ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

3/16/2019

A introdução do VAR no futebol


Há medida que o futebol evolui, há medida que os interesses dos clubes com maior interferência junto dos órgãos que o regem, se tornam frequentes, a tarefa do árbitro de futebol se torna cada vez mais difícil.

Dentro da relatividade das coisas, no meu tempo de árbitro de futebol não era, também, uma tarefa fácil, digo mesmo difícil, uma vez que tínhamos que usar muita psicologia perante as atitudes menos corretas dos intervenientes. E digo isso porque, naquele tempo, ainda não tinha surgido os cartões (amarelo vermelho) para admoestar e expulsar jogadores prevaricadores. Era extremamente difícil para controlar atletas mais exaltados e também aqueles que usavam de artimanhas para nos ludibriar de faltas a roçar a violência, sobretudo quando cometidas dentro da grande área.

Ainda tive o “gostinho” de usar os cartões quando, em 1973, ainda sob o regime da ditadura do Salazar, os árbitros filiados na Associação de Futebol de Angra do Heroísmo, decidiram fazer greve, acto que, felizmente para eles, não lhes trouxe males maiores. A convite do Sport Club Angrense, delegação do Benfica na ilha Terceira, apitei jogos da zona de Angra e, depois de regressar de Lisboa onde assisti à festa de homenagem de Eusébio da Silva Ferreira, a final desse mesmo Torneio de Preparação entre o Sport Angrense e o  Sport Praiense, com vitória do Angrense por 3-1. Ainda exibi alguns amarelos, um deles com certa mágoa ao meu amigo Abel Lima. Mas, como sói dizer-se, “dura lex, sed lex”.

E agora mais uma inovação para o futebol. Esta: o VAR. Amado por uns, contestado por outros e não estarei longe da verdade se disser que há gente que o odeia. Apesar de tudo isto, creio que,  e em minha opinião pessoal, o VAR veio beneficiar o futebol e fundamentalmente a própria arbitragem. Não se trata de uma tarefa isenta de erros, isso pode acontecer sempre, se bem que, a cada passo, arestas serão limadas. Roma e Pavia não se fizeram num só dia. E creio que o VAR ainda chegará perto da perfeição.

Eu, pessoalmente, estou satisfeito com a introdução do VAR no futebol, por tudo aquilo que conheço e o pouco que passei como árbitro de futebol em Angola e nos Açores. 

Ainda sob o VAR, a UEFA enalteceu o trabalho deste sector no jogo Porto-Roma para as Champíons League. Uma grande penalidade favorável ao Porto e que foi muitíssimo contestada pelos italianos. 

Mas, como muito bem se escreveu no comunicado da UEFA, o VAR acertou. E eu que assisti ao jogo (óbvio pela televisão), assino por baixo. Foi mesmo grande penalidade.
Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil