo Rio-São Paulo tentar emplacar suas canções em festivais de música.

Seu sucesso inicial aconteceu quando a cantora Elis Regina interpretou duas de suas músicas no espetáculo Falso Brilhante: 'Velha Roupa Colorida' e 'Como Nossos Pais'. Logo depois, estourou com ‘Apenas um Rapaz Latino Americano’, ‘Alucinação’, ‘Paralelas’ e ‘Galos Noites e Quintais’...

Seus últimos dez anos de vida foram de quase total silêncio, com raras notícias, entrevistas ou shows. Diante de tal isolamento, seu nome acabou saindo dos grandes holofotes, porém neste momento político do país, sua voz se faz necessária, afinal... "amar e mudar as coisas interessa mais."

O espetáculo BELCHIOR: ANO PASSADO EU MORRI, MAS ESSE ANO EU NÃO MORRO – O MUSICAL, título tirado de uma das canções do homenageado (“Sujeito de Sorte”),  conta um pouco da história do cantor cearense Belchior, vivido em cena pelo ator/cantor Pablo Paleologo, a partir do personagem criado em suas canções: o ‘Cidadão Comum’, interpretado pelo ator Bruno Suzano, que representa uma larga faixa da juventude que se vê obrigada a se conformar com os padrões da sociedade, sem nunca conseguir ir atrás dos seus sonhos.

Com 15 músicas – 'Alucinação', 'Apenas Um Rapaz Latino Americano', 'A Palo Seco', 'Na Hora do Almoço', 'Todo Sujo de Batom', 'Coração Selvagem', 'Medo de Avião', 'Mucuripe' (de Belchior e Raimundo Fagner), 'Conheço o Meu Lugar', 'Como Nossos Pais', 'Populus', 'Paralelas', 'Velha Roupa Colorida', 'Sujeito de Sorte' e 'Galos, Noites e Quintais' –  interpretadas por uma banda formada pelos músicos Cacá Franklin (percussão), Dudu Dias (baixo), Emília B. Rodrigues (bateria), Mônica Ávila (sax/flauta), Nelsinho Freitas (teclado), Rico Farias (violão/guitarra) liderados pelo diretor musical Pedro Nêgo, e uma organização de textos, retirados de entrevistas do próprio Belchior, pela pesquisadora Claudia Pinto e o, também diretor, Pedro Cadore,  a peça pretende passar para o espectador não a sua biografia, mas a filosofia de um dos ícones mais misteriosos da música popular brasileira.

A produção geral, assessoria de imprensa e marketing são comandadas por João Luiz Azevedo em mais uma realização de sua produtora Boca Fechada Promoções e Produções Artísticas e Culturais.

BELCHIOR - Pablo Paleologo -foto de Ivana Mascarenhas

FICHA TÉCNICA:
"BELCHIOR: ANO PASSADO EU MORRI, MAS ESSE ANO EU NÃO MORRO – O Musical"
Organização de Textos: CLÁUDIA PINTO E PEDRO CADORE
Direção: PEDRO CADORE
Elenco: BRUNO SUZANO e PABLO PALEOLOGO
Músicos: CACÁ FRANKLIN (percussão), DUDU DIAS (baixo), EMILIA B. RODRIGUES (bateria), MONICA AVILA (sax/flauta), NELSINHO FREITAS (teclado) e RICO FARIAS (violão/guitarra),
Direção Musical: PEDRO NÊGO
Diretor de Arte e Cenografia: JOSÉ DIAS
Iluminação: RODRIGO BELAY
Produção Geral, Assessoria de Imprensa e Marketing: JOÃO LUIZ AZEVEDO.

BELCHIOR - Pablo Paleologo -foto de Ivana Mascarenhas

SERVIÇO:
BELCHIOR: ANO PASSADO EU MORRI, MAS ESSE ANO EU NÃO MORRO
Local: Teatro João Caetano
Praça Tiradentes – tel. 2332-9257
Informações e Reserva de ingressos pelo whatsapp (21) 99731-0933
De 05 à 28 de abril de 2019.
sexta e sábado às 19h e domingo às 18h.
Classificação indicativa: recomendado para maiores de 12 anos.
Valor dos ingressos: R$ 40,00 / R$ 20,00 (meia para estudantes, jovens até 21 anos e idosos acima de 60 anos)
Tempo de Duração: 70min.
Pontos de Venda de Ingressos:
Bilheteria do Teatro João Caetano e no site Ingresso Rápido.
Produção: Boca Fechada Produções Artísticas

BELCHIOR - Pablo Paleologo e Bruno Suzano - foto de Ivana Mascarenhas
Alba Maria Fraga Bittencourt

Sobre a autora

Alba Bittencourt - Doutorada em Robertologia Aplicada e Ciências Afins. Redatora do Portal Splish Splash e Administradora/Redatora do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Leia Mais sobre a autora...

Sem comentários:

Enviar um comentário

COPIE O SEU EMOTICON E COLE NOS COMENTÁRIOS


👍😀😁😄😇😉😊😋😌😍😎😏😐😕😘😛😞😤😥😧😩😭😮😰😴🐞🐢👄💗💙👻👽🎃🎄🎅🎂🍺🍻🍹🍷

VARIAÇÕES EM A DISTÂNCIA (PARTE 1 DE 2)

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil