ROBERTOLOGIA EM DESTAQUE

2/10/2019

Histórias do trajeto de Roberto Carlos (3)


19 de dezembro de 2015

DA ILUSTRE JORNALISTA-ESCRITORA FÁTIMA ARAÚJO
ROBERTO CARLOS, O POETA

Da ilustre jornalista do Correio da Paraíba, e também escritora de renome, esta matéria sobre o que ela pensa do rei Roberto Carlos.

Roberto Carlos, para mim, é antes de mais nada um poeta, um ser sensível e iluminado, desses que vieram ao mundo para enxugar lágrimas e confortar corações. Isto porque, sua aura de amor e sua vida de o projetar no imaginário social como o homem cuja poesia há muito deixou de pertencer a um povo, para se estender a toda a humanidade. Ele não é o Rei Roberto Carlos apenas para nós, brasileiros, mas seu reino artístico vai bem mais longe. 

Esse filho de Cachoeiro do Itapemirim iniciou a carreira sob influência da Bossa Nova, no início da década de 1960, depois rock, com composições próprias, em parceria com Erasmo Carlos. Também estrelou programas, na Tv brasileira, e filmes como “Roberto Carlos em Ritmo de Aventura”, “Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa”, “Roberto Carlos a 300 Km por Hora”. 

Roberto Carlos é o artista solo com maior número de álbuns, na História da Música Popular Brasileira. São milhares de discos vendidos e de shows realizados, pelo Brasil e pelo mundo. Mesmo assim, não vemos nele apenas o sucesso quantitativo, mas a qualidade de sua arte e sua sintonia de amor, com Deus e com o próximo. 

Desde que apresentou a verve romântica, para a felicidade de todos nós que admiramos, nele, acima de tudo, o poeta, Roberto mostrou que interpreta admiravelmente, deixando fluir a emoção, ao cantar. Notabilizou-se também como o compositor que descreve o amor “no côncavo e no convexo”, embevecendo seus fãs. Isto sem contar com o lado religioso, que o caracteriza como um artista antenado com o Evangelho de Jesus, um ser voltado para a essência e para o bem!


14 de fevereiro de 2014

New York, New York, Rei por lá passou
Carlos Alberto Alves

Confesso que, nas vezes que me desloquei aos Estados Unidos em serviço de reportagem –remonta aos períodos entre 1977 e 2000 -, pouco ouvi falar de Roberto Carlos, inclusive por parte de alguns brasileiros que por lá conheci, nomeadamente no Estado de New Jersey. Mas, com o passar dos anos, o rei tornou-se cada vez mais conhecido, mormente junto das comunidades portuguesas e de expressão espanhola, não esquecendo os seus compatriotas e cujo número já é bastante significativo, como é do domínio público. E foi num show em New York que Roberto Carlos, infelizmente, tomou conhecimento da morte de sua extremosa mãe Lady Laura. Conforme já escrevemos em anteriores matérias, foi um (mais um) momento extremamente difícil para Roberto Carlos. Depois, um corre-corre para estar presente no último adeus a Lady Laura.

Tristezas à parte, New York tem sido, também, um ponto de paragem para Roberto Carlos. E temos, nesse sentido, este exemplo registado no ano de 2012.

"À beira do caminho", o filme de Breno Silveira inspirados em músicas de Roberto Carlos, vai abrir o festival do cinema brasileiro do MOMA e Nova York.

Quem viu elogia, mas avisa: Chora-se um rio de emoção” 

E bem que gostaríamos de ouvir, numa homenagem a Frank Sinatra, o Rei cantar New York, New York.

JULHO DE 2011 

A CVC lançou o roteiro “Emoções na Terra Santa com Roberto Carlos”, uma viagem pela Terra Santa, passando por Tel Aviv, Tiberíades e pela capital Jerusalém, onde o passageiro CVC assistirá a um show do cantor Roberto Carlos. Ao todo, a operadora oferece pacotes de 5 a 7 noites para este roteiro, com saídas programadas do Brasil entre os dias 1 e 6 de setembro.

O show de Roberto Carlos terá lugar no dia 7 de setembro no Sulta’s Pool, uma casa de shows a céu aberto, em Jerusalém, nas proximidades da cidade antiga.

Rei da música brasileira e mundial

O seu talento expressivo é reconhecido, no entanto ele é o “rei” da música brasileira e por que não mundial.

O destino escolheu Roberto Carlos para cumprir uma missão de amor da vida, onde ele construiu um legado que foi e está sendo eternizado para sempre e nem mesmo o tempo conseguirá romper a emoção que o “Rei” da musicalidade brasileira deixou gravado no coração e na alma de várias gerações.

Tributo ao Rei em Angra do Heroísmo – Açores

De 18 a 23 de Julho corrente, na ilha Terceira, concretamente na cidade de Angra do Heroísmo, o evento Angra em Festa 2011 com a Semana Brasil e que abarca a mostra gastronómica, ciclo do cinema brasileiro e, como não podia deixar de ser, a animação musical – onde há Brasil não pode deixar de existir música.

Sobre o panorama musical escolhido para o efeito, sobressai a Noite Verde e Amarela com a atuação do músico brasileiro Roy Caetano num tributo ao nosso Rei Roberto Carlos.

E é com imensa satisfação que, mais uma vez, na terra onde fui nado e criado, deparo com um músico destas paragens brasileiras numa homenagem ao maior cantor da América do Sul e uma das maiores referências mundiais (dixit CAA).

Carlos Alberto Alves

Sobre o autor

Carlos Alberto Alves - Jornalista há mais de 50 anos com crónicas e reportagens na comunicação social desportiva e generalista. Redator do Portal Splish Splash e do site oficial da Confraria Cultural Brasil-Portugal. Colabora semanalmente no programa Rádio Face, da Rádio Ratel, dos Açores. Leia Mais sobre o autor...

Sem comentários:

Enviar um comentário

COPIE O SEU EMOTICON E COLE NOS COMENTÁRIOS


👍😀😁😄😇😉😊😋😌😍😎😏😐😕😘😛😞😤😥😧😩😭😮😰😴🐞🐢👄💗💙👻👽🎃🎄🎅🎂🍺🍻🍹🍷

VARIAÇÕES EM A DISTÂNCIA (PARTE 2 DE 2)

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES

OS NOSSOS REDATORES PERMANENTES - Clique para ver o perfil